Panorama do HTLV no Brasil: prevalência e diagnóstico ao Sistema Único de Saúde

Authors

  • Alessandro Martins Ribeiro
  • Lucas Alves de Oliveira Lima
  • Erica Anunciação Oliveira
  • Ana Carolina Souza Viana Colen
  • Teddy Talbot
  • Vivian Miranda Lago

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv22n3-065

Keywords:

vírus linfotrópico humano, diagnóstico, desordens hematológicas, prevalência

Abstract

O vírus linfotrópico humano (HTLV) tipo I/II vem sendo diagnosticadas na fase crônica, no Brasil o acesso a testes rápidos para detecção da carga viral, o rastreamento em gestantes na fase do pré-natal e o acompanhamento de idosos com doenças linfoides que são desenvolvidas a partir do HTLV crônico, estão sendo alvo de discussão nas pautas de saúde coletiva brasileira. Avaliar a prevalência da coinfecção do HTLV tipo I/II na população mundial e brasileira e apontar as principais medidas de diagnóstico realizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Realizou um estudo epidemiológico ecológico utilizando dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (DATASUS), compreendido entre 2015 e 2023 e artigos publicados na (Medline, Pubmed, Scielo, Revista Brasileira de Saúde Coletiva). Foi analisado 647 artigos, com os descritores “vírus linfotrópico humano”; Diagnoses”; “Diseases Hematologic”, excluídos artigos que não abordavam diagnóstico realizados pelo SUS. Cerca de 22 milhões de pessoas estão infectadas em todo mundo, com cerca de 1 150.000 pelo I/II no Brasil, o tipo HTLV II, está associado a coinfecção crônica, ao diagnóstico há quadros de algias espamosmusculares e parestesia em membros inferiores, assim totaliza uma média de mais de um caso notificado por dia, somente 5 a 10% apresentarão manifestação clínica. Cerca de 60% do levantamento científico apontavam que o kit para teste não-treponêmico HTLV tipo I/II, é sensível na fase aguda, podendo rastrear a carga viral em até 90 dias da infecção primária, na fase do pré-natal, gestantes coinfectadas pelo HTLV-I, são acompanhadas pelo Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) e equipe multiprofissional pela Unidade Básica de Saúde (UBS), orientadas, tratadas a partir da sintomatologia e acompanhadas para evitar a transmissão vertical. Dentre as desordens leucocitárias a partir dos 60 anos, a Leucemia Linfocítica Crônica (LLC) tem associação direta com o HTLV tipo I/II, por ser um retrovírus e sua virulência infectar linfócitos T, incluindo a leucemia de células T, que fazem parte de subgrupos da LLC. Por isso, compreender a relação entre o HTLV e a Leucemia Linfocítica Crônica, destaca a necessidade contínua de pesquisas para melhorar os protocolos de diagnóstico para pacientes por ambas as condições clínicas.

References

Assone T, Casseb J. HTLV-1 in Brazil: epidemiological scenario in the highest endemic country in the world. AIDS Rev. 2023;25(4):181-183. doi: 10.24875/AIDSRev.M23000067. PMID: 38206791.

Romanelli LCF, Caramelli P, Proietti AB de FC. O vírus linfotrópico de células T humanos tipo 1 (HTLV-1): Quando suspeitar da infecção? Rev Assoc Med Bras [Internet]. 2010;56(3):340–7. Available from: https://doi.org/10.1590/S0104-42302010000300021

BRASIL. Ministério da Saúde. HTLV: guia de manejo clínico da infecção pelo HTLV. Brasília: Secretaria de Vigilância em Saúde, 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. HTLV-I/II - Triagem e diagnóstico sorológico em unidades hemoterápicas e laboratórios de saúde pública. - Brasília: Ministério da Saúde, Coordenação Nacional de Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids. 1998. 54 p: il. (Série TELELAB)

BRASIL. Ministério da Saúde. Coordenação-Geral de Vigilância das Infecções Sexualmente Transmissíveis do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis (CGIST/DCCI/SVS-Brasília: Boletim Epidemiológico, 2020.

Sesab assinala o Dia Nacional de Enfrentamento ao HTLV [Internet]. Sesab - Secretaria da Saúde do Estado da Bahia. [citado 13 de novembro de 2020]. Disponível em: https://bityli.com/RLnrI

Kay Marshall et al. Cabotegravir for HIV Prevention in Cisgender Men and Transgender Women. N Engl J Med 2021; 385:595-608. DOI: 10.1056/NEJMoa2101016

Rosadas Carolina et al. Protocolo Brasileiro para Infecções Sexualmente Transmissíveis 2020: infecção pelo vírus linfotrópico de células T humanas (HTLV). Epidemiol. Serv. Saúde [Internet]. 2021

Bandeiras, L. M.; Puga, M. A. M.; Motta-Castro, A. R. C. Infecção pelo HTLV: uma visão geral. Campo Grande, MS, 2021.

Rosadas, C.; TAYLOR, G. P. Mother-to-child HTLV-1 transmission: unmet research needs. Frontiers in microbiology, v. 10, p. 999, 2019.

Silva, I. C., et al. Moderada endemicidade da infecção pelo vírus linfotrópico-T humano na região metropolitana de Belém, Pará, Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, v. 21, p. e180018, 2018

Pereira, WA; Mesquita, EM. Vírus linfotrópico de células t humana (htlv): doenças associadas e dificuldades no diagnóstico e tratamento. Rev. Ciênc. Saúde, São Luís, v.17, n.1, p. 40-46, jan-jun, 2015.

Haddaway, N. R., Page, M. J., Pritchard, C. C., & McGuinness, L. A. (2022). PRISMA2020: An R package and Shiny app for producing PRISMA 2020-compliant flow diagrams, with interactivity for optimised digital transparency and Open Synthesis Campbell Systematic Reviews, 18, e1230. https://doi.org/10.1002/cl2.1230

Machado Filho AC, Sardinha JFJ, Ponte RL, Costa EP da, da Silva SS, Martinez-Espinosa FE. Prevalence of infection for HIV, HTLV, HBV and of syphilis and chlamydia in pregnant women in a tertiary health unit in the western Brazilian Amazon region. Rev Bras Ginecol e Obs. Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia; 2010;32: 176–183. doi:10.1590/ s0100-72032010000400005

Boa-Sorte N, Purificação A, Amorim T, Assunção L, Reis A, Galvão-Castro B. Dried blood spot testing for the antenatal screening of HTLV, HIV, syphilis, toxoplasmosis and hepatitis B and C: Prevalence, accuracy and operational aspects. Brazilian J Infect Dis. 2014;18: 618–624. doi:10.1016/j.bjid.2014.05.009

de Fátima Castro Mendes M, de Ribamar Oliveira Lima J, de Oliveira de Melo B, de Maria Fernandes da Silva Pinto C, Maia HS, Ferro TAF, et al. Molecular detection of human T cell lymphotropic virus type 1 in pregnant women from Maranhão state, Brazil. Braz J Microbiol. Braz J Microbiol; 2020;51: 637–645. doi:10.1007/s42770- 020-00233-0

Figueiró-Filho EA, Senefonte FR de A, Lopes AHA, Morais OO de, Souza Júnior VG, Maia TL, et al. Freqüência das infecções pelo HIV-1, rubéola, sífilis, toxoplasmose, citomegalovírus, herpes simples, hepatite B, hepatite C, doença de Chagas e HTLV I/II em gestantes, do Estado de Mato Grosso do Sul. Rev Soc Bras Med Trop. SBMT; 2007;40: 181–187. doi:10.1590/S0037-86822007000200007

Dal Fabbro MMFJ, Cunha RV da, Bóia MN, Portela P, Botelho CA, Freitas GMB de, et al. Infecção pelo HTLV 1/2: atuação no pré-natal como estratégia de controle da doença no Estado de Mato Grosso do Sul. Rev Soc Bras Med Trop. SBMT; 2008;41: 148–151. doi:10.1590/S0037- 86822008000200003

Monteiro DLM, Taquette SR, Sodré Barmpas DB, Rodrigues NCP, Teixeira SAM, Villela LHC, et al. Prevalence of HTLV-1/2 in pregnant women living in the metropolitan area of Rio de Janeiro. PLoS Negl Trop Dis. Public Library of Science; 2014; 8: e3146. doi: 10.1371/ journal.pntd.0003146

Sodré Barmpas DB, Monteiro DLM, Taquette SR, Rodrigues NCP, Trajano AJB, Cunha J de C, et al. Pregnancy outcomes and mother-to-child transmission rate in HTLV-1/2 infected women attending two public hospitals in the metropolitan area of Rio de Janeiro. PLoS Negl Trop Dis. PLoS Negl Trop Dis; 2019; 13: e0007404. doi: 10.1371/journal.pntd.0007404

Olbrich Neto J, Meira DA. [Soroprevalence of HTLV-I/ II, HIV, siphylis and toxoplasmosis among pregnant women seen at Botucatu - São Paulo - Brazil: risk factors for HTLV-I/II infection]. Rev Soc Bras Med Trop. 37: 28–32. Available: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/ pubmed/15042179

Medeiros ACM, Vidal LRR, Von Linsingen R, Ferin AN, Bessani Strapasson T, de Almeida SM, et al. Confirmatory molecular method for HTLV-1/2 infection in high-risk pregnant women. J Med Virol. J Med Virol; 2018;90: 998–1001. doi:10.1002/jmv.25014

Caterino-de-Araujo A, Campos KR, Petrucci TVB, Silva RX da, Lemos MF, Moreira RC. Surveillance of human retroviruses in blood samples from patients with hepatitis B and C in São Paulo, Brazil. Rev Soc Bras Med Trop. 2020; 53:e20190378.

Souza RL de, Pereira MVS, Silva RM da, Sales JB de L, Gardunho DCL, Monteiro JC, et al. Molecular Epidemiology of HIV-1 and HTLV-1/2 Among Female Sex Workers in Four Cities in the State of Para, Northern Brazil. Front Microbiol. 11 de novembro de 2020;11:60266

da Silva Brito V, Santos FLN, Gonçalves NLS, Araujo THA, Nascimento DSV, Pereira FM, Boa-Sorte NCA, Grassi MFR, Caterino-de-Araujo A, Galvão-Castro B. 2018. Performance of commercially available serological screening tests for human T-cell lymphotropic virus infection in Brazil. J Clin Microbiol 56:e00961-18. https://doi.org/10.1128/JCM.00961-18.

Shimoyama M. Diagnostic criteria and classification of clinical subtypes of adult Tcell leukaemia-lymphoma. A report from the Lymphoma Study Group (1984-87). Br J Hematol. 1991; 79: 428-37.

Marinho TA, Magalhães LS, Dos Santos KC, Martins TLS, Silva GRDCE, Silva ÁMDCE, Carneiro MADS, Caetano KAA, Teles SA, Martins RMB. Human T-lymphotropic virus 1/2 infection among immigrants and refugees in Central Brazil, an emerging vulnerable population. Front Public Health. 2023 Oct 6;11:1265100. doi: 10.3389/fpubh.2023.1265100. PMID: 37869208; PMCID: PMC10588471.

Semeão LE da S, Roque DR, Francisco Sobrinho T, Costa CKF, Dodorico M, Yamaguchi MU. Soroprevalência do vírus linfotrópico de células T humanas (HTLV) entre doadores de sangue em hemocentros de Maringá-Paraná e Boa Vista-Roraima. Epidemiol Serv Saúde [Internet]. 2015Jul;24(3):523–9. Available from: https://doi.org/10.5123/S1679-49742015000300018

Futch, N.; PRates, G.; Mahieux, R.; Casseb, J.; Dutartre, H. Cytokine Networks Dysregulation during HTLV-1 Infection and Associated Diseases. Viruses, v.10, n. 12, p. 691, 2018

Tu JJ, King E, Maksimova V, Smith S, Macias R, Cheng X, Vegesna T, Yu L, Ratner L, Green PL, Niewiesk S, Richner JM, Panfil AR. An HTLV-1 envelope mRNA vaccine is immunogenic and protective in New Zealand rabbits. J Virol. 2024 Jan 9:e0162323. doi: 10.1128/jvi.01623-23. Epub ahead of print. PMID: 38193692.

Published

2024-03-08

How to Cite

Ribeiro, A. M., Lima, L. A. de O., Oliveira, E. A., Colen, A. C. S. V., Talbot, T., & Lago, V. M. (2024). Panorama do HTLV no Brasil: prevalência e diagnóstico ao Sistema Único de Saúde. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 22(3), e3667. https://doi.org/10.55905/oelv22n3-065

Issue

Section

Articles