Análise da dinâmica temporal de uso e ocupação do solo da área de proteção ambiental Bororé Colônia (2015 a 2020)

Authors

  • Carlos Henrique Albano
  • Ednéia Aparecida dos Santos Galvanin

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv22n1-103

Keywords:

área de proteção ambiental, geotecnologias, uso do solo

Abstract

Este artigo apresenta o processo de ocupação humana em uma área de proteção ambiental localizada no Munícipio de São Paulo, a pressão que as atividades antrópicas, inerentes a produção da sociedade, exercem sobre o ambiente e o espaço bem como as diversas ocorrências na dinâmica da paisagem.  O objetivo deste trabalho é investigar a dinâmica de uso e ocupação da Área de Proteção Ambiental Bororé Colônia ao longo de 05 anos. Foram utilizadas as imagens do Satélite Sentinel-2 com 10 metros de resolução espacial, a classificação supervisionada no software ArcGIS 10.7.1, para validação dos dados foi realizada a matriz de confusão e o índice Kappa, utilizando a verdade terrestre através da imagem de satélite CBERS-4A, com 2 metros de resolução espacial. Os resultados revelam o aumento das áreas de espaços antropizados, sobretudo sobre a mata secundária e a pressão humana sobre as áreas de preservação ambiental. Este estudo produz subsídios para a gestão, planejamento espaço-territorial e políticas públicas para as áreas de proteção ambiental.

References

ARCHELA. R.S.; THÉRY. H. Orientação metodológica para construção e leitura de mapas temáticos. Confins, 2008. 54 p. Disponível em http://confins.revues.org/index3483.html. Acesso em: 31 mai. 2021.

BENARDELLI JÚNIOR, J. M. Conflitos socioambientais na APA Bororé-Colônia: o caso do Parque Natural Municipal Itaim. 2013. 150 p. Dissertação (Mestrado Profissional) - Universidade Nove de Julho/UNINOVE, São Paulo, 2013.

BRASIL. Lei nº 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1º, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal. Institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 19 de jul. 2000.

CÂMARA, G.(org.). Anatomia dos Sistemas de Informação Geográfica. 1. ed. Rio de Janeiro: DPI/INPE,1998. 205 p.

ESA. Sentinel-2 - Missions - Instrument Payload - Sentinel Handbook. Disponível em: https://sentinel.esa.int/web/sentinel/missions/sentinel-2/instrument-payload. Acesso em: 13 mai. 2021.

GEOSAMPA. Áreas verdes e área de preservação no munícipio de São Paulo. São Paulo: Prefeitura Municipal, 2017. Arquivo shapefile, metadados, escala 1:10000. Disponível em: http://geosampa.prefeitura.sp.gov.br/PaginasPublicas/_SBC.aspx. Acesso em: 01 jun. 2021.

LOCH, Ruth E. Nogueira. Cartografia: representação, comunicação e visualização de dados espaciais. ed. Florianópolis: UFSC, 2006. 327 p.

MARTINEZ, E.Z. Bioestatística para os cursos de graduação da área da saúde. 1ª ed. São Paulo: Blücher, 2015. 345 p.

MENDONÇA, Francisco. (org.). S.A.U. 0 Sistema Socioambiental Urbano: uma abordagem dos problemas socioambientais da cidade. In: MENDONÇA, Francisco Impactos socioambientais urbanos: Curitiba, UFPR, p. 185-208.

dez. 2004.

SÃO PAULO (Cidade). Lei nº 14.162, 24 de maio de 2006. Cria a Unidade de Conservação Área de Proteção Ambiental Municipal Bororé-Colônia. Diário Oficial da Cidade de São Paulo, São Paulo, 25 mai. 2006.

SOLARI, Raphael Alberto Fuhr. Aplicação de métodos de classificação supervisionada em imagens do sentinel-2, como suporte ao cadastro ambiental rural. 2017. 150 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais) - Universidade de Brasília, Brasília, 2017

Published

2024-01-18

How to Cite

Albano, C. H., & Galvanin, E. A. dos S. (2024). Análise da dinâmica temporal de uso e ocupação do solo da área de proteção ambiental Bororé Colônia (2015 a 2020). OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 22(1), 1975–1988. https://doi.org/10.55905/oelv22n1-103

Issue

Section

Articles