Os caminhos da sustentabilidade no Brasil: estudo de caso baseado em indicadores de sustentabilidade

Authors

  • Lineardo Ferreira de Sampaio Melo
  • Péricles Luiz Picanço Júnior
  • Giovana Mira de Espindola

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv22n1-173

Keywords:

desenvolvimento sustentável, IDSC-BR, mandala ODS

Abstract

No Brasil, a sustentabilidade surgiu como uma prioridade em resposta aos desafios ambientais, sociais e econômicos. O país enfrenta questões como desmatamento, queimadas, poluição, crescimento urbano desordenado, desigualdades sociais e econômicas entre outros problemas ambientais que impactam diretamente na sustentabilidade. Nesse contexto, surgiram iniciativas importantes, como o Índice de Desenvolvimento Sustentável das Cidades Brasileiras (IDSC-BR) e a Mandala ODS da Confederação Nacional de Municípios (CNM). Essas ferramentas refletem o compromisso do país em lidar com os desafios socioambientais. No entanto, para efetivar mudanças significativas, é essencial o engajamento contínuo dos diversos atores sociais, como governo, setor privado e comunidade civil, visando transformações concretas rumo a um futuro mais sustentável e equitativo para todos. Esse artigo objetiva refletir sobre os caminhos da sustentabilidade no Brasil.

References

Acselrad, H. (2009). A duração das cidades: sustentabilidade e risco nas políticas urbanas (2. ed.). Rio de Janeiro: Lamparina.

AHMADIAN, Ehsan et al. Sustainable cities: The relationships between urban built forms and density indicators. Cities, [S. L.], v. 95, p. 1-15, dez. 2019. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.cities.2019.06.013. Acesso em: 01 ago. 2020.

ALMEIDA, Suise Carolina Carmelo de; GONÇALVES, Luciana Márcia. Indicadores de Sustentabilidade Urbana: panorama das principais ferramentas utilizadas para gestão do desenvolvimento sustentável. Revista Científica ANAP Brasil, [S.l.], v. 11, n. 22, out. 2018. ISSN 1984-3240. Disponível em DOI: http://dx.doi.org/10.17271/19843240112220181857. Acesso em: 12 Mai. 2021.

ARAUJO, K. Z. S. M. Planejamento urbano e políticas de gestão pública de ordenamento do território no Brasil. Revista do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, [S. l.], v. 31, n. 2, p. 9–22, 2019. Disponível em: https://revista.trf1.jus.br/trf1/article/view/124. Acesso em: 12 mar. 2023.

BEZERRA, A. L. R.; FELIPE, A. J. V.; GUEDES, L. R.; DA SILVA, T. B.; MENDES, L. P. T.; DE SOUZA, M. C. R.; ANDRADE, S. S. F.; BATISTA, L. S. Aplicação do Índice de Mobilidade Urbana Sustentável para avaliar a qualidade da mobilidade urbana: um estudo de caso para Patos – PB. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, [S. l.], v. 21, n. 5, p. 2630–2650, 2023. DOI: 10.55905/oelv21n5-016. Disponível em: https://ojs.observatoriolatinoamericano.com/ojs/index.php/olel/article/view/558. Acesso em: 21 jul. 2023.

BRASIL. Lei nº 10.257, de 10 de julho de 2001. Estatuto da Cidade. Brasília, DF, 10 jul. 2001. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/LEIS_2001/L10257.htm . Acesso em: 10 ago. 2020.

CMMD, 1987. Report of the World Commission on Environment and Development: Our Common Future. Oxford: Oxford University Press.

CNM - Confederação Nacional de Municípios. Guia para Integração dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável nos Municípios Brasileiros – Gestão 2017-2020 –Brasília, DF: CNM, 2017.

CNM - Confederação Nacional de Municípios. Índice avalia desenvolvimento sustentável de mais de 700 cidades brasileiras. 2021. © Copyright 2016 Confederação Nacional de Municípios. Disponível em: http://www.ods.cnm.org.br/. Acesso em: 27 mar. 2021.

CNM - Confederação Nacional de Municípios. POLÍTICA DE PRIVACIDADE E PROTEÇÃO DE DADOS – Brasília, DF: CNM, Disponível: https://www.cnm.org.br/informe/exibe/politicadeprivacidade#:~:text=O%20maior%20objetivo%20da%20CNM,qualidade%20de%20vida%20da%20popula%C3%A7%C3%A3o . Acesso: 08 ago. 2022.

DA MATTA, L. G.; VERDAN, M. F. Construção histórica do conceito de desenvolvimento e suas múltiplas abordagens. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, [S. l.], v. 21, n. 11, p. 18853–18875, 2023. DOI: 10.55905/oelv21n11-015. Disponível em: https://ojs.observatoriolatinoamericano.com/ojs/index.php/olel/article/view/1549 . Acesso em: 12 dez. 2023.

ELIAS, D. Mitos e nós do agronegócio no Brasil. GEOUSP Espaço e Tempo (Online), [S. l.], v. 25, n. 2, p. e-182640, 2021. DOI: 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2021.182640. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/182640. Acesso em: 13 jun. 2023.

FARIAS, M. D. de. Diagnóstico socioambiental no Cabo de Santa Marta, Laguna/SC : subsídios ao Desenvolvimento Territorial Sustentável / Dissertação (Mestrado) - Universidade do Extremo Sul Catarinense, Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais, Criciúma, 2016.

FRARE, Matheus B.; CLAUBERG, Ana P. C.; SEHNEM, Simone; CAMPOS, Lucila M. S.; SPULDARO, Juliano. Toward a sustainable development indicators system for small municipalities. Sustainable Development, [s. l], v. 28, n. 5, p. 1148-1167, 19 jun. 2020. Disponível em DOI: https://doi.org/10.1002/sd.2065. Acesso em: 06 abr. 2021.

GUERRA, Maria Eliza Alves; LOPES, Anaísa Filmiano Andrade. PROGRAMA CIDADES SUSTENTÁVEIS: O Uso de Indicadores de Sustentabilidade como critério de avaliação do ambiente urbano. Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes, [S.l.], v. 3, n. 7, ago. 2015. ISSN 2317-8604. Disponível em: DOI: http://dx.doi.org/10.17271/23178604372015972. Acesso em: 26 Mar. 2021.

HAYASHI, Carmino; SILVA, Leonardo Henrique de Almeida e. A GESTÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE NO BRASIL. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista, [S.l.], v. 11, n. 7, dez. 2015. ISSN 1980-0827. Disponível em DOI: http://dx.doi.org/10.17271/1980082711720151222. Acesso em: 23 abr. 2021.

IDSC-BR - Índice de Desenvolvimento Sustentável das Cidades – Brasil. Apresentação Índice de Desenvolvimento Sustentável das Cidades – Brasil. 2021. Disponível em: https://idsc-br.sdgindex.org/introduction . Acesso em: 10 maio 2021.

MALHEIROS, T. F; COUTINHO, S. M. V; PHILIPPI JR, A. Desafios do uso de indicadores na avaliação da sustentabilidade. In: Indicadores de Sustentabilidade e Gestão Ambiental. Editores: Philippi JR, Arlindo; Malheiros, Tadeu Fabrício. Barueri, SP: Manole, 1ªedição, 2013.

MARINS, K. R. de C. C. Análise comparativa multicriterial de estratégias em sustentabilidade urbana aplicada aos bairros da Cidade Pedra Branca (Palhoça, SC) e Vauban (Freiburg, Alemanha). Ambiente Construído, Porto Alegre, v. 16, n. 4, p. 393-408, out./dez. 2016.

MARTINS, Maria de Fátima; CANDIDO, Gesinaldo Ataíde. Modelo de avaliação do nível de sustentabilidade urbana: proposta para as cidades brasileiras. urbe, Rev. Bras. Gest. Urbana, Curitiba, v. 7, n. 3, p. 397-410, Dec. 2015. Available from https://doi.org/10.1590/2175-3369.007.003.AO09. . access on: 24 set. 2020. Epub Sep 18, 2015.

MMA - Ministério do Meio Ambiente. Cidades Sustentáveis. Disponível em: https://www.mma.gov.br/cidades-sustentaveis.html . Acesso em: 20 jul. 2020.

MMA - Ministério do Meio Ambiente. Convenção das Nações Unidas de combate à desertificação nos países afetados por seca grave e/ou desertificação, particularmen-te na África. 3. ed. Brasília: MMA, 2006.

ONU. Organização das Nações Unidas. Transformando Nosso Mundo: A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. 2015. Disponível em: https://nacoesunidas.org/wpcontent/uploads/2015/10/agenda2030-pt-br.pdf Acesso em 01 set. 2019.

ROSSETO, A. M. Proposta de um Sistema Integrado de Gestão do Ambiente Urba-no (SIGAU) para o desenvolvimento sustentável de Cidades. 404f. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003.

RUAN, Fangli; YAN, Liang; WANG, Dan. The complexity for the resource-based cities in China on creating sustainable development. Cities, [S. L.], v. 97, p. 1-10, fev. 2020. Disponível em DOI: https://doi.org/10.1016/j.cities.2019.102571 . Acesso em: 10 ago. 2020.

SACHS, I. Estratégias de transição para o século XXI. In: BURSZTYN, M. Para Pensar o Desenvolvimento Sustentável. São Paulo: Brasiliense, 1993. p. 29-56.

SACHS, Ignacy. Caminhos para o desenvolvimento sustentável. 3ª ed. Rio de Janeiro. Garamond. 2002

SANTOS, J. C. de O. A Aplicação do Sistema de Informação Geográfica em Estudos Ambientais In: Revista Digital Simonsen, Nº, 2019. Disponível em: www.simonsen.br/revistasimonsen ISSN:2446-5941 . Acesso em: 16 set. 2019

SILVA, Vinícius de Azevedo. Sistema de informações geográficas no planejamento e gestão de recursos hídricos do Município de Barra Mansa – RJ. 2023. 84 f. Disser-tação (Programa de Pós-Graduação em Gestão e Regulação de Recursos Hídricos (PROF-ÁGUA)) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2023.

SILVA, C. F. M.; FREITA, N. B.; ALVES, A. S. Análise socioambiental no Pólo de Jeremoabo-BA: relação entre desertificação e desigualdade socioeconômica no sertão semiárido. In: Anais Seminário de Iniciação Científica, n. 22, 2018. Disponível em: http://periodicos.uefs.br/index.php/semic/article/view/3907/3128 . Acesso em: 13 junho 2021.

VEIGA, José Eli da. A primeira utopia do antropoceno. Ambiente & Sociedade. São Paulo, v. XX, n. 2, abr./jun. 2017, p. 233-252. Disponível em DOI: https://doi.org/10.1590/1809-4422ASOCEx002V2022017 Acesso em: 28 abril 2022.

VINCENZI, Silvana Ligia; POSSAN, Edna; ANDRADE, Dalton Francisco de; PITUCO, Mateus Mestriner; SANTOS, Tiago de Oliveira; JASSE, Ermínio Pita. Assessment of environmental sustainability perception through item response theory: a case study in brazil. Journal Of Cleaner Production, [s. l], v. 170, p. 1369-1386, 01 jan. 2018. Disponível em DOI: https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2017.09.217 . Acesso em: 10 maio 2021.

XIA, Han; ZHANG, Wanshun; HE, Lian; MA, Mengyue; PENG, Hong; LI, Lin; KE, Qian; HANG, Panpan; WANG, Xintang. Assessment on China’s urbanization after the implementation of main functional areas planning. Journal Of Environmental Management. [s. L.], p. 1-10. 23 mar. 2020. Disponível em DOI: https://doi.org/10.1016/j.jenvman.2020.110381 . Acesso em: 31 maio 2020

Published

2024-01-25

How to Cite

Melo, L. F. de S., Picanço Júnior, P. L., & de Espindola, G. M. (2024). Os caminhos da sustentabilidade no Brasil: estudo de caso baseado em indicadores de sustentabilidade. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 22(1), 3287–3308. https://doi.org/10.55905/oelv22n1-173

Issue

Section

Articles