Potenciais usuários sabem buscar a unidade de saúde adequada à sua necessidade? Estudo de caso na Universidade Estadual do Ceará

Authors

  • Antonio Maxwell Lima Acacio
  • Laiane Meire Oliveira Barros
  • Viviane Sthefanni Alves Rabelo
  • Maria Nayane Silva de Oliveira
  • Rutyleia Alves Soares
  • Moacir Cymrot

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv22n1-120

Keywords:

redes de atenção à saúde, portas de entrada, sistema único de saúde

Abstract

Nas últimas décadas o Sistema Único de Saúde (SUS) passou por uma reorientação do modelo assistencial. Na prática dos serviços de saúde verifica-se que o usuário do SUS ainda encontra dificuldades para transitar dentro da Rede de Atenção à Saúde (RAS). Desse modo, esse trabalho teve como objetivo investigar o conhecimento dos estudantes da Universidade Estadual do Ceará (UECE) acerca das portas de entrada da RAS em Fortaleza. Para isso, foi realizado um estudo de caráter transversal, exploratório, quantitativo e descritivo, utilizando a ferramenta Google forms. Apesar de a maioria dos respondentes ter demonstrado bom domínio acerca das portas de entrada da RAS, foi observado em algumas questões que parcela considerável não soube identificar qual unidade de saúde seria adequada à situação proposta.

References

ALFRADIQUE, M. E. et al. Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista brasileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP-Brasil). Cadernos de Saúde Pública, v. 25, p. 1337-1349, 2009.

ARAUJO, J. W. Ciência e senso comum: a divulgação do conhecimentono campo da saúde. Perspectivas em ciência da informação, v. 8, 2003.

ASSIS, M. M. A.; JESUS, W. L. A. Acesso aos serviços de saúde: abordagens, conceitos, políticas e modelo de análise. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 11, p. 2865-2875, 2012.

AZEVEDO, A. L. M de; COSTA, A. M. A estreita porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS): uma avaliação do acesso na Estratégia de Saúde da Família. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 14, p. 797-810, 2010.

BEAGLEY, J. et al. Global estimates of undiagnosed diabetes in adults. Diabetes research and clinical practice, v. 103, n. 2, p. 150-160, 2014.

BEZERRA, R. Casos de hanseníase crescem no Ceará; 1.700 novos registros em 2018. Diário do Nordeste, Fortaleza, 13 jan. 2019.10 jun. 2014. Saúde. Disponível em: https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/metro/casos-de-hanseniase-crescem-no-ceara-1-700-novos-registros-em-2018-1.2049395. Acesso em: 24 out. 2023.

BRASIL. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Lei Orgânica da Saúde. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília, set. 1990.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Rastreamento / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: diabetes mellitus – Brasília: Ministério da Saúde, 2013. 160 p.: il. (Cadernos de Atenção Básica, n. 36).

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Normas técnicas de profilaxia da raiva humana. Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h). 2023. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/u/upa-24h. Acesso em: 22 nov. 2023.

CAMPOS, R. T. O. et al. Avaliação da qualidade do acesso na atenção primária de uma grande cidade brasileira na perspectiva dos usuários. Saúde em Debate, v. 38, p. 252-264, 2014.

CAVALCANTE, K. K. de S.; ALENCAR, C. H. Raiva humana: avaliação da prevalência das condutas profiláticas pós-exposição no Ceará, Brasil, 2007-2015. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 27, 2018.

CAVALCANTI, F. M. O usuário do SUS Sistema Único de Saúde e seus direitos: Uma revisão de literatura. 2014. 32f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Administração Pública - EAD) - Universidade Estadual da Paraíba, Pombal, 2014. Disponível em: <http://dspace.bc.uepb.edu.br/jspui/handle/123456789/7820>. Acesso em: 10 set. 2023.

CEARÁ (Estado). Secretaria de Saúde. Centro de Dermatologia Dona Libânia. 2017a. Disponível em: https://www.saude.ce.gov.br/donalibania/. Acesso em: 24 nov. 2023.

CEARÁ (Estado). Secretaria de Saúde. Dia Mundial de Combate à Raiva, prevenção e vigilância evitam a doença. 2017b. Disponível em: https://www.ceara.gov.br/2017/09/28/dia-mundial-de-combate-raiva-prevencao-e-vigilancia-evitam-doenca/. Acesso em: 26 set. 2023.

CEARÁ (Estado). Secretaria de Saúde. Saúde orienta sobre prevenção e tratamento de hanseníase. 2019. Disponível em:https://www.ceara.gov.br/2019/01/11/saude-orienta- sobre-prevencao-e-tratamento-de-hanseniase/. Acesso em: 24 jul. 2023.

DUNCAN, Bruce Bartholow et al. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: prioridade para enfrentamento e investigação. Revista de saúde pública, v. 46, p. 126-134, 2012.

FORTALEZA. Secretaria Municipal da Saúde. Coordenadoria das Políticas e Organização das Redes da Atenção à Saúde. Células de atenção às condições Crônicas. Diretrizes clínicas: Hipertensão Arterial. Fortaleza: Secretaria Municipal da Saúde de Fortaleza, 2016.

FREITAS, D. A. de; SOUZA-SANTOS, R.; WAKIMOTO, M. D. Acesso aos serviços de saúde por pacientes com suspeita de dengue na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 24, p. 1507-1516, 2019.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GIROTTO, E. et al. Adesão ao tratamento farmacológico e não farmacológico e fatores associados na atenção primária da hipertensão arterial. Ciência & Saúde Coletiva, v. 18, p. 1763-1772, 2013.

MOTA, R. S. S. et al. Perfil da profilaxia antirrábica humana pré-exposição no estado do Rio Grande do Sul, 2007-2014. Epidemiol. Serv. Saude, Brasília, v. 25, n. 3, p. 511-518, jul-set, 2016.

OLIVEIRA, F. F. de et al. Itinerário terapêutico de pessoas idosas com Diabetes Mellitus: implicações para o cuidado de enfermagem. Rev. Bras. Enferm., v. 74, n. 3, e20200788, 2021.

OLIVEIRA, L. H. de; MATTOS, R. A. de; SOUZA, A. I. S. de. Cidadãos peregrinos: os" usuários" do SUS e os significados de sua demanda a prontos-socorros e hospitais no contexto de um processo de reorientação do modelo assistencial. Ciência & Saúde Coletiva, v. 14, p. 1929-1938, 2009.

RODRIGUES, L. B. B. et al. A atenção primária à saúde na coordenação das redes de atenção: uma revisão integrativa. Ciência & Saúde Coletiva, v. 19, p. 343-352, 2014.

SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE DE FORTALEZA. Diretrizes clínicas: Diabetes Mellitus – Fortaleza, 2016. 139 p. Disponível em: https://saude.fortaleza.ce.gov.br/images/Diretrizes_Clinicas_2016/Diretrizes_diabetes_hipertensao_pdf.pdf. Acesso em: 07 out 2023.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2019-2020. 2019. Clannad Editora científica. Disponível em: https://www.diabetes.org.br/profissionais/images/DIRETRIZES-COMPLETA-2019-2020.pdf. Acesso em: 07 out 2023.

SOUZA, Á. P. S. et al. Novas perspectivas do diagnóstico e tratamento da hanseníase. Referências em Saúde do Centro Universitário Estácio de Goiás, v. 2, n. 02, p. 75-81, 2019.

VALENTIM, L V.; KRUEL, A. J. A importância da confiança interpessoal para a consolidação do Programa de Saúde da Família. Ciência & Saúde Coletiva, v. 12, n. 3, p. 777–788, 2007.

ZEFERINO, A. M. B.; ZANOLI, M. de L.; ANTONIO, M. Â. R. de G. M. Experiência da atenção integral à saúde individual e familiar com enfoque na responsabilização, vínculo médico-paciente, ética e profissionalismo no Currículo Médico Integrado: Relato de Experiência. Rev. bras. educ. med., v. 36, n. 2, 2012.

Published

2024-01-22

How to Cite

Acacio, A. M. L., Barros, L. M. O., Rabelo, V. S. A., de Oliveira, M. N. S., Soares, R. A., & Cymrot, M. (2024). Potenciais usuários sabem buscar a unidade de saúde adequada à sua necessidade? Estudo de caso na Universidade Estadual do Ceará. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 22(1), 2302–2319. https://doi.org/10.55905/oelv22n1-120

Issue

Section

Articles