Educação ambiental nas aulas de química: como os licenciandos concebem os seus planejamentos

Authors

  • Wbiratan Cesar Macedo de Oliveira
  • Andréia Francisco Afonso

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n7-062

Keywords:

formação de professores de química, educação ambiental crítica, confecção de material didático

Abstract

A formação de professores está intimamente ligada às questões da Educação Básica, o que justifica a importância de promover investigações nessa etapa formativa. Uma delas, está pautada na discussão ambiental e como essa temática pode ser abordada nas aulas de química, visto que é um tema cada vez mais presente na sociedade devido à preocupação mundial de como manter a interlocução ser humano – natureza. Com isso, o objetivo desse trabalho foi propiciar momentos de formação para que licenciandos em Química de uma universidade pública pudessem refletir e, posteriormente, confeccionarem materiais para a Educação Básica no que se refere à Educação Ambiental e o ensino de Química, relacionados às situações cotidianas, de forma crítica, menos tradicional. Os materiais produzidos atenderam às expectativas iniciais, visto que proporcionou momentos de aprendizagem para os licenciandos e, considerando uma futura atuação docente, contribuirá para melhorias nos processos escolarização no que diz respeito às situações socioambientais.

References

ALMEIDA, S.; SOARES, H. F. B.; MESQUITA, N. A. S. Proposta de Formação de Professores de Química por meio de uma Licenciatura Parcelada: Possibilidade de Melhoria da Prática Pedagógica versus Formação Aligeirada. Química Nova na Escola, v. 34, n. 3, p.136-146, 2012.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LDA, 2016.

BRASIL. Plano Nacional do Livro Didático - PNLD 2019. Guia de Livros Didáticos: Ciências-Brasília. Ministério da Educação, Secretaria da Educação Básica. 2019.

BRASIL. Programa Nacional de Educação Ambiental – ProNEA: documento básico. Ministério do Meio Ambiente, Diretoria de Educação Ambiental; Ministério da Educação, Coordenação Geral de Educação Ambiental. 5. ed. Brasília, 2018.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2018.

BRASIL. Ministério da Educação - Conselho Nacional de Educação; Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Ambiental: CNE/CP, 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Parecer 1.303/2001 – Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Química. Brasília, 2001.

BRASIL. Lei 9795/99. Brasília, 1999.

CHASSOT, A. Para que(m) é útil o ensino?. 2. ed. Canoas: Ed. ULBRA, 2004.

CONSENZA, A. A Educação Ambiental e o fazer interdisciplinar na Escola. Araraquara – SP: Editora Junqueira e Marin, 2008.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 17ed. São Paulo: Paz e Terra, 2001.

FROZZA, E.; PASTORIZA, B. dos S. Discursos sobre a experimentação na formação de professores de Química. Interfaces da Educação, v. 12, n. 35, p. 64–90, 2021.

GAUCHE, R.; SILVA, R. R.; BAPTISTA, J. A.; SANTOS, W. L. P.; MÓL, G. S.; MACHADO, P. F. L. Formação de professores de Química: concepções e proposições, Química Nova na Escola, n. 27, p. 26-29, 2008.

GIORDAN, M. O Papel da Experimentação no Ensino de Ciências. Química Nova na Escola, 1999.

GONÇALVES, R. P. N. (2019). Experimentação no ensino de química na educação básica. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Pampa, Bagé, RS, Brasil.

JUNIOR, L. P. C.; FERNANDEZ, C. A Educação Ambiental na formação de professores de química: estudo diagnóstico e representações sociais. Química Nova. Vol.39, nº 6, p.748 – 756, 2016.

LAYRAGUES, P.P; LIMA, G.F.C. As macrotendências político-pedagógicas da Educação Ambiental brasileira. Ambiente e Sociedade, vol XVII, n.2, p. 23-40, 2014.

MAGELA, W. F.; MESQUITA, N. A. S. Educação CTS e Educação Ambiental: ações na formação de professores. Relações sociedade-natureza em perspectiva: Educação Ambiental nas Licenciaturas em Química dos Institutos Federais no Brasil. Química Nova, v.44, n.5, p.636-645, 2021.

MELLO, R. M. Tecnologia educacional. Paraná: CRTE Telêmaco Borba, 2004.

MIZUKAMI, M. da G. N. et al. Escola e aprendizagem da docência: Processos de investigação e formação. São Carlos: EdUFSCar, 2003.

MORADILLO, E. F.; OKI, M. C. M. Educação ambiental na universidade: Construindo possibilidades. Química Nova, v. 27, n. 2, p. 332-336, 2004.

REIGOTA, M. Meio Ambiente e Representação Social. São Paulo: Cortez, 2002, 88p.

SANT´ANNA, A.; NASCIMENTO, P. R. A história do Lúdico na Educação. REVEMAT, v. 6, n.2, p. 19-36, 2011.

SILVA, A., UHMANN, R., HECKLER, V. A experimentação e o ensino de química. In: PASTORIZA, B. D. S.; SANGIOGO, F. A.; BOSENBECKER, V. K. Reflexões e debates em Educação Química. Curitiba: CRV, 2017.

SILVA, J. E. da et al. Pistas Orgânicas: Um Jogo Para O Processo De Ensino E Aprendizagem Da Química. Química Nova na Escola, 40, 25–32, 2018

SILVA, K. R.; CUNHA, M.B. Filmes Robôs para Discutir conceitos relacionados à Ciência. Química Nova na Escola, v. 4, n. 1, p. 4-9, 2019.

SOARES, M. H. F. B.; GARCEZ, E. S. da C. Um Estudo Do Estado Da Arte Sobre A Utilização Do Lúdico Em Ensino De Química. Revista Brasileira De Pesquisa Em Educação Em Ciências, 17(1), 183–214, 2017.

SULEIMANOVA, S. Inovative Activity of the Teacher: In the course of his Professional Formation. Social and Behavioral Science, v. 81, p. 395–399, 2013.

TAYLOR, L.A. How teachers become teacher researchers: Narrative as a tool for teacher identity construction. Teaching and Teacher Education, v. 61, p. 16 – 25, 2017.

TEIXEIRA, C.; TORALES, M. A. A questão ambiental e a formação de professores para a educação básica: um olhar sobre as licenciaturas. Educar em Revista. Ed. Especial n. 3, p. 127-144, 2014.

ZUIN, V. G.; A inserção da dimensão ambiental na formação inicial de professores de Química, Ed. Átomo: Campinas, 2011.

Published

2023-07-24

How to Cite

de Oliveira, W. C. M., & Afonso, A. F. (2023). Educação ambiental nas aulas de química: como os licenciandos concebem os seus planejamentos . OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(7), 6975–6996. https://doi.org/10.55905/oelv21n7-062

Issue

Section

Articles