Excluir para reterritorializar: exclusões urbanas de culturas tradicionais na Região Norte do Brasil

Authors

  • Giovana Goretti Feijó de Almeida
  • Edson Modesto de Araújo Júnior

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv22n1-003

Keywords:

desenvolvimento regional, exclusão social, território, territorialidades

Abstract

O protagonismo urbano será predominante na sociedade até 2050 e promoverá mais discussões sobre as relações de exclusão social no contexto urbano-territorial. O objetivo é compreender os tipos de espaços de exclusões sociais das culturas tradicionais e grupos minoritários existentes na Região Norte do Brasil. A metodologia da pesquisa utilizou o método de estudo de casos múltiplos com abordagem qualitativa, empregando um protocolo de pesquisa com cinco variáveis. Os principais resultados encontrados levaram a uma discussão sobre exclusão social no contexto urbano-territorial, passando a exclusão de efeito social para estratégia intencional dos atores sociais no uso e apropriação do território. Sob essa perspectiva foi gerada uma classificação para a exclusão social no contexto urbano-territorial. A conclusão reitera que a exclusão social vai além do fator econômico, sendo uma estratégia dos atores sociais hegemônicos que tenta justificar suas ações, sobrepondo territórios e os próprios interesses desses atores vão sendo revelados em suas narrativas para justificar seu direito à apropriação de um dado território, levando à invisibilidade ou até mesmo ao desaparecimento de culturas tradicionais, sendo importante essa discussão para os estudos urbano-regionais.

References

Aaker, D. Criando e administrando marcas de sucesso. São Paulo, Futura, 1996.

Agamben, G. Homo Sacer. Belo Horizonte, UFMG, 2002.

Allison A. et al. Parental Involvement: Rhetoric of Inclusion in an Environment of Exclusion. Journal of Contemporary Ethnography, v.47, n.1, p. 113-139, 2016.

Almeida, G. G. F. Marca territorial como produto cultural no âmbito do Desenvolvimento Regional: o caso de Porto Alegre, RS, Brasil. Tese de doutorado em Desenvolvimento Regional, Universidade de Santa Cruz do Sul, Brasil, 2018.

Amaro, R. R. (s.d.). Exclusão social hoje. http://www.triplov.com/ista/cadernos/cad_09/amaro.html. Acesso em: 12 jun. 2021.

Anholt, S. Places: identity, image, and reputation. Palgrave Macmilan, Hampshire, 2010.

Anjos. F. S. Abordagem territorial e desenvolvimento: tópicos sobre a natureza de um debate inacabado. Passo Fundo, IMED, 2016.

Araújo Júnior, E. M. Consumo de experiência turístico-religiosa na construção de territorialidades na Terra Santa. Tese de doutorado em Desenvolvimento Regional, Universidade de Santa Cruz do Sul, Brasil, 2020.

Bähre, E. Redes de inclusão e burocracias de exclusão: riscos e seguros de responsabilidade civil entre os mais pobres na África do Sul. Etnográfica, v.14, n.3, p. 465-485, 2010.

Basini, L. Otra territorialidad, otras fronteras. Anais... Encuentro de antropólogos sociales del Uruguay, Montevideo, 24-25 dezembro, 2000.

Cabrera-Jara, N. Gentrificación en áreas patrimoniales latinoamericanas: cuestionamiento ético desde el caso de Cuenca, Ecuador. Urbe, v.11, e20180201, 2019.

Calderón, A. M. Adaptación y exclusión: versiones del derecho al territorio. El caso de Pensilvania, Caldas, Bitácora Urbano Territorial, v.25, n. 2, p. 59–66, 2015.

Ciocoletto, G. Place branding y capital cultural: el caso del Barrio Chino de Buenos Aires. Urbe, v.13, e20200304, 2021.

Costa, A. B. Exclusões Sociais. Lisboa, Gradiva, 2007.

Davy, B. Dehumanized housing and the ideology of property as a social function. Planning Theory, v.19, p.38-58, 2019.

De Marco, C. M.; Santos, P. J. T.; Möller, G. S. Gentrificação no Brasil e no contexto latino como expressão do colonialismo urbano: o direito à cidade como proposta decolonizadora, Urbe, v.12, e20190253, 2020.

Diniz, L. S.; Silva, C. P. B. Reestruturação estratégica e gentrificação em Belo Horizonte: novo cenário, velhas medidas, Urbe, v.11, e20180052, 2019.

Escobar, A. An Ecology of Diference: equality and conflict in globalized world. European Journal of Anthropology, v.40, p.120-137, 2001.

Ferreira, V. M. Protagonismo urbano e projecto de cidades. Cidades, Comunidades e Territórios, v.2, p.33-45, 2001.

Flores, M. Identidade cultural do território como base de estratégias de desenvolvimento. São Paulo, FECAM, 2006.

Franck, A. K. A(nother) geography of fear: Burmese labour migrants in George Town, Malaysia”. Urban Studies, v.53. n.15, p.3206-3222, 2016.

Friendly, A.; Stiphany, K. Paradigm or paradox? The ‘cumbersome impasse’ of the participatory turn in Brazilian urban planning”. Urban Studies, v.56, n.2, 271-287, 2019.

Furtado, C. R. Gentrificação e (re)organização urbana em Porto Alegre. Porto Alegre, UFRGS, 2011.

Gevehr, D. L.; Berti, F. Gentrificação, Políticas Públicas e Cidades, v.5, p.85-107, 2017.

Haesbaert, R. Mito da desterritorialização. Rio de Janeiro, Bertrand, 2004.

Hall, S. Ideologia e a teoria da comunicação. Matrizes, v.10, n.3, p.33-46, 2016.

Jabaren, Y.; Eizenberg, E. Theorizing urban social spaces and their interrelations: New perspectives on urban sociology, politics, and planning. Planning Theory, v.20, n.3, 211-230, 2020.

Jesus, D. Deslocamento Territorial Internacional de mulheres e crianças. São Paulo, Saraiva, 2003.

Kavaratzis, M. From city marketing to city branding: towards a theoretical framework for developing city brands. Place Branding, v.1, p.58-73, 2004.

Lees, L.; Slater, T.; Wily, E. Gentrification. New York: Routledge, 2008.

Mariutti, F. G. Fundamentos teóricos sobre marketing de lugar, gestão de marca de lugar e valor de marca de lugar. Comunicação e Mercado, v.6, n.14, p.163-184, 2019.

Méo, G. D. Géographie sociale et territoires. Géocarrefour, v.77, n.2, p.175-184, 2001.

Oliveira, Y. A.; Machado, D. B. P. Invisibilidade social e espacial em aterro metropolitano. O caso de Jardim Gramacho (RJ), Brasil. Bitácora Urbano Territorial, v.32, n.1, p.163–176, 2021.

Ozouf, D. Um sentido global do lugar. Campinas, Papirus, 1976.

Perlongher, N. Territorialidade itinerante. São Paulo, Paz e Terra, 1986.

Piccolo, F.; Todaro, V. Landscape of exception: Power inequalities and ethical planning challenges in the landscape transformation of south-eastern Sicily. Planning Theory, v.21, p.8-34, 2021.

Raffestin, C. Por uma geografia do poder. São Paulo, Ática, 1993.

Bonhomme, M. Racism in multicultural neighbourhoods in Chile: Housing precarity and coexistence in a migratory context. Bitácora Urbano Territorial, v.31, n.1, p.167–181, 2020.

Reboratti, C. Socio-environmental conflict in Argentina. Journal of Latin American Geography, v.11, n.2, p.4-20, 2001.

Rodriguez-Medina, L. et al. Cultural practices and rough sociality in Mexico’s midsize cities: Tijuana, Puebla and Monterrey. Urban Studies, Press Article, 2021.

Rogerson, R. J.; Giddings, B. The future of the city centre: Urbanisation, transformation and resilience – a tale of two Newcastle cities. Urban Studies, v.58, n.10, 2021.

Romero-Rodriguez, L.M.; Civila, S.; Aguaded, I. Otherness as a form of intersubjective social exclusion. Communication and Ethics in Society, v.19, p.20-37, 2021.

Sabourin, E. Desenvolvimento territorial e abordagem territorial. Brasília: Embrapa, 2002.

Said, E. W. Cultura e Imperialismo. São Paulo, Companhia das Letras, 1995.

Santos, M. Natureza do espaço. São Paulo, Hucitec, 1996.

Shepherd, E.; Inch, A., Marshall, T. Narratives of power: Bringing ideology to the fore of planning analysis. Planning Theory, v.19, p.3-16, 2020.

Shmaryahu-Yeshurun, Y.; Ben-Porat, G. For the benefit of all? State-led gentrification in a contested city. Urban Studies, v.58, n.13, p.2605-2622, 2021.

Sianes, A.; Vela-Jiménez, R. Can differing opinions hinder partnerships for the localization of the sustainable development goals? Sustainability, v.12, n.14, p.1-20, 2020.

Silva, C. R.; Pierola, R. R. R. Dinámicas económicas de un espacio público en disputa. El caso de Largo da Batata, São Paulo, Brasil. Bitácora Urbano Territorial, v.28. n.1, p.121–132, 2018.

Siqueira, M. T. Entre o fundamental e o contingente. Cadernos Metrópole, v.16, n.32, p.391-415, 2014.

Sisson, A. Denigrating by numbers: Quantification, Statistics and Territorial Stigma. International Journal of Urban and Regional Research, v.45, n.3, p.407-422, 2021.

SJMR. Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados Brasil. Programa Acolhe Brasil. 2018. https://sjmrbrasil.org/acolhebrasil/. Acesso em: 25 mai 2022.

Smith, N. The new urban frontier. Londres, Routledge, 1996.

Vainer, C. B. Planejamento territorial e projeto nacional. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v.9, p.9-23, 2013.

Valêncio, N. Formas de matar, de morrer e de resistir. UFMG, Belo Horizonte, 2013.

Vanolo, A. City branding. New York, Routledge, 2017.

Vicente, V. A. Q.; Sánchez, X. G. Festivals in the territory and access to culture. Revista Espanola de Sociologia, v.30, n.2, p.1-20, 2021.

Wagner, I.; Finkielsztein, M. Strategic Boredom: The Experience and Dynamics of Boredom in Refugee Camp: A Mediterranean Case. Journal of Contemporary Ethnography, v.50, n.5, p.649-682, 2021.

Wyly, E. The evonlving state of gentrification. Tijdschrift voor Economische en Sociale Geografie, v.110, p.12-25, 2019.

Yin, R. K. Estudo de caso. Porto Alegre, Bookman, 2015.

Zheleznyak, O. Y.; Korelina, M. V. City and festival: Spaces of ‘site’ identity, territorial development, and branding. Anais…IOP Conference Series, v.751, p.1-6, 2021.

Published

2024-01-02

How to Cite

de Almeida, G. G. F., & de Araújo Júnior, E. M. (2024). Excluir para reterritorializar: exclusões urbanas de culturas tradicionais na Região Norte do Brasil. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 22(1), 40–66. https://doi.org/10.55905/oelv22n1-003

Issue

Section

Articles