Clube de matemática e a formação continuada de professores que ensinam matemática

Authors

  • Maria Marta da Silva
  • Lukas Adriel Francisco Alves

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv22n1-029

Keywords:

ensino de matemática, formação de professores, séries iniciais, atividade pedagógica, ensino e aprendizagem

Abstract

Este texto tem por objetivo investigar os indícios de contribuição do Clube de Matemática para o entendimento da atividade pedagógica como unidade entre os processos de ensino e a aprendizagem. Nesse viés, foi organizado um experimento formativo com 30 (trinta) professoras que ensinam Matemática nas séries finais do Ensino Fundamental I vinculadas à rede municipal de ensino de Quirinópolis, Goiás, Brasil, experimento esse compreendido como percurso metodológico para realização da pesquisa. Desse modo, os dados foram coletados por meio de gravações audiovisuais e questionários elaborados previamente pelos pesquisadores. A análise de dados, nesse sentido, subsidia-se na estrutura da abordagem histórico-cultural e, portanto, possui: unidade, episódio, cenas e flashes. Os resultados indicam que as professoras compreenderam que a atividade pedagógica traz, em sua essência, uma carga de intencionalidade, que unifica e aparelha a relação teoria-prática e une o ensino e a aprendizagem de forma que tais processos vão além das percepções teóricas e da consciência dos atos habituais dos docentes em sala de aula.

References

ALVES, L. A. F.; SILVA, M. M. A constituição da atividade pedagógica no clube de matemática. Olhares: Revista do Departamento de Educação da Unifesp, [S.L.], v. 11, n. 1, p. 1-23, 21 out. 2023.

ARAUJO, E. S.; MORAES, S. P. G. Dos princípios da pesquisa em educação como atividade. In: MOURA, M. O. (org.). Educação Escolar e Pesquisa na Teoria Histórico-Cultural. São Paulo: Edições Loyla, 2017. p. 47-70.

CECCO, B. L.; BERNARDI, L. T. M. S.; DELIZOICOV, N. C. Formação de Professores que Ensinam Matemática: um olhar sobre as redes sociais e intelectuais do bolema. Bolema: Boletim de Educação Matemática, [S.L.], v. 31, n. 59, p. 1101-1122, dez. 2017.

CUNHA, D. R. A matemática na formação de professores dos anos iniciais do ensino fundamental: relações entre a formação inicial e a prática pedagógica. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática) – Faculdade de Física, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010.

DAVIDOV, V. V. A contribuição de Vygotsky para o desenvolvimento da psicologia. In: DANIELS, H (Org.). Vygotsky em foco: pressupostos e desdobramentos. 4. ed. São Paulo: Papirus, 1986.

DAVYDOV, V. V. Tipos de generalización en la enseñanza. Havana: Pueblo y Educación, 1982

DAVYDOV, V. V.; MARKOVA, A. K. La concepción de la actividad de estudio en los escolares. In: SHUARE, M. La Psicología Evolutiva en la URSS: Antología. Moscú: Editorial Progreso, 1987. p. 156-178.

FIORENTINI, Dario. Alguns modos de ver e conceber o ensino da Matemática no Brasil. Zetetiké, Campinas, SP, v.3, n. 4, nov. 1995.

GAIO, A.; DUARTE, T. O. O conhecimento matemático do professor de 1º ciclo. In: Encontro De Investigação Em Educação Matemática, 12., 2003, Évora. Atas... Lisboa: Sociedade Portuguesa de Investigação em Educação Matemática, 2003.

KOPNIN, P. V. A Dialética como Lógica e Teoria do Conhecimento. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

LANNER DE MOURA, A. R.; et al. Controle da variação de quantidades: iniciação à linguagem numérica. São Paulo: FEUSP, 2023.

LEONTIEV, A. N. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1978.

LIBÂNEO, J. C. A integração entre o conhecimento disciplinar e o conhecimento pedagógico na formação de professores e a contribuição da teoria do ensino de Vasili Davídov. In: LIBÂNEO, J. C. Adeus professor, adeus professora. São Paulo: Cortez, 2014.

Machado, N. J. (1994). Matemática e realidade. 3ª ed. São Paulo-SP: Cortez.

MARX, K. O capital: crítica da economia política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

MARX, K. O capital: o processo de produção do capital. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1985.

MOURA, M. O. A aprendizagem inicial do professor em atividade de ensino. In: LOPES, A. R. L. V.; TREVISOL, M. T. C.; PEREIRA, P. S. (Orgs.). Formação de professores em diferentes espaços e contextos. Campo Grande, MS: Editora UFMS. 2011.

MOURA, M. O. A atividade de ensino como ação formadora. In: CASTRO, A.; CARVALHO, A. (orgs). Ensinar a ensinar: didática para a escola. São Paulo: Editora Pioneira. 2001. p. 145-166.

MOURA, M. O. Atividade de formação em espaço de aprendizagem da docência. Ridphe_R Revista Iberoamericana do Patrimônio Histórico-Educativo, Campinas (SP), v. 7, p. 1-22, 29 dez. 2021.

MOURA, M. O. de et al. A Atividade Orientadora de Ensino Como Unidade Entre Ensino e Aprendizagem. In: MOURA, M. O. (org.) A atividade pedagógica na teoria histórico-cultural. Brasília, DF: Liber Livro, 2010.

MOURA, M. O. de. et al. A atividade Orientadora de Ensino como unidade entre ensino e aprendizagem. In: MOURA, M. O. de (org.). A atividade pedagógica na teoria histórico-cultural. 2ª ed. Campinas: Autores Associados, 2016. p. 93-125.

MOURA, M. O. et al. Controle da variação de quantidades: atividades de ensino. São Paulo, Universidade de São Paulo, 1996.

MOURA, M. O. Metodologia de pesquisa em educação matemática: tendência ou opção? In: Anais do VI EBRAPEM – Realizado de 8 a 9 de novembro de 2002, Campinas, SP/ Encontro Brasileiro de Estudantes de Pós-Graduação em Educação Matemática. Campinas: Gráfica da FE. p. 40- 45, 2002.

MOURA, M. O. O educador matemático na coletividade de formação: uma experiência com a escola pública. Tese (Livre Docência em Metodologia do Ensino de Matemática) - Faculdade de Educação. Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

MOURA, M. O.; et al. Atividade orientadora de ensino: unidade entre ensino e aprendizagem. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 10, n. 29, p. 205-229, abr. 2010.

MOURA, M. O.; SFORNI, M. S. F.; LOPES, A. R. L. V. A objetivação do ensino e o desenvolvimento do modo geral da aprendizagem da atividade pedagógica. In: MOURA, M. O. (org.). Educação Escolar e Pesquisa na Teoria Histórico-Cultural. São Paulo: Edições Loyla, 2017. p. 183-210.

NACARATO, A. M.; PASSOS, C. L. B.; CARVALHO, D. L. de. Os graduandos em pedagogia e suas filosofias pessoais frente à matemática e seu ensino. Zetetike, Campinas, SP, v. 12, n. 1, p. 9–34, 2004.

NACARATO, A.M.; MARQUES, A. C.T. L. GD 06: A formação inicial do professor que ensina matemática na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental. In: RIBEIRO, R.M.; TINTI, D.S.; TRALDI JR.; A. VII Fórum Paulista de Formação de Professores que Ensinam Matemática: discussões e encaminhamentos. São Paulo: SBEM - Regional São Paulo: SBEM/SP, 2021.

NÓVOA, A. Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, [S.L.], v. 47, n. 166, p. 1106-1133, dez. 2017.

PANOSSIAN, M. L. MORETTI, V. D.; SOUZA, F. D. Relações entre movimento histórico e lógico de um conceito, desenvolvimento do pensamento teórico e conteúdo escolar. In: MOURA, M. O. (org.). Educação Escolar e Pesquisa na Teoria Histórico-Cultural. São Paulo: Edições Loyla, 2017. p. 125-152.

PETROVSKI, A. V. Personalidad, Actividad y Colectividad. Trad. Alcira Kessler. Buenos Aires: Editorial Cartago, 1986.

PIMENTA, S. G. Epistemologia da prática ressignificando a Didática. Anais do XIV ENDIPE Encontro nacional de Didática e Prática de Ensino, 2008, Porto Alegre. Trajetórias e processos de ensinar e aprender: Didática e formação de professores. Porto Alegre: CD Room, 2008. v. 1. p. 602-625.

PIMENTA, S. G. O protagonismo da didática nos cursos de Licenciatura: a didática como campo disciplinar. São Paulo: Cortez. 2012.

PONTE, J. P. d. Concepções dos professores de matemática e processos de formação. Instituto de Inovação Educacional, 1992

SANTOS, M. J. C. A formação do Pedagogo para o ensino de Matemática nos anos iniciais do Ensino Fundamental: reflexões dedutiva e epistemológica. In: XIV CIAEM-IACME. Chiapas, México, 2015. p. 1-9.

SANTOS, M. J. C.; BORGES NETO, H. O desconhecido das operações concretas e os números fracionários. In: VASCONCELOS, J. G.; SOARES, E. L. R.; CARNEIRO, I. M. S. P. (orgs.). Entre tantos: diversidade na pesquisa educacional. Fortaleza: Editora UFC, 2006. p.190-199.

SILVA, M. M. A apropriação dos aspectos constituintes da Atividade Pedagógica por professores de Matemática em formação inicial. Tese (Doutorado em Educação Ciências e Matemática). Universidade Federal de Goiás. Goiânia, 2018.

SILVA, M.; CEDRO, W. L. A colaboração como elemento essencial da formação do professor que ensina matemática: o caso do clube de matemática. Vidya, [S.L.], v. 42, n. 1, p. 97-114, 2022.

SILVA, M. M.; CEDRO, W. L. Planejar para quê? Professores de Matemática, em formação inicial aprendendo sobre o planejamento. Revista Paranaense de Educação Matemática, [S.L.], v. 9, n. 20, p. 351-374, 22 jan. 2021.

SILVESTRE, B. S.; SILVA, M. M. A organização do ensino do conceito matemático de fração: o jogo como situação desencadeadora da aprendizagem. Tangram - Revista de Educação Matemática, [S.L.], v. 5, n. 3, p. 32-54, 30 set. 2022.

SILVESTRE, B. S.; SILVA, M. M. A Interface entre o movimento lógico-histórico e a organização do ensino do conceito matemático de ângulos. Revista Eletrônica de Educação Matemática, [S.L.], v. 14, n. 2, p. 1-24, 20 dez. 2019.

SOUSA, M. C. O movimento lógico-histórico enquanto perspectiva didática para o ensino de matemática. Revista Obutchénie, [S.L.], v. 2, n. 1, p. 40-68, 30 ago. 2018.

VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente. 7 ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

VIGOTSKI, L. S. Obras Escogidas II: Historia del desarrollo de las funciones psíquicas superiores, España: Visor, 2003.

Published

2024-01-16

How to Cite

da Silva, M. M., & Alves, L. A. F. (2024). Clube de matemática e a formação continuada de professores que ensinam matemática. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 22(1), 536–557. https://doi.org/10.55905/oelv22n1-029

Issue

Section

Articles