Alterações microestruturais dos aços AHSS no processo de dobramento em “V”

Authors

  • Matheus Henrique Riffel
  • Rafael Pandolfo da Rocha
  • Halston Mozetic
  • Lirio Schaeffer

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n12-230

Keywords:

aços bifásicos, dual phase, dobramento de chapas, análise metalográfica, microestrutura

Abstract

Os aços bifásicos, ou Dual Phase, surgiram em virtude de uma crescente demanda da indústria automobilística em produzir veículos mais seguros, econômicos e, por conseguinte, menos poluentes, exigindo, em contrapartida, um melhoria na conformabilidade. Para galgar tais finalidades, os aços Dual Phase consolidam características antagônicas, motivadas em função da resistência mecânica elevada, proveniente da fase martensítica, aliada à ductilidade, oriunda da matriz ferrítica. Quando submetidos a processos de conformação mecânica, mais especificamente, no processo de dobra, os aços bifásicos desenvolvem deformações nas regiões trativas e compressivas do raio de dobra, o que, em virtude das suas intensidades, promovem alterações às fases martensíticas e ferríticas, constantes da microestrutura desses materiais. Nesse aspecto, este trabalho tem como objetivo analisar a influência dos parâmetros de dobra, mais precisamente, o efeito do deslocamento do punção e da força de dobra na propagação das alterações microestruturais nas tiras de aço de alta resistência. Foram realizados, assim, quatro tipos de ensaios de dobramento em matriz “V”, os quais se diferenciavam entre si em função dos deslocamentos realizados pelo punção, empregando, assim, tiras metálicas provenientes dos aços DP600 e DP780. Dessa forma, foram analisados o desenvolvimento da força de dobra e as alterações às fases martensíticas e ferríticas desses aços quando da execução dos quatro processos de dobramento, com vistas a comparar aos resultados previstos na literatura e, se atendida certa previsão nos resultados, validá-los para os processos executados, bem como para os materiais empregados. Para esses dois aços, notou-se que, a partir de 10 e até 20 mm de deslocamento, a força aplicada pelo punção tinha uma tendência a se reduzir. No entanto, assim que assumida a posição de 23 mm, a força acrescia-se abruptamente, motivada em função do contato com o fundo da abertura da matriz. No tocante às análises metalográficas realizadas, observou-se, assim como previa a literatura, a existência das duas fases constantes da microestrutura desses aços: a martensita e a ferrita. Desse modo, percebeu-se que, para aços de maior resistência, maior é a concentração da fase martensítica. Além disso, observou-se que, na região trativa do raio de dobra, os grãos de martensita e de ferrita foram alongados, ao passo que, na região comprimida, os grãos dessas fases assumiram o formato de glóbulos. Entretanto, essas alterações foram acentuadas na zona de tração, sobretudo com o maior deslocamento assumido pelo punção e, concomitantemente, ao maior carregamento aplicado.

References

MARTINS, S. C. S.. Análise da microestrutura e do comportamento mecânico de aços bifásicos das classes de resistência de 600 MPa e de 1000 MPa revenidos e deformados plasticamente. 2015. 143 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia de Materiais, Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

LAJARIN, S. F.; MARCONDES, P. V. P.. Influência dos parâmetros de processo e de ferramenta na ocorrência do retorno elástico. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE ENGENHARIA DE FABRICAÇÃO, 7., 2013, Curitiba. Anais eletrônicos. Itatiaia: Abcm, 2013.

FERREIRA, R. A. S.. Conformação plástica: fundamentos metalúrgicos e mecânicos I / prefácio de Ricardo Artur Sanguínetti Ferreira. - 2. ed. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2010.

SANTOS, R. A. dos. Influência da força pós dobra e da geometria da ferramenta no retorno elástico em processos de dobramento de aços de alta resistência. 2013. 114 f. Tese (Doutorado) - Curso de Engenharia Mecânica, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2013.

MORO, N. ; AURAS, A. P.. Processos de Fabricação: Conformação mecânica II – Ex-trusão, Trefilação e Conformação de Chapas. Apostila Curso Técnico de Mecânica In-dustrial. 2006. Centro Federal de educação.

FREES, M. V. da S.. Avaliações sobre o processo de dobramento de aço NBR 6656 LNE 380. 2017. 99 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia de Minas, Metalúr-gica e de Materiais, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2017.

CHEMIN FILHO, R. A.. Estudo da fratura de aços de nova geração DP600 através da variação de pressão no prensa-chapas. 2011. 148 f. Tese (Doutorado) - Curso de Enge-nharia Mecânica, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2011.

CAETANO, R. A.. Avaliação da Conformabilidade do Aço Transformation Induced Plasticity (TRIP780) Eletrogalvanizado e Dual Phase (DP780) Galvanizado Por Imersão a Quente. 2015. 102 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Engenharia Metalúrgica, Ma-teriais e de Minas, Escola de Engenharia, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

FARIA NETO, A. dos R. de. Aços avançados de alta resistência: avaliação da microes-trutura e propriedades dos aços DP 600 e DP 780. 2015. 68 f. TCC (Graduação) - Curso de Engenharia Mecânica, Campus de Guaratinguetá, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", Guaratinguetá, 2015.

Published

2023-12-27

How to Cite

Riffel, M. H., da Rocha, R. P., Mozetic, H., & Schaeffer, L. (2023). Alterações microestruturais dos aços AHSS no processo de dobramento em “V”. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(12), 27752–27769. https://doi.org/10.55905/oelv21n12-230

Issue

Section

Articles

Similar Articles

You may also start an advanced similarity search for this article.