Desempenho agronômico, teores de proteína e óleo de cultivares de soja em ambiente de terras baixas com ocorrência de La Niña

Authors

  • Veronica Fuzer Guarienti
  • Luiz Felipe Silveira Pavão
  • Ivan Carlos Maldaner
  • Diego Nicolau Follmann
  • Luciano Zucuni Pes
  • Marcelo Silveira de Farias
  • Kauane Rubert
  • Emilso Damm dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv22n2-161

Keywords:

Glycine max L., correlação linear de Pearson, ambiente de produção

Abstract

O Brasil apresenta grande relevância no fornecimento de proteína e óleo vegetal oriundos da soja, pois é o maior produtor mundial da cultura. Estima-se que, os teores de proteína nos grãos de soja estejam diminuindo ao longo dos anos, nos principais países produtores. As áreas de terras baixas no Rio Grande do Sul (RS) representam 23% do território estadual e a soja vem se destacando nesse ambiente sendo que, a correta escolha da cultivar para essas áreas representa importante ferramenta para o aumento da produtividade. Neste sentido, este trabalho teve como objetivo analisar o desempenho agronômico e os teores de proteína e de óleo de cultivares de soja cultivadas em terras baixas, na safra agrícola 2022/23, sob condições do fenômeno climático La Niña. Foi realizado o experimento sob delineamento experimental em faixas, com 31 cultivares de soja e quatro repetições. As variáveis resposta analisadas foram: produtividade de grãos, massa de mil grãos, teor de proteína, teor de óleo e soma térmica acumulada. Os resultados obtidos destacaram produtividades superiores a 5.000 kg ha-1, obtidos para as cultivares BMX VALENTE RR, NEO 630 IPRO, DM 60IX64 I2X e DM 54IX57 I2X. O teor de proteína variou de 30,52 a 33,90% e o teor de óleo de 21,51 a 23,40%. Em algumas cultivares houve correlação significativa positiva entre massa de mil grãos e teor de óleo, entre massa de mil grãos e produtividade de grãos e entre produtividade de grãos e teor de óleo, com coeficiente r ao redor de 0,9, e correlação significativa negativa entre os teores de proteína e óleo e entre produtividade de grãos e teor de proteína, com coeficiente r ao redor de – 0,9. Algumas cultivares também apresentaram correlação significativa negativa entre soma térmica acumulada no subperíodo vegetativo e teor de proteína e entre soma térmica acumulada no subperíodo vegetativo e massa de mil grãos e correlação significativa positiva entre soma térmica acumulada no subperíodo reprodutivo e teor de proteína, entre soma térmica acumulada no subperíodo reprodutivo e teor de óleo e entre soma térmica acumulada no subperíodo reprodutivo e massa de mil grãos. Conclui-se que, o ambiente de terras baixas apresenta elevado potencial produtivo para a cultura da soja em anos de ocorrência de La Niña, com variação de produtividade, massa de mil grãos, teor de proteína e teor de óleo entre as cultivares avaliadas. Com base nisso, pode-se afirmar a possibilidade de se obter maior produção e qualidade de grãos de soja, a partir da escolha de cultivares mais adaptadas ao ambiente de produção de terras baixas na região Central do Rio Grande do Sul.

References

ALBRECHT, L. P.; BRACCINI, E. de L. e; ÁVILA, M. R.; SUZUKI, L. S.; SCAPIM, C. A.; BARBOSA, M. C. Teores de óleo, proteína e produtividade de soja em função da antecipação da semeadura na região oeste do Paraná. Bragantia, v. 67, n. 4, p. 865-873, 2008.

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS EXPORTADORES DE CEREAIS - ANEC. Brazilian high protein soybean meal solvent extracted toasted. ANEC-73. 2023. Disponível em: https://anec.com.br/uploads/claralqkj009qbjtx7ak30bfe.pdf. Acesso em: 09 ago 2023.

ANGHINONI, I.; CARLOS, F. S. O cenário para a diversificação. Sistemas integrados de produção agropecuária em terras baixas, p. 25-30, 2018.

ARNOLD, C. Y. The determination and significance of the base temperature in a linear heat unit system. Proceedings of the American Society for Horticultural Science, v. 74, n. 1, p. 430-445, 1959.

ÁVILA, M. R.; BRACCINI, A. de L.; SCAPIM, C. A.; MANDARINO, J. M. G.; ALBRECHT, L. P.; FILHO, P. S. V. Componentes do rendimento, teores de isoflavonas, proteínas, óleo e qualidade de sementes de soja. Revista Brasileira de Sementes, v. 29, n. 3, p. 111-127, 2007.

BURTON, J. W. Quantitative genetics: results relevant to soybean breeding. In: Wilcox, J. R. (Ed.), Soybeans: Improvement, Production, and Uses, p. 211–247, 1987.

CARMONA, F. de C. Dificuldades e soluções para o cultivo de soja nas terras baixas da Metade Sul do Rio Grande do Sul. Revista Plantio Direto, v. 2020, 2020.

CARVALHO, E. V. de; PELUZIO, J. M.; FREIBERGER, C. N.; PROVENCI, L. Z.; MOTA, W. C. dos S. A época de semeadura na produção de sementes de soja em condições de várzea tropical. Revista Sítio Novo, v. 5, n. 1, p. 100-117, 2021.

CARVALHO, F. L. C.; PELUZIO J. M.; HACKENHAAR, C.; SANTOS, D. B. R. dos; MADEIRO, I. I. C.; JORGE V. S. Teor de óleo e proteína nos grãos em soja cultivada em diferentes populações de plantas no cerrado. Revista em Agronegócio e Meio Ambiente, v. 16, n. 1, 2023.

CHUNG, J.; BABKA, H. L.; GRAEF, G.; STASWICK, P.; LEE, D. J.; CREGAN, P. B.; SHOEMAKER, R. C.; SPECHT, J. E.; DEP, B. The seed protein, oil, and yield QTL on soybean linkage group I. Crop Science, v. 43, p. 1053-1067, 2003.

COMISSÃO DE QUÍMICA E FERTILIDADE DO SOLO - RS/ SC – CQFS. Manual de calagem e adubação para os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Sociedade Brasileira de Ciência do Solo - Núcleo Regional Sul, 376 p., 2016.

CONAB - COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO. Acompanhamento da safra brasileira - Grãos: 10º Levantamento de grãos - Safra 2022/23, 2023.

FAOSTAT - Food and Agriculture Organization. Crops and livestock products. 2023. Disponível em: https://www.fao.org/faostat/en/#data/QCL/visualize. Acesso em: 16 ago 2023.

FEHR, W. R.; CAVINESS, C. E. Stages of soybean development. Special Report, v. 80, 12 p., 1977.

FARIA, L. A.; PELUZIO, J. M.; SANTOS, W. F. dos; SOUZA, C. M. de; COLOMBO, G.; AFFÉRRI, F. G. Oil and protein content in the grain of soybean cultivars at different sowing seasons. Brazilian Journal of Agricultural Sciences, v. 13, n. 2, p. 1-7, 2018.

INMET - Instituto Nacional de Meteorologia do Brasil. Banco de Dados Meteorológicos, 2023. Disponível em: https://bdmep.inmet.gov.br/. Acesso em: 20 jun 2023.

LA MENZA, N. C.; MONZON, J. P.; SPECHT, J. E.; GRASSINI, P. Is soybean yield limited by nitrogen supply? Field Crops Research, v. 213, p. 204-2012, 2017.

McMASTER, G. S.; SMIKA, D. E. Estimation and evaluation of winter wheat phenology in the central Great Plains. Agricultural and Forest Meteorology, v. 43, n. 1, p. 1-18, 1988.

MARCHESAN, E. Desenvolvimento de tecnologias para cultivo de soja em terras baixas. Revista Eletrônica Competências Digitais para Agricultura Familiar, v. 2, n. 1, p. 4-19, 2016.

MARTIN, T. N.; RUGERI, A. P.; BEUTLER, A. N.; CONCEIÇÃO, G. M.; FIPKE, G. M.; PIRES, J. L. F.; GALON, L.; CUNHA, V. dos S. Indicações técnicas para a cultura da soja no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, safras 2022/2023 e 2023/2024, 136 p., 2022.

PASQUINI, C. Princípios da Espectroscopia no Infravermelho Próximo. Espectroscopia no Infravermelho Próximo para Avaliar Indicadores de Qualidade Tecnológica e Contaminantes em Grãos, p. 13-30, 2018.

PÍPOLO, A. E.; MANDARINO, J. M. G. Os teores de proteína da soja e a qualidade para a indústria. Boletim Informativo da Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, p. 30-32, v. 42, n. 2, 2016.

PÍPOLO, A. E.; HUNGRIA, M.; FRANCHINI, J. C.; BALBINOT, A. A. J.; DEBIASI, H.; MANDARINO, J. M. G. Teores de óleo e proteína em soja: fatores envolvidos e qualidade para a indústria. Comunicado Técnico, n. 86, 14 p., 1ª ed., 2015.

HANWAY, J. J.; THOMPSON, H. E. How a soybean plant develops, n. 53, 20 p., 1967.

RUSSELE, M. P.; WILHELM, W.; OLSON, R. A.; POWER, J. F. Growth analysis based on degree days. Crop Science, Madison, v. 24, n. 1, p. 28-32, 1984.

SCHNEIDER, F. M.; BURIOL, G. A.; HELDWEIN, A. B.; MANFRON, P. A.; SACCOL, A. V.; ESTEFANEL, V. Temperatura base e soma térmica do subperíodo semeadura emergência para algumas cultivares de soja (Glycine max (L.) Merrill). Revista do Centro de Ciências Rurais, v. 17, p. 299-308, 1987.

SILVA, E. H. F. M. da; LA MENZA, N. C.; MUNARETO, G. G.; ZANON, A. J.; CARVALHO, K. S.; MARIN, F. R. Soybean seed protein concentration is limited by nitrogen supply in tropical and subtropical environments in Brazil. The Journal of Agricultural Science, v. 161, n. 2, p. 279-290, 2023.

STRECK, N. A.; TIBOLA, T.; LAGO, I.; BURIOL, G. A.; HELDWEIN, A. B.; SCHNEIDER, F. M.; ZAGO, V. Estimativa do plastocrono em meloeiro (Cucumis melo L.) cultivado em estufa plástica em diferentes épocas do ano. Ciência Rural, v. 35, n. 6, p. 1275–1280, 2005.

TAGLIAPIETRA, E. L. et al. Ecofisiologia da soja: visando altas produtividades. Santa Maria, 432 p., ed. 2, 2022.

UMBURANAS, R. C.; YOKOYAMA, A. H.; BALENA, L.; LENHANI, G. C.; TEIXEIRA, A. M.; KRUGER, R. L.; KLAUS, R.; KAWAKAMI, J. Sowing dates and seeding rates affect soybean grain composition. International Journal of Plant Production, v. 12, p. 181–189, 2018.

WINCK, J. E. M.; TAGLIAPIETRA, E. L.; SCHNEIDER, R. A.; INKLMAN, V. B.; DALLA NORA, M.; SAVEGNAGO, C.; PAULA, L. S.; SILVA, M. R. da; ZANON, A. J.; STRECK, N. A. Decomposition of yield gap of soybean in environment × genetics × management in Southern Brazil. European Journal of Agronomy, v. 145, 2023.

YAZDI-SAMADI, B.; RINNE, R.W.; SEIF, R.D. Components of developing soybean seeds: oil, protein, sterch, organic acid and amino acids. Agronomy Journal, v. 69, p. 481-486, 1977.

Published

2024-02-20

How to Cite

Guarienti, V. F., Pavão, L. F. S., Maldaner, I. C., Follmann, D. N., Pes, L. Z., de Farias, M. S., Rubert, K., & dos Santos, E. D. (2024). Desempenho agronômico, teores de proteína e óleo de cultivares de soja em ambiente de terras baixas com ocorrência de La Niña. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 22(2), e3338. https://doi.org/10.55905/oelv22n2-161

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)