Juventude e experiência literária na escola: a roda de leitura

Authors

  • Erineu Foerste
  • Letícia Queiroz de Carvalho
  • Soraya Ferreira Pompermayer

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n1-015

Keywords:

juventude, experiência literária, roda de leitura

Abstract

O artigo discute os temas juventude e experiência literária a partir da concepção dos círculos ou rodas de leitura na escola. A Metodologia adotada foi a pesquisa-intervenção. Trata-se de uma reflexão teórica sobre a importância da leitura para a juventude e como potencializar-lhes uma experiência literária. Ressaltamos que o presente trabalho é um recorte de nossa pesquisa de mestrado, realizada em uma escola pública estadual. Para tanto, iniciaremos com uma pequena explanação sobre o conceito de Juventude e apresentaremos o círculo ou roda de leitura como uma estratégia de formação do leitor jovem na escola: um espaço educativo no qual transitam diferentes subjetividades e convivem diferentes saberes, propiciando a experiência do diálogo de forma coletiva e solidária. Concluímos que cabe à escola promover de forma sistemática o trabalho com a leitura e com a escrita, pois sabe-se que o espaço onde a maioria das crianças e jovens, sobretudo das classes populares, têm acesso e contato com a leitura, mediante diferentes portadores, é na escola durante o período de escolarização, seja na educação fundamental ou média. 

References

Abramo, H. W. Condição juvenil no Brasil contemporâneo. In: H. W. Abramo & P. P. M. Branco (Orgs.). (2005). Retratos da juventude brasileira: análises de uma pesquisa nacional. São Paulo: Fundação Perseu Abramo.

Abramo, H. W. (1997). Considerações sobre a tematização social da juventude no Brasil. Revista Brasileira de Educação, (5/6), pp. 25-36.

Amorim, G. (Org.) (2008). Retratos da leitura no Brasil. São Paulo: Imprensa Oficial/ Instituto Pró-Livro.

Bakhtin, M. (2003). Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes.

Benjamin, W. Experiência e pobreza. In: Benjamin, W. (2012). Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. (8a ed.). São Paulo: Brasiliense.

Brandão, C. R. (2005). O que é método Paulo Freire. (7a ed.). São Paulo: Brasiliense.

Braun, P., Moraes, J., Oliveira, C., & Almeida, M. (no prelo) A roda como espaçotempo de aprendizagem no ensino fundamental [s.l.]:[s.n.].

Candido, A. (20011). Vários escritos. São Paulo: Duas Cidades.

Compagnon, A. (2009) Literatura para quê? Tradução de Laura Taddei Brandini. Belo Horizonte: Editora UFMG.

Chartier, R. (1996) Práticas de leitura. São Paulo: Estação Liberdade.

Freire, P. (2006) A importância do ato de ler: em três artigos que se completam. (47a ed.) São Paulo: Cortez.

Garcia, P. B. (2016). Oralidade, escrita e memória: experiências com rodas de leitura e “conversas de rua. Recuperado de http://www.tvebrasil.com.br/salto

Houaiss, A. (2001). Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Objetiva.

Medeiros, E. M. L. M. (2010). Educação em saúde a partir de círculos de cultura. Revista Brasileira de Enfermagem. vol.63, nº.3, maio-jun., Brasília.

Nunes, C. Walter Benjamin: os limites da razão. In: Faria F., Luciano M. de. Pensadores sociais e história da educação. (2008). (2a ed.). Belo Horizonte: Autêntica.

Ozella, S., Aguiar, W. M. J. (2008) Desmistificando a concepção de adolescência. Cadernos de Pesquisa, 38(133), 97-125.

Sarriera, J. C., Câmara, S. G. & Berlim, C. S. (2006). Formação e orientação ocupacional: manual para jovens à procura de emprego. Porto Alegre: Sulina.

Wada, M.M. (2004). Juventude e leitura. São Paulo: Annablume.

Yunes, E. (2009). Tecendo um leitor: uma rede de fios cruzados. Curitiba: Aymará.

Published

2023-03-29

How to Cite

Foerste, E., de Carvalho, L. Q., & Pompermayer, S. F. (2023). Juventude e experiência literária na escola: a roda de leitura. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(1), 254–267. https://doi.org/10.55905/oelv21n1-015

Issue

Section

Articles