Desenvolvimento de vidros ao chumbo contendo resíduos de rochas ornamentais

Authors

  • Michelle Pereira Babisk
  • Victor Bicalho Gava
  • Juraci Aparecido Sampaio
  • Diego Borges Tabelini
  • Mônica Castoldi Borlini Gadioli
  • Carlos Maurício Fontes Vieira

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n12-090

Keywords:

vidro ao chumbo, rochas ornamentais, resíduo de quartzito, resíduo de granito

Abstract

Os vidros são referenciados como materiais amorfos, diferenciando-se dos materiais cristalinos por não possuírem uma rede simétrica e periódica a longo alcance, ou seja, exceto pelas unidades básicas, não há simetria na rede dos vidros formados por fusão/resfriamento. Os vidros óxidos silicatos são os mais utilizados e comercializados, dentre eles os estão os vidros ao chumbo, muito utilizados para aplicações ópticas, na fabricação de artigos finos de mesa e peças de arte, também se qualifica para a radioproteção devido a propriedade de absorção dos raios-X. Os vidros silicatos têm como principal óxido formador de rede a sílica (SiO2), presente em resíduos de rochas ornamentais silicosas e silicáticas, que são gerados por esse setor na ordem de milhões de toneladas/ano. O objetivo dessa pesquisa foi caracterizar resíduos de rochas ornamentais, utilizá-los como fonte de sílica para desenvolver vidros ao chumbo e caracterizá-los. Os resíduos foram caracterizados por análise química, mineralógica e morfológica. Os vidros ao chumbo foram desenvolvidos pela técnica fusão/resfriamento rápido e caracterizados quanto a composição química por fluorescência de raios-X (FRX) e se ficaram totalmente amorfos por difração de raios-X (DRX). Os resultados de caracterização comprovaram que os resíduos são aptos a desenvolver vidros ao chumbo. O vidro de quartzito ficou totalmente incolor, enquanto o vidro de granito ficou marrom-amarelado devido a presença de ferro nesse resíduo, ambos os vidros desenvolvidos se apresentaram totalmente amorfos.

References

AKERMAN, M. Natureza Estrutura e Propriedades do Vidro, CETEV (Centro Técnico de Elaboração do Vidro), 2000.

ALVES, O. L.; GIMENEZ, I. F.; MAZALI, I. O. Vidros. Química Nova na Escola, n. especial, p. 9-20, fev. 2001.

BABISK, M. P.; LOURO, L. H. L.; ROCHA, J. C. Desenvolvimento de Vidros Sodo-Cálcicos a partir de Resíduos de Rochas Ornamentais. In: 53º. Congresso Brasileiro de Cerâmica, Guarujá/SP. 2009.

BABISK, M. P.; BORLINI, M. C.; VIDAL, F. W. H.; OLIVEIRA, J. R. Vidro Sodo-Cálcico Compreendendo Resíduos do Granito Iberê Crema Bordeaux. In: 54º Congresso Brasileiro de Cerâmica. Foz do Iguaçu/PR. 2010a.

BABISK, M. P. & VIDAL, F.W.H. Aproveitamento de resíduos oriundos do beneficiamento de quartzito na produção de vidros e cerâmica. In: II Jornada do Programa de Capacitação Institucional do Centro de Tecnologia Mineral, Rio de Janeiro/RJ. 2010b.

BABISK, M. P.: GOMES, V. R.; SAMPAIO, J. A.; GADIOLI, M. C. B.; VIDAL, F. W. H.; VIEIRA, C. M. F. Development of Silicate Glasses with Granite Waste. Green Materials Engineering, p. 209-215. Springer International Publishing. 2019.

BASTOS, I. A. Utilização exclusiva de resíduos de rocha ornamentais para fabricação de vidros comuns. 2018. 70 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia e Desenvolvimento Sustentável). Centro Tecnológico, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2018.

CHIODI FILHO, C. Tipologia das Rochas Ornamentais. Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais – ABIROCHAS. Agosto. 2018.

DOREMUS R. H. Glass science. Wiley Interscience, New Jersey. 1994.

ELLIOT, S. R. Physics of amorphous materials, Essex: Longman, 1989.

GOMES, V. R.; BABISK, M. P.; VIEIRA, C. M. F.; SAMPAIO, J. A.; VIDAL, F. W. H.; GADIOLI, M. C. B. Ornamental stone wastes as an alternate raw material for soda-lime glass manufacturing. Materials Letters, v. 269, p. 127579. Elsevier BV. 2020.

LUZ, A. B. & LINS, F. F. Areia Industrial. In: Rochas e Minerais Industriais. CETEM. 2005. 107-126.

NAVA, N. Geologia das Areias Industriais. In: Principais Depósitos Minerais do Brasil 2005. CETEM, Rio de Janeiro, p.325-331. 1997.

SANTOS, G. G. Utilização de resíduos de granito como matéria-prima alternativa no preparo de vidros comerciais sodo-cálcicos. Dissertação (Mestrado em Ciências Naturais) - Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro. Campos dos Goytacazes/RJ. 2021.

SHELBY J. E. Introduction to glass science and technology. Royal Society of Chemistry, London. 1997.

VARSHNEYA A. K. Fundamentals of inorganic glasses. Academic Press, London. 1993.

VIDAL F. W. H.; AZEVEDO, H. C. A; CASTRO, N. F. Tecnologia de rochas ornamentais: pesquisa, lavra e beneficiamento. CETEM/MCTI. Rio de Janeiro. 2013.

ZACHARIASEN W. H. The atomic arrangement in glass. Journal of the American Chemical Society. 8. 1932.

ZANOTTO E. & MAURO J. The glassy state of matter: its definition and ultimate fate. Journal of Non-Crystalline Solids. 471:490–495. 2017.

ZARZYCK, J., ed., Glasses and amorphous materials, v. 9. In: CAHN, R.W.; HAASEN, P.; KRAMER, E.J., eds., Materials science and technology. New York: VCH Publishers, 1991.

Published

2023-12-12

How to Cite

Babisk, M. P., Gava, V. B., Sampaio, J. A., Tabelini, D. B., Gadioli, M. C. B., & Vieira, C. M. F. (2023). Desenvolvimento de vidros ao chumbo contendo resíduos de rochas ornamentais. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(12), 25100–25113. https://doi.org/10.55905/oelv21n12-090

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)