Utilização da termografia ir no esporte de alto rendimento

Authors

  • Fabiano de Barros Souza
  • Miguel Neto Ambrósio
  • Roberto Gomes Monção
  • Flavia Villaça Morais
  • Iury Rojahn
  • Denilson Nogueira de Moraes
  • Daniel Vilela Nogueira

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv22n2-151

Keywords:

termografia, medicina esportiva, traumatismos em atletas

Abstract

Introdução: O estudo se pauta na utilização da termografia IR no esporte de alto rendimento. A termografia consiste em uma técnica não invasiva que se utiliza de uma câmera térmica de Infravermelho (IR), específica, que capta a radiação IR emitida pelo corpo através da pele. É um método complementar de imagem para a avaliação de risco de lesão por identificar de forma eficiente a alternância da temperatura no corpo do atleta. Com alternância de temperatura em pontos avaliados o profissional avaliador pode sugerir uma atividade metabólica aumentada e isso pode indicar regiões com uma inflamação em atividade, e isso é o que na termografia classificamos como hiper-reatividade. Objetivo: O artigo tem como objetivo abordar a importância da técnica, como ferramenta, para a prevenção de lesão no esporte de alto rendimento. Método: O artigo apresenta um levantamento bibliográfico referente à utilização da Termografia no Infravermelho (IR). Trata se de um estudo exploratório e de cunho qualitativo. Resultados: Avalia-se que a literatura tem demonstrado a importância desta técnica no esporte, uma vez que sua aplicação é simples, eficaz e propicia um maior controle na recuperação muscular dos atletas e uma prevenção de lesões em outras estruturas que no esporte acabam sendo mais exigidas, como as articulações, ligamentos e tendões. Conclusão: Pode-se concluir que a termografia é uma importante e fidedigna ferramenta no acompanhamento dos esforços causados pelos treinamentos e competições, sendo relevante para o controle do desgaste físico e diagnóstico de lesões musculares.

References

ABREU, P. C. L. et al. Incidência de lesões em atletas de diferentes modalidades esportivas durante os Jogos Regionais de Sertãozinho – SP de 2016. Rev. Ling. Acad., v. 7, n. 1, p. 63-73, 2017.

ARFAOUI, A. et al. Infrared thermography in sports activity. In Prakash RV. Infrared Thermography. Intecopen, p.141-68, 2012. DOI: 10.5772/30268.

BANDEIRA, F. et al. Pode a termografia auxiliar no diagnóstico de lesões musculares em atletas de futebol? Rev Bras Med Esporte, v. 18, n. 4, p. 246-51, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-86922012000400006.

BANDEIRA, F. et al. A termografia no apoio ao diagnóstico de lesão muscular no esporte. Rev Bras Med Esporte, v. 20, n. 1, p. 59–64, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/S1517-86922014000100012.

BRUKNER, P.; KHAN, K. Brukner & Khan’s clinical sports medicine. 4th ed. New York: McGraw-Hill Education; 2006.

CÔRTE, A. C. R.; HERNANDEZ, A. J. Termografia médica infravermelha aplicada à medicina do esporte. Rev Bras Med Esporte, n. 22, p. 315-319, 2016. DOI: https://doi.org/10.1590/1517-869220162204160783.

DAAMECHE, H. R. T. S.; IPOLITO, M. Z.; MATHEUS, J. P. C. Indicadores de lesão e inflamação muscular em atletas – revisão integrativa da literatura. Rev Edu Saúde., v. 6, n. 1, p. 90-98, 2018. DOI: 10.29237/2358-9868.2018v6i1.p90-98.

DIAS, M. H.; SOUSA, E. L. A. Esporte de alto rendimento: reflexões psicanalíticas e utópicas. Psicol Soc., v. 24, n. 3, p. 729-738, 2012. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-71822012000300026.

FERNANDES, A. A. et al. Avalição de temperatura da pele durante o exercício através da termografia infravermelha: Uma revisão sistemática. Rev Andal Med Deport., v. 5, n. 3, p. 113-117, 2012. DOI: https://doi.org/10.1016/S1888-7546(12)70017-5.

FERNANDES, A.A. et al. Regional skin temperature response to moderate aerobic exercise measured by infrared thermography. Asian J Sports Med., v. 7, n. 1, p. 1-8, 2016. DOI: 10.5812/asjsm.29243.

FERREIRA, J. J. et al. Exercise-associated thermographic changes in young and elderly subjects. Ann Biomed Eng., v. 36, n. 8, p. 1420-7, 2008. DOI: 10.1007/s10439-008-9512-1.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas; 2008.

HERDEIRO, R. C. A relação entre esporte escolar e esporte de alto rendimento: recreação, reprodução e distinção. 151 f. 2013. Brasília. Dissertação (Mestrado em Educação Física) - Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

KELLOG, D. L.; PÉRGOLA, P. Skin Response to exercise and training. In: GARRETT, W.E.; KIRKENDALL, D.T. Exercise and Sports Science. New York: Lippincott Williams &Wilkins; 2000. p. 239-50.

LUCAS, R. W. D. C.; BRIOSCHI, M. L. Termografia aplicada à fisioterapia. Florianópolis: Sistema Wallace Consultoria Ltda, 2016.

MELNIZKY, P.; SCHARTELMÜLLER, T.; AMMER, K. Prüfung der intra- und interindividuellen Verlässlichkeit der Auswertung von Infrarot-Thermogrammen. Eur J Thermol., n. 7, p. 224–6, 1997.

MERLA, A. et al. Thermal imaging of cutaneous temperature modifications in runners during graded exercise. Ann Biomed Eng., v. 38, n. 1, p. 158-63, 2010. DOI: 10.1007/s10439-009-9809-8.

NEVES, E. B.; REIS, V. M. Fundamentos da termografia para o acompanhamento do treinamento desportivo. Rev Uniandrade, v. 15, n. 2, p. 79-86, 2014. DOI: https://doi.org/10.5935/revuniandrade.v15i2.135.

PRIEGO QUESADA, J. I. et al. Relationship between skin temperature and muscle activation during incremental cycle exercise. J Therm Biol., n. 48, p. 28-35, 2015. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jtherbio.2014.12.005.

RING, E. F.; AMMER, K. Thermal imaging in sports medicine. Sport Med Today, v. 1, n. 2, p. 108-9, 1998.

RING, E.F.; AMMER, K. Infrared thermal imaging in medicine. Physiol Meas., v. 33, n. 3, p. 33-46, 2012. DOI: 10.1088/0967-3334/33/3/R33.

ROSE, G.; TADIELLO, F.T.F.; ROSE JÚNIOR, D. R. Lesões esportivas: um estudo com atletas do basquetebol brasileiro. Lect Educ Fis Deportes, v. 10, n. 94, 2006. Disponível em: https://www.efdeportes.com/efd94/lesoes.htm. Acesso em: 20 jan. 2023.

RUBIO, K. O atleta e o mito do herói. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2001.

SILVA, F. O. C.; MACEDO, D. V. Exercício físico, processo inflamatório e adaptação: uma visão geral. Rev. Bras. Cineantropom. Desempenho Hum., v. 13, n. 4, p. 320–328, 2011. DOI: https://doi.org/10.5007/1980-0037.2011v13n4p320.

STURION, M. A. T. et al. Termografia infravermelha em medicina veterinária: histórico, princípios básicos e aplicações. Vet Zootec., n. 27, p. 1-20, 2020. DOI: https://doi.org/10.35172/rvz.2020.v27.473

TKACOVA, M. et al. An importance of camera - subject distance and angle in musculoskeletal application of medical thermography. Acta Electrotechnica et Informatica, n. 10, p. 57-60, 2010.

Published

2024-02-19

How to Cite

Souza, F. de B., Ambrósio, M. N., Monção, R. G., Morais, F. V., Rojahn, I., de Moraes, D. N., & Nogueira, D. V. (2024). Utilização da termografia ir no esporte de alto rendimento. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 22(2), e3319. https://doi.org/10.55905/oelv22n2-151

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)