Efeito de doses crescentes de gesso agrícola no crescimento de Eucalyptus urograndis

Authors

  • Daiane Aparecida Thiopek Kazmierski
  • Luis Felipe Gelinski Sabatovicz
  • Marcos Vinícius Martins Bassaco
  • Antônio Carlos Vargas Motta

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n12-218

Keywords:

fertilização florestal, condicionante do solo, produtividade florestal

Abstract

O principal gênero florestal plantado no Brasil é o Eucalytpus, condição proporcionada pelos múltiplos usos da espécie. Com isso, estudos que visem o aumento de produtividade são importantes, principalmente nos solos que apresentam baixa fertilidade natural e que passaram por sucessivos ciclos de exportação de nutrientes. Sendo que o aumento e reposição da fertilidade do solo pode ser ocasionado por insumos agrícolas de menor custo em especial com a utilização de condicionantes no solo, que proporcionam melhorias físico-químicas através do aumento da fertilidade do solo, fornecendo o cálcio, enxofre e neutralizando o Al3+. O trabalho tem como objetivo avaliar o crescimento do híbrido Eucalyptus urophylla x Eucalyptus grandis (E. urograndis) sob a aplicação de doses de gesso agrícola, em Jaguariaíva no Paraná, Brasil. O povoamento foi implantado no mês de dezembro de 2013, com espaçamento de 3 x 3 m utilizando o delineamento em blocos casualizados, com 4 repetições e sete doses de gesso agrícola, em kg ha-1, aplicados a lanço: T1 - 0; T2 - 300; T3 - 600; T4 - 1.200; T5 - 2.400; T6 - 4.800; T7 - 9.600 kg/ha. Antes da instalação do experimento foi aplicado 2.000 kg/ha de calcário e 200 kg/ha de fosfato natural reativo na subsolagem. Foram realizadas juntamente as seguintes adubações, sendo uma delas logo após o plantio com as seguintes doses: N - 8,5; P2O5 - 51 e K2O - 17 kg/ha, e outra aos três, nove e dozes meses de idade: N – 24; P2O5 – 8 e K2O – 48 kg/ha + 800ha-1 de Boro. Para avaliar o experimento foram coletados no final da rotação aos 9 anos de idade a altura total (H), diâmetro altura do peito (DAP) e calculado o volume. No final da avaliação aos 111 meses (~9 anos) de idade, observou-se que não houve diferença estatística entre os tratamentos, tanto para a H (R2 = 0,29ns), como também para o DAP (R2 =0,07ns) e volume. Apresentando média geral da H foi de 29,73 m (CV= 3,77 %), do DAP foi de 20,5 cm (CV = 4,35%) e volume de 468,18 m3/ha. Diante do exposto conclui-se que o efeito da aplicação do gesso agrícola não proporcionou o aumento no crescimento das árvores.

References

ALVARES, C. A.; STAPE, J. L.; SENTELHAS, P. C.; GONÇALVES, J. L. M.; AND GERD SPAROVEK, G.; Koppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, v.22, n.6, p.711–728, December 2013. Disponível em:<http://openurl.ingenta.com/content/xref?genre=article&issn=0941-2948&volume=22&issue= 6&spage=711>. Acesso em: 20 out 2023.

BERTOLLO, Altamir Mateus. Propriedades físicas de um latossolo após calagem, gessagem em manejo do solo. 2014. 100 p. Dissertação de Mestrado Programa de Pós-Graduação em Agronomia - Agricultura e Ambiente, Universidade Federal de Santa Maria, Frederico Wetphalen, 2014.

CAIRES, E.F.; GARBUIO, F.J.; ALLEONI, L.R.F. & CAMBRI, M.A. Calagem superficial e cobertura de aveia preta antecedendo os cultivos de milho e soja em sistema de plantio direto. Rev. Bras. Ciênc. Solo, São Paulo, 30:87-98, 2006.

CARVALHO, Renata Reis de. Biomassa e nutrientes em um povoamento de Eucalyptus urograndis estabelecido em solo sujeito a arenização no sul do Brasil. 2014. 80 p. Dissertação de Mestrado Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal, Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Rurais, Santa Maria, 2014.

DA SILVA, Fábio Cesar et al. Manual de análises químicas de solos, plantas e fertilizantes. Embrapa Informação Tecnológica, Brasília, DF, 2. ed. Ver. ampl. 627 p. Rio de Janeiro Embrapa Solos, 2009.

DE BARROS, Nairam Félix; DA SILVA, Ivo Ribeiro; NEVES, Júlio César Lima. Produtividade de eucalipto aos 18 meses de idade, na região do Cerrado, em resposta à aplicação de cálcio, via calcário e gesso agrícola. Rev. Sci. For., Piracicaba, v. 44, n. 109, p. 67-74, mar. 2016.

DELOSS, Alisson de Mello. Efeito do manejo e da adubação mineral no crescimento de Eucalyptus saligna Smith na segunda rotação. 2021. 53p. Dissertação de mestrado - Programa de Pós-graduação em Engenharia Florestal, Universidade Federal de Santa Maria, Centro de Ciências Rurais, Santa Maria - RS, 2021.

DIAS, Luiz Eduardo. Uso de gesso como insumo agrícola. EMBRAPA, n.º7, 1-6 p. maio/1992.

DOURADO, Marcela Guedes. Atributos químicos do solo, nutrição e crescimento de Eucalyptus Sp. na região sudoeste do Paraná. 2021. Dissertação (Mestrado em Agroecossistemas) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Dois Vizinhos, 2021.

EMBRAPA- Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Produtores devem ficar atentos ao uso do gesso agrícola, Brasília DF. 2010.

EMBRAPA, 1997. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Manual de métodos de análise de solo. 2.ed. 212 p. Rio de Janeiro: Embrapa Solos. 1997.

FARIA, J. R.; SILVA, J. F.; NERIS, K. P.; LOPES, F. L. R.; SILVA, M. C.; LISBOA, E. S.; RODRIGUES, J.; CENTENO, A. J.; LOPES, F. M. Desenvolvimento de Eucaliptus urograndis no município de Corumbá-GO. Ensaios e Ciência C Biológicas Agrárias e da Saúde, [S. l.], v. 17, n. 2, 2015.

FERREIRA, Carla Fernanda. Gesso agrícola sobre atributos químicos do solo e desenvolvimento do eucalipto em condições subtropicais. 2018. 184 p. Tese (Doutorado) - Universidade Federal do Paraná. Setor de Ciências Agrárias, Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo Curitiba. 2018.

FERREIRA, D. H. A. A., LELES, P. S. DOS S, MACHADO, E. C., DE ABREU, A. H. M., & ABILIO, F. M. Crescimento de clone de Eucalyptus urophylla x E. grandis em diferentes espaçamentos. FLORESTA, Curitiba, PR, v. 44, n. 3, p. 431 - 440, jul. / set. 2014.

GATTO, A., BUSSINGUER, A. P., RIBEIRO, F. C., AZEVEDO, G. B. D., BUENO, M. C., MONTEIRO, M. M., & SOUZA, P. F. D. Ciclagem e balanço de nutrientes no sistema solo-planta em um plantio de Eucalyptus sp., no Distrito Federal. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 38, 879-887. 2014.

IBÁ - Indústria Brasileira de produtores de Árvores. Relatório IBÁ 2022 ano base 2021. Brasília: 2022.

MALAGI, Jeferson. Desenvolvimento de Eucalyptus urograndis plantados após uso de diferentes corretivos de acidez do solo. 2015. 29 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Florestal) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Dois Vizinhos, 2015.

MASSAD, Marília Dutra. Dinâmica nutricional e fertilização de povoamentos de eucalipto. 2020. 127 p. Tese (Doutorado em Ciência Florestal) – Programa de Pós-Graduação em Ciência Florestal, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Diamantina, 2020.

OKADO, Koshi. Adubação com N, P2O5 e K2O apenas em cobertura no crescimento de Eucalyptus urograndis na região do Pontal do Paranapanema-SP. 2010. 36 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Agrárias) - Universidade do Oeste Paulista, Presidente Prudente, 2010

PAULETTI, V.; MOTTA, A. C. V.; MOREIRA, A.; COSTA, A.; CASSOL, L. C.; ZANÃO JÚNIOR, L. A.; PENTEADO JUNIOR, J. F. et al. Transferência de tecnologia florestal: cultivo de eucalipto em propriedades rurais: diversificação da produção e renda. 1 ed. Brasília, DF. Embrapa, 2014.

PFLEGER, Priscylla. Atributos químicos e crescimento inicial de eucalipto em cambissolo húmico tratado com doses e formas de aplicação de corretivos, 2018. 100p. Tese (Doutorado) -- Universidade do Estado de Santa Catarina, Centro de Ciências Agroveterinárias, Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo, Lages, 2018

POGGIANI, Fábio. Florestas para fins energéticos e ciclagem de nutrientes. Série Técnica IPEF, v. 1, n. 2, p. D1-D11, 1980.

RAMOS, L.A.; NOLLA, A.; KORNDORFER, G.H. & CAMARGO, M.S. Reatividade de corretivos da acidez e condicionadores de solo em colunas de lixiviação. R. Bras. Ci. Solo, 30:849-857, 2006.

RAMPIM, L., Lana, M. D. C., FRANDOLOSO, J. F., & FONTANIVA, S. Atributos químicos de solo e resposta do trigo e da soja ao gesso em sistema semeadura direta. Revista Bras. Ci. Solo, 35, 1687-1698, 2011.

REHAGRO. Gesso na cultura do café: o que é, benefícios e como aplicar. Belo Horizonte (MG). 2020.

RETSLAFF, F. A. D. S., FIGUEIREDO FILHO, A., Dias, A. N., BERNETT, L. G., & FIGURA, M. A. (2015). Curvas de sítio e relações hipsométricas para Eucalyptus grandis na região dos Campos Gerais, Paraná. Cerne, 21, 219-225. 2015.

RIBEIRO, Y. S.; VERA, D. E.; ALMEIDA, R. G. de; LAURA, V. A. Desempenho Silvicultural em Sistema Silvipastoril do Clone H13 de Eucalyptus urograndis em Diferentes Densidades aos 12 Anos. UNICIÊNCIAS, [S. l.], v. 24, n. 1, p. 45–50, 2021.

RODRIGUES, Fernando Antonio Vieira. Crescimento de eucalipto em idade jovem e movimentação de cálcio e magnésio no solo em resposta à aplicação de calcário e gesso agrícola. 2013. 85 f. Tese (Doutorado em Fertilidade do solo e nutrição de plantas; Gênese, Morfologia e Classificação, Mineralogia, Química,) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 2013.

SANTOS, P. E. T. dos; PALUDZYSZYN FILHO, E.; MAGALHAES, W. L. E.; BEN,T.J.; MOREIRA,S. Melhoramento genético de eucaliptos subtropicais: contribuições para a espécie Eucalyptus benthamii. Colombo: Embrapa Florestas, 2020.

SCHUMACHER, M.V.; CALDEIRA, M.V.W. Estimativa da biomassa e do conteúdo de nutrientes de um povoamento de Eucalyptus globulus (Labillardière) subespécie maidenii. Ciência Florestal, v.11, p.45-53, 2001.

SILVA, C. R. A.; RIBEIRO, A.; OLIVEIRA, A. S. de; KLIPPEL, V. H.; BARBOSA, R. L. P. Desenvolvimento biométrico de mudas de eucalipto sob diferentes lâminas de irrigação na fase de crescimento. Pesquisa Florestal Brasileira, [S. l.], v. 35, n. 84, p. 381–390, 2015

SILVA, M. R. da; KLAR, A. E.; PASSOS, J. R. Efeitos do manejo hídrico e da aplicação de potássio nas características morfofisiológicas de mudas de Eucalyptus grandis w. (hill ex. maiden). IRRIGA, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 31–40, 2004.

Published

2023-12-27

How to Cite

Kazmierski, D. A. T., Sabatovicz, L. F. G., Bassaco, M. V. M., & Motta, A. C. V. (2023). Efeito de doses crescentes de gesso agrícola no crescimento de Eucalyptus urograndis. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(12), 27523–27539. https://doi.org/10.55905/oelv21n12-218

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)