Direito antidiscriminatório como instrumento de promoção da equidade racial: um estudo comparado da Declaração de Quebec (2001) às Legislações Latinas

Authors

  • Jonathas Lima de Oliveira
  • Ícaro Argolo Ferreira
  • Sara Santos Moraes

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv22n3-114

Keywords:

direito antidiscriminatório, racismo, discriminação racial, equidade racial

Abstract

O presente artigo científico possui o intuito de trazer à luz das discussões acadêmicas o subsistema jurídico Direito Antidiscriminatório, tema recente e que ao longo dos últimos anos tem sido difundido no Brasil e em outros países e justifica-se pelos notórios problemas que o racismo causa na população negra brasileira. Seu objetivo geral é apresentar o Direito Antidiscriminatório como instrumento de promoção da equidade racial. Os objetivos específicos foram explanados sequencialmente, iniciando pela apresentação, partindo da sua eclosão até a sua chegada ao Brasil por meio de instrumentos legais internacionais adotados no país, após buscou-se diferenciar termos que em geral são confundidos entre si ou colocados numa mesma prateleira, são eles, a discriminação racial, o preconceito racial e o racismo, além de elucidar o significado de equidade racial. Tais explicações mostram-se necessárias uma vez que para iniciar-se um debate sobre relações raciais é preciso primeiramente possuir o máximo de letramento racial possível.  Por fim, é feito um estudo comparado entre a Declaração de Quebec e as legislações latinas, a fim de explorar e entender em que momento os países vizinhos ao Brasil se encontram no debate racial e no enfrentamento ao racismo e seus efeitos. O problema e sua respectiva hipótese de resolução apresentada demonstraram que o Direito Antidiscriminatório, se bem utilizado, pode ser um instrumento de transformação social no tocante ao enfrentamento ao racismo em diversos cenários apresentados. Para a realização deste artigo utilizou-se a pesquisa bibliográfica, com método histórico no que se refere ao procedimento.

References

ALMEIDA, Daniella. Brasil e Colômbia assinam cooperação de combate à discriminação. Agência Brasil, 2023. Disponível em: <https://agenciabrasil.ebc.com.br/direitos-humanos/noticia/2023-07/brasil-e-colombia-assinam-cooperacao-de-combate-discriminacao>. Acesso em 13 out 2023.

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo estrutural / Silvio Luiz de Almeida. -- São Paulo: Sueli Carneiro; Pólen, 2019.

ALTMAN, Max. Hoje na História: 1823 - Chile torna-se o primeiro país sul-americano a abolir a escravidão. Opera Mundi, São Paulo, 2023. Disponível em: <https://operamundi.uol.com.br/hoje-na-historia/23211/hoje-na-historia-1823-chile-torna-se-o-primeiro-pais-sul-americano-a-abolir-a-escravidao#>. Acesso em 12 ou 2023.

ARGENTINA. Constitución (1853). Constitución de la Nación Argentina: promulgada em 1 de maio de 1853, revisada em 1994. Santa Fe, Argentina, 1994.

ARGENTINA. Ley nº 23.592, de 23 de agosto de 1988. Buenos Aires, Argentina: Honorable Congreso de la Nación Argentina. Disponível em: <https://www.argentina.gob.ar/normativa/nacional/ley-23592-20465/actualizacion>. Acesso em 12 out 2023.

CAVALLINI, Marta. Proporção de pretos e pardos entre os pobres chega ao dobro em relação aos brancos, mostra o IBGE. G1, 2022. Disponível em: <https://g1.globo.com/economia/noticia/2022/11/11/proporcao-de-pobres-pretos-e-pardos-chega-ao-dobro-em-relacao-aos-brancos-mostra-o-ibge.ghtml>. Acesso em 21 set 2023.

CHAVES, Luís de Gonzaga Mendes. Minorias e seu estudo no Brasil. Revista de Ciências Sociais, Fortaleza, v. 1, n. 1, 1977.

CHILE. Constitución (1980). Constitución Política de la República de Chile: promulgada em 11 de março de 1981. Santiago, Chile, 1980.

CHILE. Ley nº 21.151, de 08 de abril de 2019. Santiago, Chile: Presidencia de la República. Disponível em: <https://www.bcn.cl/leychile/navegar?idNorma=1130641>. Acesso em 12 out 2023.

COLOMBIA. Constitución (1991). Constitución Política de Colombia: promulgada em 1991, revisada em 2015. Bogotá, Colombia, 1991.

COLOMBIA. Ley nº 1482, de 30 de novembro de 2011. Bogotá, Colombia: Republica de Colombia - Gobierno Nacional. Disponível em: <https://www.suin-juriscol.gov.co/viewDocument.asp?id=1682049>. Acesso em 13 out 2023.

DIREITA vence eleição presidencial no Equador. Congresso em Foco, 16 de out. de 2023. Disponível em: <https://congressoemfoco.uol.com.br/area/mundo-cat/direita-vence-eleicao-presidencial-no-equador/>. Acesso em 19 out 2023.

DISCRIMINAÇÃO contra afrodescendentes no Equador deve acabar, dizem especialistas da ONU. ONU News, 23 de dez. de 2019. Disponível em: <https://news.un.org/pt/story/2019/12/1698701>. Acesso em 19 out 2023.

ECUADOR. Constitución (2008). Constitución de la República del Ecuador: promulgada em 2008, revisada em 2021. Ecuador, 2008.

EL racismo y la discriminación intensificaron la violencia en contra del pueblo negro. Comisión de la Verdad, Colombia, 09 de dez. de 2020. Disponível em: <https://web.comisiondelaverdad.co/actualidad/noticias/reconocimiento-verdad-pueblo-negro-racismo-discriminacion-intensificaron-violencia>. Acesso em 13 out 2023.

IBGE - INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Território brasileiro e povoamento. Brasil, 2000. Disponível em: <https://brasil500anos.ibge.gov.br/territorio-brasileiro-e-povoamento/negros/regioes-de-origem-dos-escravos-negros.html>. Acesso em 17 out 2023.

LUIZ, Marley Sidnei. Direito Antidiscriminatório à luz da Constituição Federal: uma construção teórica necessária - Santa Catarina: Repositório UFSC, 2019.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de Metodologia Científica. 5 ed. São Paulo: Editora Atlas, 2003.

MELLO, Michele de. Colômbia cria Ministério da Igualdade e Equidade que será chefiado por Francia Márquez. Brasil de Fato, 2022. Disponível em: <https://www.brasildefato.com.br/2022/12/13/colombia-cria-ministerio-da-igualdade-e-equidade-que-sera-chefiado-por-francia-marquez>. Acesso em 13 out 2023.

MELLO, Michele de. Quem é Francia Márquez, a primeira mulher negra vice-presidenta na Colômbia?. Brasil de Fato, 2022. Disponível em: <https://www.brasildefato.com.br/2022/06/20/quem-e-francia-marquez-a-primeira-mulher-negra-vice-presidenta-na-colombia>. Acesso em 13 out 2023.

MOREIRA, Adilson José. Tratado de Direito Antidiscriminatório | Adilson José Moreira – São Paulo: Editora Contracorrente, 2020.

ORSI, Guillermo Omar. “Não há negros na Argentina”: o mito da homogeneidade racial argentina. - Vitória: Simbiótica, 2022.

QUEBEC. Declaração da Cidade de Quebec, 2001. Disponível em: <https://www.oas.org/xxxivga/portug/reference_docs/CumbreAmericasQuebec_Declaracion.pdf>. Acesso em 12 out 2023.

RIOS, Roger Raupp. Direito da Antidiscriminação - discriminação direta, indireta e ações afirmativas. Livraria do Advogado, 2008.

RODRIGUES, Marcos. Surgimento do Constitucionalismo Social. Disponível em: <https://estacaodasleis.com.br/2020/05/09/surgimento-do-constitucionalismo-social/#:>. Acesso em 20 set 2023.

SANTANA, Irapuã (coord); RAMOS, Caroline (coord). Novas Perspectivas do Direito Antidiscriminatório - Advocacia Racial. Editora Juspodivm, 2023.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças. Cientistas, instituições e questão racial no Brasil, 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SOBRE las propuestas. Ecuador Decide, 2023. Disponível em: <https://ecuador-decide.org/sobre-las-propuestas/>. Acesso em 19 out 2023.

Published

2024-03-13

How to Cite

Oliveira, J. L. de, Ferreira, Ícaro A., & Moraes, S. S. (2024). Direito antidiscriminatório como instrumento de promoção da equidade racial: um estudo comparado da Declaração de Quebec (2001) às Legislações Latinas. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 22(3), e3745. https://doi.org/10.55905/oelv22n3-114

Issue

Section

Articles