As influências dos eixos de desenvolvimento na dinâmica populacional no estado de Tocantins – BR

Authors

  • Roberto de Souza Santos
  • Aires José Pereira

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n12-063

Keywords:

corredores de desenvolvimento regional, crescimento populacional, processo de urbanização

Abstract

O objetivo do presente artigo é abordar as influências dos eixos de desenvolvimento regional na dinâmica populacional do Tocantins-BR. Primeiramente, elaborou-se uma revisão bibliográfica sobre o tema; em seguida, executou-se uma pesquisa empírica a partir de elaboração de quadros de dados estatísticos coletados nos Censos do IBGE (2010) e elaboraram-se mapas. A pesquisa aponta que os eixos de desenvolvimento no Tocantins, historicamente, tiveram e têm um papel importante na dinâmica e no crescimento populacional do estado. Desde a navegação comercial no rio Tocantins até os dias atuais, com a construção da Ferrovia Norte-Sul, os eixos de desenvolvimento regional contribuíram de forma considerável para a dinâmica populacional e econômica do estado. O que se percebe é que as rodovias, ferrovias e hidrovias têm demonstrado a possibilidade de impulsionar a dinâmica do eixo econômico e, em consequência, acelerar o processo de urbanização e do crescimento demográfico. Entretanto, todo o processo de urbanização tem beneficiado diretamente a sociedade capitalista e não necessariamente a população de uma forma geral. A rodovia Belém-Brasília teve e continua tendo um papel importante para o processo de urbanização regional, para a expansão do capital na região Norte e para assegurar a geopolítica do Estado brasileiro, sobretudo no governo militar. Nos últimos tempos, tem-se a Ferrovia Norte-Sul, com um papel muito focado no transporte de commodities agrícolas, portanto, sua funcionalidade é puramente econômica, inclusive, apenas para algumas multinacionais.

References

BALDUINO, Dom Tomás. Testemunho e profecia. In.: CPT. Conflitos no Campo Brasil 2009. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

CANO, Wilson. Desiquilíbrios regionais e concentração industrial no Brasil, 1930 e 1995. 2. ed. Campinas - SP: Editora UNICAMP 1998.

CARNEIRO, Maria Esperança Fernandes. A revolta camponesa de Formoso e trombas. 2. ed. São Paulo: Anita Garibalde coedição com a Fundação Mauricio Grabois, 2014.

CASTRO, I. E. de. O problema da escala. In: CASTRO, I. E. de; GOMES, P. C. da C.; LOBATO, R. C. (Orgs.). Geografia: conceito e temas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1995, p. 117-140.

CILLI, Michelle Araújo Luz. A atuação do poder legislativo no Tocantins: desenvolvimento e práticas patrimonialistas. 2013. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional) - Universidade Federal do Tocantins, Palmas – TO, 2013.

COSTA, W. M. O Estado e as políticas no Brasil. 4 ed. São Paulo: contexto, 1995, p. 49-55.

FLORES, Kátia Maia. Caminhos que andam: o rio Tocantins e a navegação fluvial nos sertões do Brasil. 2006. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2006.

GONÇALVES. Carlos Walter Porto. Amazônia, Amazônias. São Paulo: Contexto, 2001.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA- IBGE. Séries Históricas e Estatísticas: censo demográfico 1950/2010. Disponível em: http://seriesestatisticas.ibge.gov.br/series.aspxno=6&op=1&vcodigo=CD91&t=populacao-situacao-domicilio-populacao-presente-residente. Acesso em: 22 nov. 2016.

LIRA, Elizeu Ribeiro. A Gênese de Palmas-TO: a geopolítica de (re)ocupação territorial na Amazônia Legal. Goiânia: Kelps, 2011.

MACHADO, Lia Osorio. Urbanização e Mercado de Trabalho na Amazônia Brasileira. CADERNOS IPPUR, Rio de Janeiro, Ano XIII, n. 1, p.109-138, jan./jul. 1999.

MIRANDA, Ricardo Ferreira. Miracema do Tocantins: uma cidade em (des)construção. 2015. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal do Tocantins, Porto Nacional/TO, 2015.

OLIVEIRA, Maria de Fátima; ROCHA, Leandro Mendes. Memórias de um Rio Afogado: Tocantins 1914-2014. FRONTEIRAS: Journal of Social, Technological and Environmental Science, Anápolis, v. 3, n. 1, p. 66-77, jan./jul. 2014.

OLIVEIRA, Rosy de. O movimento separatista do Tocantins e a CONORTE (1981-1988). 1998. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas – SP, 1998.

PAULA, Maria Helena de; ALMEIDA, Mayara Aparecida Ribeiro de. Entre arraiais, vilas, cidades, comarcas e províncias: terminologia das representações do espaço no Sudeste goiano no século XIX. Revista (Con)Textos Linguísticos, Vitória-ES, v. 10 n. 17, 2016.

PEREIRA, Aires José. Ensaios Geográficos e Interdisciplinaridade Poética. 6.ed. Rio de Janeiro: CBJE, 2020.

SANTOS, Marco Túlio Gomes Dos. Ferrovia Norte-Sul: impactos no desenvolvimento territorial no estado do Tocantins. 2020. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Planejamento Territorial) - Pontifícia da Universidade Católica de Goiás, Goiânia – GO, 2020.

SANTOS, Milton. A urbanização Brasileira. São Paulo: Hucitec, 1993.

SANTOS, Milton; SILVEIRA, Maria Laura. O Brasil: território e sociedade no início do século XXI. 9. ed. Rio de Janeiro: Record, 2006.

SANTOS, Milton. Manual de Geografia urbana. 3 ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2012.

SATHLER, Douglas; MONTE-MÓR, Roberto L.; CARVALHO, José Alberto Magno. As redes para além dos rios: urbanização e desequilíbrios na Amazônia brasileira. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 19, n. 1, p. 11-39, jan./abr. 2009.

SOUSA, Michelle Louise; PACHECO, Rafael Araújo. A influência da rodovia Belém-Brasília no processo de desenvolvimento das cidades do Centro-Norte de Goiás. Revista Eletrônica Geoaraguaia, Barra do Garças-MT., v. 3, n. 2, p. 246 - 262, ago./dez. 2013. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/geo/article/view/4864/3274. Acesso em: 30 jun. 2022.

SOUZA, Carlos Augusto de Silva. Urbanização na Amazônia. Belém do Pará: Unama, 2000.

Published

2023-12-09

How to Cite

Santos, R. de S., & Pereira, A. J. (2023). As influências dos eixos de desenvolvimento na dinâmica populacional no estado de Tocantins – BR. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(12), 24576–24605. https://doi.org/10.55905/oelv21n12-063

Issue

Section

Articles