Impactos socioeconômicos nas comunidades rurais atingidas pela construção da usina Serra do Facão em Catalão (GO)

Authors

  • Fernando Paulino de Castro Borges
  • Aline Valverde Arrotéia
  • Ainglys Cândido Pinheiro
  • Randolpho Natil de Souza

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n12-074

Keywords:

Serra do Facão, expropriação, comunidades, socioambiental

Abstract

O Brasil é um grande produtor de energia hidroelétrica devido à abundância de recursos hídricos, destacando-se com numerosas usinas hidrelétricas. Entretanto, a produção hidrelétrica está sujeita a flutuações climáticas e sazonais, como evidenciado no "Apagão de 2001", que resultou de planejamento inadequado e baixa pluviosidade. Isso levou a cortes programados de eletricidade e destacou a necessidade de diversificar a matriz energética. Nesse contexto, este trabalho aborda os impactos socioambientais da Usina Hidrelétrica Serra do Facão em Catalão (GO). O objetivo é analisar os impactos socioambientais da construção da Usina Hidrelétrica Serra do Facão nas comunidades locais, destacando desapropriações, perda de meios de subsistência e biodiversidade. Além disso, busca-se compreender como a construção da usina afetou as relações sociais, políticas e econômicas das comunidades camponesas. O estudo se baseia em dados de campo e pesquisa documental. São apresentados casos específicos das comunidades Olhos D’Água e Anta Gorda, que sofreram impactos profundos devido à construção da usina. O trabalho também destaca a importância da organização e mobilização das comunidades afetadas, exemplificada pelo Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB). A produção hidroelétrica é fundamental no Brasil, mas a construção de usinas como a Serra do Facão resulta em impactos socioambientais significativos. A expropriação das comunidades camponesas e a inundação de terras férteis causam perdas irreparáveis de laços sociais, tradições e modos de vida. Além disso, a priorização dos interesses econômicos muitas vezes prejudica as comunidades locais e o meio ambiente. É essencial encontrar um equilíbrio entre a demanda por energia e a proteção das comunidades e do meio ambiente. Isso requer uma avaliação cuidadosa dos projetos de geração de energia, considerando não apenas os aspectos econômicos, mas também os sociais, culturais e ambientais. A mobilização das comunidades, exemplificada pelo MAB, desempenha um papel importante na busca por indenizações justas e na defesa de seus direitos. Em última análise, o desenvolvimento energético no Brasil deve ser sustentável e equitativo, levando em conta o bem-estar das comunidades locais. A construção de usinas hidrelétricas deve ser acompanhada por uma análise criteriosa de seus impactos e uma abordagem inclusiva.

References

OLIVEIRA, A. U. Modo de produção capitalista, agricultura e reforma agrária. São Paulo: Labur, Edições, 2007, 184p.

Oliveira, A. Nas trilhas da memória: transformações de um passado presente em Serra do Facão. (2008 - 2020). 2022

REINALDO, H.C. Hifrelétrica Serra do Facão no Rio São Marcos: tramas e dramas sobre Davinópolis. Catalão, 2012.

VAINER, C. B.; ARAUJO, F. G. B. Grandes projetos hidrelétricos e desenvolvimento regional. Rio de Janeiro: CEDI, 1992.

ZHOURI, A.; LASCHEFSKI, K; PEREIRA, D. (org.). A insustentável leveza da política ambiental. Desenvolvimento e conflitos socioambientais. Belo Horizonte: Autêntica. 2005.

SEFAC. Deisponível em: http://www.sefac.com.br/index.php?arq=programas_sa&grupo=1 Acesso em: 24/08/17.

FERREIRA, S. Estimativa de emissão de metano na formação do reservatório da hidrelétrica Serra do Facão. Goiás:- Caderno de Geografia. v.27, n.48, 2017

Published

2023-12-11

How to Cite

Borges, F. P. de C., Arrotéia, A. V., Pinheiro, A. C., & de Souza, R. N. (2023). Impactos socioeconômicos nas comunidades rurais atingidas pela construção da usina Serra do Facão em Catalão (GO). OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(12), 24817–24831. https://doi.org/10.55905/oelv21n12-074

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)