Estado nutricional e capacidade funcional de pacientes com tumores sólidos e hematológicos internados em um hospital de referência do Distrito Federal

Authors

  • Camila da Graça Costa
  • Fernanda Cintra Lima
  • Renata Costa Fortes

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv22n3-052

Keywords:

avaliação nutricional, dinamômetro de força muscular, estado nutricional, neoplasias

Abstract

Introdução: O câncer é uma doença crônica não transmissível com etiologia multifatorial, capaz de interferir no estado nutricional e na capacidade funcional dos pacientes. Objetivo: Comparar o estado nutricional e a capacidade funcional de pacientes com tumores sólidos e hematológicos atendidos em um hospital de referência do Distrito Federal. Métodos: Estudo transversal, com amostra obtida por conveniência, com pacientes diagnosticados com tumores sólidos e hematológicos. Os participantes responderam ao questionário sociodemográfico e a avaliação subjetiva global produzida pelo próprio paciente (ASG-PPP); a capacidade funcional foi verificada por meio da escala de performance status do Eastern Cooperative Oncology Group (ECOG) e da força de preensão palmar (FPP). Além disso, foram realizadas as aferições da circunferência da panturrilha e a circunferência do braço. Resultados: Foram avaliados 70 pacientes, 35 (50%) diagnosticados com tumor hematológico (TH) e 35 (50%) diagnosticados com tumor sólido (TS). A média de idade foi de 60,6 anos, sendo maioria idosos (61,4%). Em relação ao IMC, observou-se maior prevalência de eutrofia entre os pacientes diagnosticados com tumores sólidos e hematológicos. Verificou-se maior prevalência de pacientes com tumores sólidos com desnutrição grave 51,4%(n=36) pela ASG-PPP. Já, na avaliação realizada para verificar a funcionalidade, observou-se um maior percentual de pacientes com tumores hematológicos classificados nos escores 3 e 4 do ECOG, que correspondem ao maior acometimento funcional. Não foi verificada na avalição dos pacientes com tumores sólidos associação entre a FPP e a classificação da ASG-PPP (p=0,104). Em contrapartida, foi verificada associação entre o IMC e a ASG-PPP (p=0,018) e também entre o ECOG e a ASG-PPP (p<0,001). Conclusão: Pacientes com tumores sólidos apresentam maior comprometimento nutricional comparados aos com pacientes com tumores hematológicos. Os achados mostram a importância do olhar diferenciado para o cuidado nutricional e funcional com relação a localização do câncer.

References

ALVES, A. S. B. M. et al. Epidemiological and cytogenetic profiles of patients with hematological malignancies and their relationship with aging. Hematology, Transfusion and Cell Therapy, v. 40, n. 3, p. 200–206, 2018. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm. nih.gov/30128427/. Acesso em: 07 maio 2023.

AMARAL, L. A. et al. Qualidade de vida, marcadores inflamatórios e bioquímicos de pacientes oncológicos em tratamento quimioterápico: série de casos. Visão Acadêmica, v. 19, n. 1, p. 62-76, 2018. Disponível em: https://www.researchgate.net/ publication/ 325436579. Acesso em: 22 jan. 2024.

ARGENTA I. G.; SILVA S. C.; ZANOTTI, J. Avaliação do estado nutricional e capacidade funcional de pacientes oncológicos em quimioterapia de Caxias do Sul – RS. Revista Brasileira de Cancerologia, [S.l.], v. 66, n. 2, p. e-02377, 27 abr. 2020. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/377. Acesso em: 22 jan. 2024.

BRASPEN. Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral. Diretriz BRASPEN de Terapia Nutricional no Paciente Com Câncer e BRASPEN Recomenda: Indicadores de Qualidade em Terapia Nutricional. BRASPEN Journal, v. 34, n. 1, p. 1-46, 2019. Disponível em: https://www.braspen.org/diretrizes. Acesso em: 15 jan. 2024.

CARVALHO, E. S. V.; LEÃO, A. C. M.; BERGMANN, A. Funcionalidade de pacientes com neoplasia gastrointestinal alta submetidos ao tratamento cirúrgico em fase hospitalar. ABCD: Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva, v. 31, n. 1, e1353, 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/j/abcd/a/Vr66dC6cbdSbwgDSWprqvSs/ abstract/ ?lang=pt. Acesso em: 20 maio 2023.

CARVALHO, A. C. L. M. et al. Parâmetros nutricionais em pacientes oncológicos atendidos em um Centro de Referência no Sul de Minas Gerais, Brasil. Revista Brasileira de Cancerologia, [S.l.], v. 64, n. 2, p. 159-166, 29 jun. 2018. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/74. Acesso em: 21 jan. 2024.

CRUZ-JENTOFT, A. J. et al. Sarcopenia: revised European consensus on definition and diagnosis. Age and Ageing, v. 48, n. 1, p. 16-31, jan. 2019. Erratum in: Age and Ageing. 2019 Jul 1;48(4):601. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/ /. Acesso em: 05 jan. 2024.

DELUCHE, E. at al. Assessment of the nutritional status of adult patients with acute myeloid leukemia during induction chemotherapy. Nutrition. 2017 Sep; 41:120-125. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/28760421/. Acesso em: 21 jan. 2024.

FRISANCHO, A. R. Anthropometric standards for the assessment of growth and nutritional status. Ann Arbor: The University of Michigan Press, 1990. 48-53 p. Disponível em: https://press.umich.edu/Books/A/Anthropometric-Standards-for-the-Assessment-of-Growth-and-Nutritional-Status. Acesso em: 11 jan. 2024.

GONZALEZ, M. C. et al. Validação da versão em português da avaliação subjetiva global produzida pelo paciente. Revista Brasileira de Nutrição Clínica, v. 25, n. 2, p. 102-108, 2010. Disponível em: http://www.braspen.com.br/home/wp-content/uploads/ 2016/12/02-Valida%C3%A7%C3%A3o-da-vers%C3%A3o-em-portugu%C3%AAs-da-avalia%C3%A7%C3%A3o-subjetiva-global-produzida-pelo-paciente.pdf. Acesso em: 18 maio 2023.

INCA. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. ABC do câncer: abordagens básicas para o controle do câncer. 6. ed. rev. atual. Rio de Janeiro: INCA, 2020. 112 p. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/ publicacoes/ inca/abc_do _cancer_2ed.pdf. Acesso em: 10 maio 2023.

______. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Estimativa 2023: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: INCA, 2022. 160 p. Disponível em: https://bvsms. saude. gov.br/bvs/ publicacoes/inca/abc_do_cancer_2ed.pdf. Acesso em: 10 maio 2023.

______. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Consenso nacional de nutrição oncológica. 2. ed. rev. atual. Organização Nivaldo Barroso de Pinho. Rio de Janeiro: INCA, 2015. 182 p. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files/media/document/consenso-nacio nal-de-nutricao-oncologica-2-edicao-2015.pdf. Acesso em: 15 maio 2023.

______. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Inquérito brasileiro de nutrição oncológica. Organização: Cristiane Aline D'Almeida, Nivaldo Barroso de Pinho. Rio de Janeiro: INCA, 2013. 136 p.: il. Disponível em: https://www.inca.gov.br/ publicacoes/livros/inquerito-brasileiro-de-nutricao-oncologica Acesso em: 15 jan. 2024.

LIPSCHITZ, D. A. Screening for nutritional status in the elderly. Primary Care, v. 21, n. 1, p. 55-67, 1994. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/8197257/. Acesso em: 05 jan. 2024.

MATHIOWETZ V, et al. Grip and pinch strength: normative data for adults. Arch Phys Med Rehabil. 1985 Feb;66(2):69-74. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm. nih. gov/3970660/. Acesso em: 20 jan. 2024.

MAURINA, A. L. Z.; DELL’OSBEL, R. S.; ZANOTTI, J. Avaliação nutricional e funcional em oncologia e desfecho clínico em pacientes da cidade de Caxias do Sul/RS. Revista Brasileira de Cancerologia, [S.l.], v. 66, n. 2, p. e-10996, 12 jun. 2020. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/revista/article/view/996. Acesso em: 21 jan. 2024.

MILANI, J. et al. Antropometria versus avaliação subjetiva nutricional no paciente oncológico. Acta Paulista de Enfermagem, v. 31, n. 3, p. 240-246, 2018. Disponível em: https://acta-ape.org/article/antropometria-versus-avaliacao-subjetiva-nutricional-no-paciente-oncologico/. Acesso em: 22 jan. 2024.

OKEN, M. M. et al. Toxicity and response criteria of the Eastern Cooperative Oncology Group. American Journal of Clinical Oncology, v. 5, n. 6, p. 649-655, dezembro de 1982. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/7165009/. Acesso em: 18 maio 2023.

OMS. Organização Mundial da Saúde. Physical Status: the use and interpretation of anthropometry. Geneva, Switzerland: WHO, 1995. (WHO Technical Report Series, n. 854). Disponível em: https://apps.who.int/iris/handle/10665/37003. Acesso em: 04 jan. 2024.

PEIXOTO, M. I. et al. Comparação entre diferentes métodos de triagem nutricional em pacientes oncológicos ambulatoriais. Revista Nutrição Clínica e Dietética Hospitalar. 2017. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/ibc-167948. Acesso em: 22 jan. 2024.

PEREIRA, E. E. B.; SANTOS, N. B.; SARGES, E. S. N. F. Avaliação da capacidade funcional do paciente oncogeriátrico hospitalizado. Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 5, n. 4, p. 37-44, 2020. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/ scielo. php?script=sci arttext&pid= S2 176-62232014000400005. Acesso em: 22 jan. 2024.

RODRIGUES, B. C. et al. Avaliação do Risco Nutricional em Pacientes Onco-Hematológicos Hospitalizados. Revista Brasileira de Cancerologia, [S.l.], v. 65, n. 1, p. e-01266, 6 jun. 2019. Disponível em: https://rbc.inca.gov.br/index.php/ revista/ article/ view/266. Acesso em: 21 jan. 2024.

SBNO. Sociedade Brasileira de Nutrição Oncológica. I Consenso brasileiro de nutrição oncológica da SBNO. Organizado por Nivaldo Barroso de Pinho. Rio de Janeiro: Edite, 2021. 164 p. Disponível em: https://sbno.com.br/wp-content/uploads/2021/07/ consenso_ 2021.pdf. Acesso em: 02 maio 2023.

STEEMBURGO, T. et al. Hand Grip Strength and nutritional status in hospitalized oncological patients. Revista de Nutrição (Online), v. 31, n. 5, p. 489-499, set.-out. 2018. tab., graf. Disponível em: https://pesquisa.bvsalud.org/portal/resource/pt/biblio-1041277?src=similardocs. Acesso em: 20 jan. 2024.

Published

2024-03-06

How to Cite

Costa, C. da G., Lima, F. C., & Fortes, R. C. (2024). Estado nutricional e capacidade funcional de pacientes com tumores sólidos e hematológicos internados em um hospital de referência do Distrito Federal. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 22(3), e3642. https://doi.org/10.55905/oelv22n3-052

Issue

Section

Articles