As diretrizes clínicas, processo de estratificação, acesso, fluxos, portais web, estratégias existentes na literatura brasileira, internacional e literatura cinzenta, como tomada de decisão na implementação nos serviços de atenção psicossocial: protocolo

Authors

  • Arildo Sousa de Lima
  • Maria Salete Bessa Jorge

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n12-216

Keywords:

assistência à saúde mental, saúde mental, guia de prática clínica, tecnologia

Abstract

Objetivo: Mapear a literatura existente sobre os estudos que evidenciam a produção de conhecimento sobre as diretrizes clínicas, o processo de estratificação de risco, acesso e fluxo de atendimento em Saúde Mental e sobre portais web colaborativos em saúde. Método: Será realizada uma revisão de escopo, conforme preconizado pelo manual do Joanna Briggs Institute (JBI). Serão elegíveis as publicações que discorram sobre tecnologias, estratificação de risco, diretrizes clínicas e portal web colaborativo (conceito), rede de atenção psicossocial (contexto). Será utilizada estratégia de busca detalhada e individual nas seguintes bases de dados: Scopus, Web of Science, Medline/PubMed, Embase, Cinahl e Lilacs. A busca na literatura cinzenta será realizada a partir do Google Acadêmico, da Biblioteca Digital de Teses e Dissertação (BDTD), do Catálogo de Teses & Dissertações - CAPES (CTD/Capes) e do Open Access Theses and Dissertations (OATD). O processo de seleção será realizado por dois revisores independentes que triarão os títulos e resumos, lerão os textos completos e extrairão os dados do material incluído. Os resultados incluídos nesta proposta de revisão de escopo serão orientados pela análise de conteúdo proposta por Bardin (2016).

References

ALMEIDA JMC. Política de saúde mental no Brasil: o que está em jogo nas mudanças em curso. Caderno de Saúde Pública. 2019; 35(11): 01-06. https://www.scielo.br/j/csp/a/KMwv8DrW37NzpmvL4WkHcdC/?lang=pt>.

ZANARDO GLP, LEITE LS, CADONÁ E. Política de saúde mental no Brasil: Reflexões a partir da Lei 10.216 e da Portaria 3.088. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental. 2017; 9(24): 01-21. https://periodicos.ufsc.br/index.php/cbsm/article/view/69591/41678>. Acesso em: 02 mar. 2022.

SAMPAIO M L, JÚNIOR JPB. Rede de Atenção Psicossocial: avaliação da estrutura e do processo de articulação do cuidado em saúde mental. Caderno de Saúde Pública. 2021 37(3): 01-16. https://www.scielo.br/j/csp/a/N9DzbdSJMNc4W9B4JsBvFZJ/?format=pdf&lang=pt.

BRASIL. Reforma Psiquiátrica e Política de Saúde Mental no Brasil: Conferência Regional de Reforma dos Serviços de Saúde Mental: 15 anos depois de Caracas. Brasília, DF; 2005 [citado 08 mar 2022]. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/Relatorio15_anos_Caracas.pdf.

LOPES FP, PAIANO M, MIGUEL MEGB, SALCI MA. Percepção dos enfermeiros sobre a estratificação de risco em saúde mental e as ações de enfermagem. Revista Saúde Pública. 2017; 2(1): 68-79. http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/view/185/48>.

CEARÁ. Projeto Qualifica APSUS Ceará. Fortaleza, CE; 2018 [citado 08 jun 2022]. Disponível em: https://www.saude.ce.gov.br/qualificaapsus/.

KANTORSKI LP. O conhecimento produzido em saúde mental e sua aplicação nos serviços. Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas. 2006. https://www.revistas.usp.br/smad/article/view/38652/41499.

ESPÍRITO SANTO. Diretrizes Clínicas em Saúde Mental. Vitória, ES; 2018 [citado 08 jun 2022]. Disponível em: https://saude.es.gov.br/Media/sesa/Protocolo/Diretrizes%20Clinicas%20em%20saude%20mental.pdf.

ROCHA KB, ZANARDO GLP. Validação de um instrumento para avaliação dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), versão para profissionais: Avalia-CAPS-P. Caderno de Saúde Pública. 2022; 38(2): 01-14. http://cadernos.ensp.fiocruz.br/static//arquivo/1678-4464-csp-38-02-e00144121.pdf.

SILVA DMF, JORGE MSB. Estratégias de cuidado à saúde mental dos profissionais da saúde em tempos de COVID-19: protocolo de revisão de escopo. Brazilian Journal of Health Review. 2021; 4(4): 17922-17928. https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/19368>.

TRICCO AC, LILLIE E, ZARIN W, O'BRIEN KK, COLQUHOUN H, LEVAC D, MOHER D, PETERS MDJ, HORSLEY T, WEEKS L, HEMPEL S, AKL EA, CHANG C, MCGOWAN J, STEWART L, HARTLING L, ALDCROFT A, WILSON MG, GARRITTY C, LEWIN S, GODFREY CM, MACDONALD MT, LANGLOIS EV, SOARES-WEISER K, MORIARTY J, CLIFFORD T, TUNÇALP Ö, STRAUS SE. Prisma extension for scoping reviews (prisma-scr): checklist and explanation. Ann Intern Med. 2018; 169(7): 467-473. https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30178033/.

Peters MDJ et al. Chapter 11: Scoping Reviews (2020 version). In: Aromataris E, Munn Z, editors. JBI Manual for Evidence Synthesis. JBI, 2020 [citado 25 jul 2022]. Disponível em: https://jbi-global-wiki.refined.site/space/MANUAL/3283910770/Chapter+11%3A+Scoping+reviews.

BOTELHO RG, OLIVEIRA CC. Literaturas branca e cinzenta: uma revisão conceitual. Ciência da Informação. 2017 44(3): 501-513. https://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1804.

QSR INTERNATIONAL. O que é o Nvivo? [S. l.]: Burlington, Massachusetts; 2020 [citado 28 jul 2022]. Disponível em: <https://www.qsrinternational.com/nvivo-qualitative-data-analysis-software/home>.

BARDIN L. Análise de Conteúdo. Reto LA, Pinheiro A, translator. 1. ed. Lisboa: Edições 70; 2016. Capítulo 3, Método. p. 147-150.

Published

2023-12-27

How to Cite

de Lima, A. S., & Jorge, M. S. B. (2023). As diretrizes clínicas, processo de estratificação, acesso, fluxos, portais web, estratégias existentes na literatura brasileira, internacional e literatura cinzenta, como tomada de decisão na implementação nos serviços de atenção psicossocial: protocolo . OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(12), 27492–27504. https://doi.org/10.55905/oelv21n12-216

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)