Usinas termelétricas à gás do tipo flutuante: um panorama mundial

Authors

  • Marta Deise de Freitas Araújo
  • Edmilson Monteiro de Souza
  • Marcelo Musci
  • Dario Nepomuceno da Silva Neto
  • Gilberto Jorge da Cruz Araujo
  • Carlos Vitor de Alencar Carvalho
  • Alexander Machado Cardoso

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n12-244

Keywords:

gás natural liquefeito, matriz energética, Sepetiba, termelétrica flutuante a gás

Abstract

Este trabalho tem como propósito abordar as usinas termelétricas flutuantes a gás para a geração de energia elétrica. Ao longo dos anos, o gás natural conquistou crescente popularidade e espaço na integração da matriz energética. O Brasil destaca-se como um dos poucos países no mundo dotado de diversas e abundantes fontes naturais de energia renovável. Contudo, apesar do vasto potencial para geração de energia limpa, foi autorizada a instalação de uma usina termelétrica flutuante a gás na Baía de Sepetiba, situada na região da Costa Verde, no Estado do Rio de Janeiro. A empresa Karpowership obteve autorização para atuar como produtor independente de energia e estabelecer e operar quatro usinas termelétricas no país. Para alcançar esse fim, é necessário que a empresa se ajuste às normas vigentes e respeite as regulamentações para garantir o pleno funcionamento das instalações. Assim, este trabalho tem como objetivo principal analisar o mercado global das usinas flutuantes movidas a gás natural liquefeito (GNL) e compará-lo com a termelétrica instalada na Baía de Sepetiba. Dessa forma, foi realizada uma análise para identificar os países que adotam essa tecnologia, juntamente com uma comparação com outras formas de geração de energia elétrica.

References

Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). (2010). O Gás Natural Liquefeito no Brasil – Experiência da ANP na implantação dos projetos de importação de GNL. Superintendência de Comercialização e Movimentação de Petróleo, seus Derivados e Gás Natural. Rio de Janeiro. Recuperado de https://www.gov.br/anp/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/livros-e-revistas/o-gas-natural-liquefeito-no-brasil-experiencia-da-anp-na-implantacao-dos-projetos-de-importacao-de-gnl

Carregosa, L. (2 de Fevereiro de 2022). Poder 360. https://www.poder360.com.br/economia/brasil-reinjetou-45-da-producao-de-gas-natural-em-2021/

Ferraz Jr. (8 de Agosto de 2022). Jornal da USP. https://jornal.usp.br/campus-ribeirao-preto/serie-energia-usinas-termeletricas-a-gas-natural-respondem-por-12-da-matriz-energetica/

Ferraz, V. C. (2018). Termelétricas – Uma visão geral: combustíveis, ciclos térmicos, arranjo e eficiência. Monografia de graduação, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Gomes, D. L. (2018). Caracterização de cinzas leves e de revestimento para caldeiras de central termelétrica brasileira. Dissertação de mestrado em Engenharia Mecânica, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica, Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás. (2021). Maiores reservas provadas de gás natural em 2020 https://www.ibp.org.br/observatorio-do-setor/snapshots/maiores-reservas-provadas-de-gas-natural-em-2020/

IBP – Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás. (2022) Maiores consumidores de gás natural em 2021. https://www.ibp.org.br/observatorio-do-setor/snapshots/maiores-consumidores-de-gas-natural-em-2020/#:~:text=O%20Brasil%20foi%20o%2024%C2%BA,1%2F3%20do%20consumo%20mundial

Karpowership. (2023). Energia. Recuperado de https://karpowershipbrasil.com.br/

Lämmle, L., & Bulhões, E. M. R. (2019). Impactos de obras costeiras na linha de costa: O Caso do Porto do Açu, Município de São João da Barra, RJ. Boletim do Observatório Ambiental Alberto Ribeiro Lamego, 13(1), 131-152.

Lossan, A. (6 de Novembro de 2020). Como a Rússia se tornou líder mundial na exportação de gás?. Russia Beyonde. https://br.rbth.com/economia/84609-russia-maior-exportadora-de-gas

Marques, E. W. V. (2007). A aplicação das novas tecnologias para a produção de GNL no Brasil. Dissertação de mestrado, Escola Politécnica de São Paulo, São Paulo.

Mordor Intelligence. (2023). https://www.mordorintelligence.com/pt/industry-reports/malaysia-oil-and-gas-market

Paiva, P. M. (2010). A inserção do Brasil no mercado internacional de GNL: antecedentes, perspectivas e realidades. Monografia de graduação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Silvério, N. M. (2018). Utilização de usinas solares flutuantes para operação coordenada com centrais hidrelétricas: estudo de caso das hidrelétricas da bacia do rio São Francisco. Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Itajubá, Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Energia, Itajubá.

Published

2023-12-29

How to Cite

Araújo, M. D. de F., de Souza, E. M., Musci, M., da Silva Neto, D. N., Araujo, G. J. da C., Carvalho, C. V. de A., & Cardoso, A. M. (2023). Usinas termelétricas à gás do tipo flutuante: um panorama mundial. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(12), 28036–28057. https://doi.org/10.55905/oelv21n12-244

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)