Políticas educacionais para a educação inclusiva: elementos relevantes para a educação especial e o atendimento do aluno com deficiência

Authors

  • Maira Cristiane Benites
  • Cidnei Amaral de Mello

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv22n1-115

Keywords:

políticas educacionais, educação inclusiva, educação especial

Abstract

O presente texto tem como objetivo discutir as políticas educacionais para a Educação Inclusiva considerando como parte central os elementos relevantes para a inclusão de alunos com deficiência na escola regular, no Brasil. Partindo das legislações que tratam sobre o tema  e os contextos históricos das políticas educacionais voltadas para a inclusão da pessoa com deficiência na escola regular, garantindo assim o direito de acesso a Educação, desde a promulgação da Constituição Federal do Brasil, em 1988. Descrevem-se os aportes legais para a efetivação do direito à educação no ensino regular em classe comum, incluindo-se especificidades que, comumente, eram desconhecidas a muitos. Considera-se ainda que a chegada de alunos com deficiência na escola, provocou a necessidade de repensar a Educação, em todos os aspectos, partindo da especificidade do indivíduo e não generalizando, como se todos fossem iguais, mas sim entendendo que o centro das açoes desenvolvidas na escola seja a diferença, onde cada sujeito possui singularidade e subjetividade.

References

BAPTISTA, Claudio Roberto. Ação pedagógica e educação especial: a sala de recursos como prioridade na oferta de serviços especializados. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 17, n. esp. p. 59-76, 2011.

BEHRENS, Marilda Aparecida. Projetos de aprendizagem colaborativa num paradigma emergente. In: MORAN, José Manuel; MASETTO, Marcos Tarciso; BEHRENS, Marilda Aparecida. Novas tecnologias e mediação pedagógica. 21. ed. rev. atual. Campinas: Papirus, 2013. p. 73-140.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Senado, 5 out. 1988.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: MEC, 1996. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm>. Acesso em: 25 maio 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacionalde Educação Especial. Brasília: MEC/SEESP, 1997.

BRASIL. Decreto nº 3.298, de 29 de dezembro de 1999. Regulamenta a Lei no 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consolida as normas de proteção, e dá outras providências.Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm> . Acesso em 6 jul. 2022.

BRASIL. IBGE. Censo Demográfico, 2000. Disponível em: . Acesso em: 20 ago 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Secretaria de Educação Especial. MEC, SEESP, 2001b.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CEB nº 2, de 11 de fevereiro de 2001c. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/res2_b.pdf>. Acesso em: 2 jun. 2022.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CEB nº 2, de 11 de setembro de 2001d. Institui as Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 14 set. 2001. Seção 1E. p. 39-40.

BRASIL. Decreto nº 3.956, de 8 de outubro de 2001e. Promulga a Convenção Interamericana para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra as Pessoas Portadoras de Deficiência. Guatemala (Espanha). 28 de maio de 1999. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/guatemala.pdf>. Acesso em: 20 jul. 2022.

BRASIL. Decreto Nº 5.296 de 2 de dezembro de 2004. Regulamenta a Lei no10.048, de 8 de novembro de 2000, que dá prioridade de atendimento às pessoas que especifica, e nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000, que estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida e dá outras providências. Disponível em:

<http://www.planalto.gov.br/civil_03/_Ato2004-2006/2004/Decreto/D5296.htm>. Acesso em: 7 maio 2022.

BRASIL. INEP. Censo Escolar, 2006. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2022.

BRASIL. Decreto n° 6.094, de 24 de abril de 2007a. Dispõe sobre a implementação do Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação, pela União Federal, em regime de colaboração com Municípios, Distrito Federal e Estados, e a participação das famílias e da comunidade, mediante programas e ações de assistência técnica e financeira, visando a mobilização social pela melhoria da qualidade da educação básica. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Brasília, DF, 2007.

BRASIL. Ministério da Educação. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. 2008a. Disponível em: . Acesso em: 15 nov. 2020.

BRASIL. Decreto nº 6.571, de 17 de setembro de 2008. Dispõe sobre o Atendimento Educacional Especializado, regulamenta o Parágrafo único do Art. 60, da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, e acrescenta dispositivo ao Decreto nº 6.253, de 13 de novembro de 2007.

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CEB nº 4/2009, de 2 outubro de 2009. Institui Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade Educação Especial. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 out. 2009a. Seção 1. p. 17.

BRASIL. Decreto n° 6.949, de 25 de agosto de 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo facultativo. Organização das Nações Unidas – ONU.

BRASIL. SDHPR - Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência - SNPD. 2009. Disponível em: <http://www.pessoacomdeficiencia.gov.br/app/publicacoes/tecnologia-assistiva>. Acesso em 22 jul. 2022.

BRASIL. Ministério da Educação. Marcos Político-Legais da Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: Secretaria de Educação Especial, 2010.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Decreto n° 7.611, de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação especial, o atendimento especializado e dá outras providências. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 18 nov. 2011. p. 12. Disponível em< Decreto nº 7611 (planalto.gov.br)>: Acesso em: 22 maio 2022.

BRASIL. Decreto n° 7.612, de 17 de novembro de 2011. Institui o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência-Plano Viver sem Limite. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 18nov. 2011b. Disponível em:

<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7612.htm>. Acesso em: 7 maio 2022.

BRASIL. Lei nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista; e altera o § 3º do art. 98 da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990.

BRASIL. SDHPR - Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência - SNPD. 2012. Disponível em: <http://www.pessoacomdeficiencia.gov.br/app/>. Acesso em 22 jul. 2022.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm>. Acesso em: 25 maio 2022.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2017. 58 p.

BRASIL. Ministério da Educação. Programa Educação Inclusiva: Direito à Diversidade. Apresentação. 2018. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/secretaria-de-educacao-especial-sp-598129159/programas-e-acoes?id=250.

BRASIL. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Censo da educação básica 2020: resumo técnico [recurso eletrônico] – Brasília: Inep, 2021b. 70 p.: il. https://download.inep.gov.br/publicacoes/institucionais/estatisticas_e_indicadores/resumo_tecnico_censo_escolar_2020.pdf

BUENO, José Geraldo Silveira. Educação especial brasileira: a integração/segregação do aluno diferente. 1991. 214 p. Tese (Doutorado em Educação). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC, São Paulo: SP, 1991.

CARVALHO. Rosita Edler. Educação Inclusiva: do que estamos falando? In: Revista Educação Especial, nº 26, Santa Maria, 2005. Disponível em: www.ufsm.br/ce/revistas. Acessado em: 16/12/2022.

CUNHA, Eugênio. Autismo na escola: um jeito diferente de aprender, um jeito diferente de ensinar – ideias e práticas pedagógicas. Rio de Janeiro: Wak Editora, 2015.

CUNHA, Nathália Moreira da; MAGALHÃES, Joyce Goulart; SILVA, Suzanli Estef. Plano Educacional Individualizado (PEI) como instrumento na aprendizagem mediada: pensando sobre práticas pedagógicas. In: GLAT, Rosana; PLETSCH, Márcia Denise. Estratégias educacionais para alunos com necessidades especiais. Rio de Janeiro: UERJ, 2013. p. 33-48.

CURY, Carlos Roberto Jamil. A Educação Básica como Direito. Cadernos de Pesquisa, v. 38, n. 134, mai./ago. 2008.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Direito à educação: direito à igualdade, direito à diferença. Cadernos de Pesquisa, n.116, p.245-262, jun. 2002.

CURY, Carlos Roberto Jamil, A Educação como desafio na ordem jurídica. In: LOPES, E. M. T.; GREIVE, C.; FARIA FILHO, L. (orgs.) 500 anos de educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2000, p.567-584. Os Fora de série na escola. Campinas: Autores Associados, 2005.

CURY, Carlos Roberto Jamil. et al. Medo à liberdade e compromisso democrático: LDB e Plano Nacional de Educação. São Paulo: Editora do Brasil, 1997.

DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir: Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI. Trad. José Carlos Eufrázio. São Paulo: Cortez Editora. Brasília: Unesco, 2001.

FIGUEIREDO, Rita Vieira de. Políticas de inclusão: escola-gestão da aprendizagem na diversidade. In: ROSA, Dalva E. Gonçalves; SOUZA, Vanilton C. de. Políticas organizativas e curriculares, educação inclusiva e formação de professores. Rio de Janeiro: DP&A, p. 67-78, 2002.

GARCIA, Rosalba Maria Cardoso. Políticas públicas de inclusão: uma análise no campo da educação especial brasileira. 2004, 227p. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina (PR), 2004.

GARCIA, Rosalba Maria Cardoso. Políticas inclusivas na educação: do global ao local. In: BAPTISTA, Cláudio Roberto; CAIADO, Kátia Regina Moreno; JESUS, Denise Meyrelles de (Org.). Educação especial: diálogo e pluralidade. 1 ed. Porto Alegre: Mediação, 2008. V. 1, p. 11-23.

GARCIAS, Gilberto Lima. De monstros e outros seres humanos: pequena história sobre defeitos congênitos. Pelotas: Educar, 2002.

GLAT, Rosana; BLANCO, Leila de Macedo Varela. Educação Especial no contexto de uma Educação Inclusiva. In: GLAT, Rosana. Educação Inclusiva: cultura e cotidiano escolar. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2007, p. 15-35.

GLAT, Rosana; FONTES, Rejane de Souza; PLETSCH, Márcia Denise. Uma breve reflexão sobre o papel da educação especial frente ao processo de inclusão de pessoas com necessidades educacionais especiais em rede regular de ensino, Revista da Unigranrio, n.º 6, Duque de Caxias/RJ, novembro de 2006.

GLAT, Rosana; PLETSCH, Márcia Denise; FONTES, Rejane de Souza. Educação inclusiva e educação especial: propostas que se complementam no contexto da escola aberta à diversidade. Educação, 32(1) ,2007.

Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/678. Acesso em: 18 de dezembro de 2022.

GODOY, Andrea et al. Cartilha da Inclusão dos direitos das pessoas com deficiência. Belo Horizonte: PUC- Minas, 2000.

HOWES NETO, Guilherme. Dialética e Andronormatividade: o Trabalho Pedagógico na Gramática do capital. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, RS, 2017.

JANNUZZI, Gilberta Sampaio de Martino. A educação do deficiente no Brasil: dos primórdios ao início do século XXI. 2 ed. Campinas: Autores Associados, 2006.

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da escola pública a pedagogia crítico social dos conteúdos. São Paulo: Loyola, 1985.

LIBÂNEO, José Carlos. O campo do conhecimento pedagógico e a identidade profissional do pedagogo. In: LIBÂNEO, J. C. Pedagogia e pedagogos, para quê? 2. ed. São Paulo: Cortez, 1999. p. 17-34.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática na formação de professores: entre a exigência democrática de formação cultural e científica e as demandas das práticas socioculturais. In: SANTOS, Akiko e SUANNO, Marilza V. Didática e formação de professores: novos tempos, novos modos de aprender e ensinar. Porto Alegre: Sulina, 2013.

KASSAR, Monica de Carvalho Magalhães. Educação especial na perspectiva da educação inclusiva: desafios na implantação de uma política nacional. Educar em Revista, Curitiba, n. 41, p. 61-79, jul./set. 2011. Editora UFPR.

KASSAR, Mônica de Carvalho Magalhães; Andressa Santos Rebelo. O “Especial” na Educação, o Atendimento Especializado e a Educação Especial. VI Seminário Nacional de Pesquisa em Educação Especial. Nova Almeida-Serra/ES. Abril/2011

MANTOAN, Maria Teresa Eglér. Inclusão escolar: O que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Moderna, 2003.

MANTOAN. Maria Teresa Eglér. O direito de ser, sendo diferente, na escola. Revista CEJ. Brasília, n. 26, p. 36-44, 2004. Disponível em: <https://revistacej.cjf.jus.br/cej/index.php/revcej/article/view/622>. Acesso em: 13 jan. 2022.

MANTOAN, Maria Teresa Eglér. A Educação Especial no Brasil: da Exclusão à Inclusão Escolar. 2011. Disponível em: <https://www.sinprodf.org.br/wp-content/uploads/2012/01/mantoan.pdf>. Acesso em: 23 maio 2022 .

MANZINI, Eduardo José. Formação do professor para trabalhar com recursos de tecnologia assistiva: um estudo de caso em Mato Grosso. Educação e Fronteiras (On-line). Dourados, v.2, n.5, p. 98-113, 2012.

MENDES, Enicéia Gonçalves. A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Universidade Federal de São Carlos, Programa de Pós-Graduação em Educação Especial. Revista Brasileira de Educação v. 11 n. 33 set./dez. 2006.

PACHECO, José. Caminhos para inclusão: um guia para o aprimoramento da equipe escolar. Porto Alegre: Artmed, 2007.

PLETSCH, Marcia Denise. Repensando a inclusão escolar de pessoas com deficiência mental: diretrizes políticas, currículo e práticas pedagógicas. 2009. 254f. Tese (Doutorado em Educação), Universidade do Estado do Rio de Janeiro-UERJ, Rio de Janeiro, 2009.

PLETSCH, Marcia Denise; FONTES, Rejane de Souza. La inclusión escolar de alumnos con necesidades especiales: directrices, prácticas y resultados de la experiencia brasileña. Revista Educar: revista de Educación, nº 37. Jalisco, México, p. 87-97, 2006.

SAVIANI, Demerval. A pedagogia no Brasil: história e Teoria. Campinas: Autores As-sociados, 2008a.

SAVIANI, Demerval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 10. ed. Campinas: Autores Associados, 2008b.

SAVIANI, Demerval. História das ideias pedagógicas no Brasil. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 2010.

SAVIANI, Demerval. História, educação e transformação. Campinas: Autores Associ-ados. 2011.

SAVIANI, Demerval. Sistema Nacional de Educação e Plano Nacional de Educação: significado, controvérsias e perspectivas. Campinas: Autores Associados, 2014.

SHIROMA, Eneida Oto; CAMPOS, Roselaine Fátima; GARCIA, Rosalba Maria Cardoso. Decifrar textos para compreender a política: subsídios teórico-metodológicos para análise de documentos. Perspectiva – Dossiê Políticas públicas e educação no contexto da globalização. Florianópolis, v. 23, n. 2, p. 427-446, jul./dez. 2005. Disponível em: <http://www.ced.ufsc.br/nucleos/nup/perspectiva.html>. Acesso em: 11 jun. 2022.

SILVA, Aida Maria Monteiro A formação docente na perspectiva da educação inclusiva e a relação com os direitos humanos. In: SILVA, Ainda Maria Monteiro; COSTA, Valdelúcia Alves. da. (Orgs). Educação inclusiva e direitos humanos: perspectivas contemporâneas. São Paulo: Cortez, 2015. p. 91-116.

SOUZA, Celina. "Estado do campo" da pesquisa em políticas públicas no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol. 18, n. 51, p. 15-20, 2006.

VIEIRA, Evaldo. Democracia e política social. São Paulo: Cortez: Autores Associados, 1992.

VIEIRA, Evaldo. A política e as bases do direito educacional. Cadernos Cedes, Campinas, n. 55, p. 9-29, 2001. DOI: <http://dx.doi.org/10.1590/S0101-32622001000300002>. Acesso em 11 jun. 2022.

UNESCO. Declaração Mundial sobre Educação para Todos. Conferência Mundial sobre Educação para todos. Salamanca, Espanha, mar. 1990.

UNESCO. Declaração e Programa de Ação de Viena. Documento elaborado na Conferência Mundial sobre os Direitos Humanos de Viena, 1993.

UNESCO. Declaração de Salamanca. Sobre Princípios, Política e Práticas na Área das Necessidades Educativas Especiais. Salamanca, Espanha, jun. 1994. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0013/001393/139394por.pdf>. Acesso em: 02 jun. 2022.

Published

2024-01-18

How to Cite

Benites, M. C., & de Mello, C. A. (2024). Políticas educacionais para a educação inclusiva: elementos relevantes para a educação especial e o atendimento do aluno com deficiência . OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 22(1), 2199–2227. https://doi.org/10.55905/oelv22n1-115

Issue

Section

Articles