Formalização da cooperativa quilombarras

Authors

  • Edi Augusto Benini
  • Célio Antonio Alcantara Silva
  • Gustavo Henrique Lima Ferreira
  • Graziela Tavares de Souza Reis

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv22n3-060

Keywords:

cooperativa, economia solidária, autogestão, sustentabilidade

Abstract

Com o apoio do programa de extensão Raios de Sol (NESol/UFT), em fevereiro de 2019 foi formalizada a Cooperativa Multissetorial de Produção Agroecológica, Distribuição Solidária e Serviços Comunitários QUILOMBARRAS. Tal processo de criação foi o resultado da busca de um modelo diferenciado de cooperativa, na perspectiva de uma cooperativa de tipo integral, a saber, que venha a ter elementos institucionais adequados para promover tanto a autonomia econômica de uma comunidade, como também a sua autonomia social e territorial, como estratégia para a superação da pobreza e da alienação, agregando assim elementos da organização do trabalho, da produção e da distribuição. Para isso, foram inicialmente pesquisados e analisados os parâmetros legais da lei de cooperativismo brasileiro, confrontando tais permissões e imperativos da legislação com os elementos necessários de governança para um tipo de cooperativa integral. Como resultado, chegou-se ao estatuto social da Cooperativa QUILOMBARRAS, que após um processo de três meses de ajustes para a sua formalização com a Junta Comercial do Tocantins, no dia 26 de fevereiro de 2019 obteve-se o seu Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), um marco na busca de uma nova matriz institucional para o trabalho associado autogestionário.

References

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 01 mar. 24.

BRASIL. Lei nº 5.764 de 16 de dezembro de 1971. Define a Política Nacional de Cooperativismo, institui o regime jurídico das sociedades cooperativas e dá outras providências. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5764.htm. Acesso em: 01 mar. 24

BENINI, E. A. Economia solidária, estado e sociedade civil: um novo tipo de política pública ou uma agenda de política públicas? In: DAL RI, N. M.; Vieitez, C. G. (Orgs) Revista Organização e Democracia. Marília: Unesp. p. 3-23, 2003.

BENINI, E. A. Políticas públicas e relações de trabalho – estudo sobre o processo e natureza da denominada “Economia Solidária”, enquanto política pública, a partir da investigação de alguns casos concretos. 2004. Dissertação (Mestrado) - Escola de Administração de Empresas de São Paulo - EAESP-FGV, São Paulo, 2004.

BENINI, E. G. Economia solidária em questão – estudo sobre as possibilidades e limites de inserção e emancipação social no capitalismo, a partir de um estudo multicasos. 2008. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Mato Grosso do Sul – UFMS, Campo Grande, 2008.

BENINI, E. G.; BENINI, E. A.; FIGUEIREDO NETO, L. F. Economia solidária nos prismas marxistas – revolução ou mitigação. Artigo apresentado no V Encontro Internacional de Economia Solidária - “O discurso e a prática da economia solidária”. Universidade de São Paulo – Núcleo de Estudos sobre Economia Solidária. Anais do Evento: São Paulo, 2007. Disponível em: <http://www.poli.usp.br/p/augusto.neiva/nesol/Publicacoes/V%20Encontro/Artigos/Principios/PRI-09.pdf>. Acesso em: 12 nov. 2009.

BENINI, E. A. Sistema Orgânico do Trabalho. Arquitetura crítica e possibilidades. São Paulo, Ícone Editora, 2012.

BENINI, E. A; SABINO, A; GOMES, A. L. S. Organicidade socioprodutiva: metodologia construtiva de uma autogestão de caráter societal. Revista MovimentAção. Dourados, v. 2, n. 5, p. 01-20, 2015.

BOTTI CAPELLARI, Marta; CATANEO DREI, Géssica Taís. Direito & Cooperativismo: discutindo a realidade brasileira. Redes (St. Cruz Sul, Online), Santa Cruz do Sul, v. 25, p. 2302-2319, 2020. ISSN 1982-6745. doi:https://doi.org/10.17058/redes.v25i0.14267.

DAGNINO, R.; NOVAES, H. As forças produtivas e a transição ao socialismo: contrastando as concepções de Paul Singer e István Mészáros. Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares/Unicamp, Campinas, set. 2005. Disponível em <http://www.itcp.unicamp.br >. Acesso em: 06 jun. 2007.

DEJOURS, C. A Banalização da injustiça social. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1999.

FERRAZ, D. L. S.; DIAS, P. Discutindo autogestão: um diálogo entre os pensamentos clássico e contemporâneo e as influências nas práticas autogestionárias da economia popular solidária. Revista Organizações e Sociedade, Salvador, v. 15, n. 46, p. 99-117, jul./ set., 2008.

FRANÇA FILHO, G. C.; LAVILLE, J. Economia solidária: uma abordagem internacional. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2004.

GAIGER, L. Sentidos e experiências da economia solidária no Brasil. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2004.

GAIGER, L. A economia solidária diante do modo de produção capitalista. Caderno CRH, Salvador, vol. 16, n. 39, p. 181-211, jul./dez. 2003. Disponível em: <http://www.cadernocrh.ufba.br/viewissue.php?id=12>. Acesso em: 10 de set. 2009.

LAVILLE, J.-L. A economia solidária: Um movimento internacional. Revista Crítica de Ciências Sociais, n. 84, 2009.

MÉSZÁROS, I. Para além do capital. São Paulo: Boitempo Editorial, 2002.

MÉSZÁROS, I. A teoria da alienação em Marx. São Paulo: Boitempo Editorial, 2006.

MÉSZÁROS, I. O desafio e o fardo do tempo histórico. São Paulo: Boitempo Editorial, 2007.

NEMIROVSKY, G. G. et al. Desafios da autogestão e estudos organizacionais em solidária. Em: A Economia numa Perspectiva Interdisciplinar. [s.l: s.n.].

NOVAES, H. T. O fetiche da tecnologia: a experiência das fábricas recuperadas. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

OIT. Recomendação 193 da OIT sugere 18 diretrizes para a promoção do cooperativismo no mundo. Disponível em: https://www.ilo.org/brasilia/convencoes/WCMS_242764/lang--pt/index.htm. Acesso em 01 mar 24.

SANTOS, B. DE S.; CUNHA, T. Economias de Bem Viver - Contra o Desperdício das Experiências. 1a Edição ed. Coimbra - Portugal: Edições 70, 2022.

SINGER, P. Economia solidária versus economia capitalista. Sociedade e Estado, v. 16, n. 1–2, 2001.

Published

2024-03-08

How to Cite

Benini, E. A., Silva, C. A. A., Ferreira, G. H. L., & Reis, G. T. de S. (2024). Formalização da cooperativa quilombarras. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 22(3), e3660. https://doi.org/10.55905/oelv22n3-060

Issue

Section

Articles