A botânica e o cerrado na disciplina de ciências da natureza: uma análise do documento curricular para Goiás – DC-GO ampliado

Authors

  • Charles Lima Ribeiro
  • Rosângela Marques Romualdo Cardoso
  • Bruno Pereira Lemos
  • Josana de Castro Peixoto
  • Andreia Juliana Rodrigues Caldeira

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv22n1-085

Keywords:

ensino de ciências, educação, currículo

Abstract

A Botânica, o Cerrado e as plantas do Cerrado, são temáticas importantes que devem ser abordadas de forma contextualizada e interdisciplinar no ensino de Ciências da Natureza, no entanto, ainda enfrentam inúmeros desafios por serem negligenciados, não evidenciados ou não discutidas em ambiente escolar. Dentro deste contexto, este estudo analisou o componente curricular de Ciências da Natureza e observou como os temas Botânica e Cerrado são abordados no Documento Curricular para Goiás Ampliado - DC-GO Ampliado; por meio de uma análise exploratória desses documentos oficiais e norteadores do Sistema de Educação do estado de Goiás. Percebeu-se que o ensino de Botânica foi mais contemplado nas habilidades do 2° ano dos Anos Iniciais e temas relacionados ao Cerrado no 2° e 4° ano dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, em que a relação plantas do Cerrado foi uma temática que ficou relacionada com os animais do Cerrado. Devido a impercepção botânica ainda existente, acredita-se que o tema plantas do Cerrado, seja esquecido na prática docente. Pode-se concluir que o ensino de Botânica, de temáticas envolvendo especificamente o Cerrado estão fragmentados nas habilidades do DC-GO Ampliado e até mesmo inexistentes em alguns anos escolares dos Anos Iniciais e Finais do Ensino Fundamental. Observou assim uma deficiência quanto aos conhecimentos voltados a botânica e o Cerrado, e com isso a impossibilidade de movimentos sócio-educacionais emancipatórios que promovam a preservação e conservação do bioma, através da educação científica.

References

AMARAL, D. F. do; et al. Percepção sobre o Bioma Cerrado (Goiás, Brasil) de Estudantes do Ensino Médio de Escolas da Educação Básica. Revista Portuguesa de Estudos Regionais, n.45, p.71-82, 2017.

BALAS, B.; MOMSEN, J. L. Attention “Blinks” differently for plants and animals. CBE: Life Sciences Education, v.3, n.3, p.437-443, 2014.

BARCELLOS, L. DA S.; COELHO, G. R. Formação Continuada de Professores do Ensino Fundamental e a Alfabetização Científica: Estado do Conhecimento de 1992 a 2020. RBPEC: Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v.22, 2021.

BEZERRA, R. G.; NASCIMENTO, L. M. C. T. Concepções do bioma Cerrado apresentadas por estudantes do ensino fundamental de Formosa – Goiás. Cadernos de Educação Tecnologia e Sociedade, v.8, n.1, 2015.

BIZERRIL, M. X. A.; FARIA, D. S. A escola e a conservação do Cerrado: Uma análise no ensino fundamental do Distrito Federal. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Fundação Universidade do Rio Grande, v.10, 2003.

BRASIL, Base Nacional Comum Curricular-BNCC/MEC, 2017. Disponível em: basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110158_versão final_site.pdf. Acesso em: 04 de abril de 2022.

BOLSON, S. H.; ARAÚJO, S. F. de. As Metas Brasileiras ao Acordo de Paris sobre as Mudanças Climáticas e o Desmatamento Ilegal no Bioma Cerrado: A Omissão do Estado Brasileiro. RELPE - Revista Leituras em Pedagogia e Educação, v.5, n.1, p.144-158, 2022.

BRITO, R. L. N.; SALOMÃO, L. C.; DIAS, K. DOS S.; SIQUEIRA, A. P. S. Educação ambiental formal no Cerrado de corrente - Piauí: Abordagens possíveis na geografia do ensino fundamental. Revista Ibero-Americana de Ciências Ambientais, v.13 n.8, ago., 2022.

CARDOSO, L. DE R.; ARAÚJO, M. I. de O. Currículo de ciências: Professores e escolas do campo. Revista Ensaio, v.14, n. 02, p.121-135, ago.-nov., 2012.

CARDOSO, R. M. R; ARAÚJO, C. S. T; SANTOS, M. L. O ensino de Ciências para investigação no 6º ano dos Anos Finais do Ensino Fundamental: uma análise das habilidades propostas no DC-GO Ampliado. XIII Encontro Nacional de Professores do Ensino de Ciências, 2021.

CARDOSO, R. M. R; ARAÚJO, C. S. T; RODRIGUES, O. S. Formação de Professores da Rede Municipal de Ouro Verde de Goiás/GO: “O Ensino para a Educação na Contemporaneidade”. In: Educação: Ensaios para uma aprendizagem significativa. 1 ed. Campo Grande: Inovar, v.1, p. 11 – 228, 2021.

CHAVEIRO, E. F.; CASTILHO, D. Cerrado: Patrimônio genético, cultural e simbólico. Revista Mirante, v.2, n.1, Pires do Rio – GO, UEG, 2007.

CREAGH, M. C.; MARTÍNEZ, F. del C. G. La enseñanza de la botánica como vía para la sostenibilidad del medio ambiente. Contemporary Problems of Social Work, v.4, n.2, 2018.

GARCÍA-BERLANGA, O. M. Las plantas como recursos didácticos. La botánica en la enseñanza de las ciencias. Flora Montiberica, v.73, p.93-99, 2019.

GOIÁS. Documento Curricular para Goiás Ampliado, DC-GO, 5ª versão. Disponível em: www.cee.go.gov.br/documento-curricular-para-goias-dc-go . Acesso em: 09 de fevereiro de 2023.

KANDA, C. Z.; ANDRADE, J. A. DA C.; ARAÚJO, C. A. M..; MEIRELLES, P. G. Trilha sensitiva como estratégia de ensino do bioma Cerrado. Revbea, São Paulo, v.9, n.1, p.23-36, 2014.

KAUANO, R. V.; MARANDINO, M. Paulo Freire na Educação em Ciências Naturais: Tendências e Articulações com a Alfabetização Científica e o Movimento CTSA. RBPEC- Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v.22, 2021.

MARCONDES, M. E. R. As Ciências da Natureza nas 1ª e 2ª versões da Base Nacional Comum Curricular. Estudos Avançados, v.32, n.94, 2018.

MARTINS, N. R. S.; NUNES, J. F. Atividades Interdisciplinares para potencializar o Ensino de Ciências da Natureza. Research, Society and Development, v.11, n.6, 2022.

MASCARENHAS, L. M. de A. A Tutela Legal do Bioma Cerrado. Revista UFG, n.9, dez., ano XII, 2010.

MUNDIM, J. V.; SANTOS, W. L. P. dos. Ensino de ciências no ensino fundamental por meio de temas sociocientíficos: Análise de uma prática pedagógica com vista à superação do ensino disciplinar. Ciência & Educação, v.18, n.4, p.787-802, 2012.

OLIVEIRA-NETO, F. F. DE O.; JORGE, T. S.; GARCIA, C. S.; et al. Jogos Didáticos no Ensino de Botânica: Enraizando e Batalha Algal. Hoehnea, v.49, 2022.

PAIVA, S.C.; OLIVEIRA, M. C. de. A BNCC e a educação infantil: Uma análise a partir do DC-GO. REEDUC – Revista de Estudos em Educação, v.6, n.2, ago.-dez., 2020.

PEREIRA, M. S. Sequência de ensino investigativa sobre o bioma Cerrado: uma proposta para o letramento científico. 2021. 168 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino de Ciências) - Câmpus Central - Sede: Anápolis - CET, Universidade Estadual de Goiás, Anápolis-GO.

REIS, P. Desafios à Educação em Ciências em Tempos Conturbados. Ciência & Educação, v.27, 2021.

RIBEIRO, C.L.; et al. Cerrado: De bolsão de biodiversidade a prisioneiro do desenvolvimento. In: LEAL, A.C.; CÉSARO, S.G.F.de; TAVARES, G.G.; et al. Cooperação acadêmica para estudos ambientais do Cerrado. Editora Kelps, v.1, 2021.

ROCHA, P.; et al. Recursos didácticos y contenidos en la enseñanza de botánica en una escuela brasileña. Revista Bio-grafía: Escritos sobre la Biología y su enseñanza, Número Extraordinario. p.1433-1440, 2022.

SASSERON, L. H. Ensino de Ciências por investigação e o desenvolvimento de práticas: Uma mirada para a Base Nacional Comum Curricular. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v.18, n.3, p.1061–1085, dez., 2018.

SILVA, C. L. DA; JESUS, C. A. DE; SILVA, J. M.; VIDAL, M. da C. A produção de revista como método de ensino em botânica: Relato de experiência de licenciandas em Ciências Biológicas. Revista Multidisciplinar Humanidades e Tecnologias (Finon), v.37, out.-dez., 2022.

SOUZA, C. R. DA S.; MONEGO, E. T.; SANTIAGO, R. de A. C. Conhecimentos tradicionais quilombolas, uso e caracterização da biodiversidade do Cerrado goiano. Brazilian Journal of Development, v.6, n.6, p.35586–35597, 2020.

SOUSA, J. F. DE; GRECCO, S. dos S. O desenvolvimento do letramento científico para o ensino das ciências da natureza e saúde a partir de metodologias ativas, 2019. Disponível em: https://repositorio.pgsskroton.com//handle/123456789/24261. Acesso: 22 nov. 2021.

TATSCH, H. M.; SEPEL, L. M. N. Ensino de botânica em espaços não formais: Percepções de alunos do ensino fundamental em uma aula de campo. Research, Society and Development, v.11, n.4, 2022.

URSI, S.; BARBOSA, P. P.; SANO, P. T.; BERCHEZ, F. A. de S. Ensino de Botânica: Conhecimento e encantamento na educação científica. Estudos Avançados, v.32, n.94, 2018.

URSI, S.; SALATINO, A. É tempo de superar termos capacitistas no ensino de biologia: “Impercepção botânica” como alternativa para “cegueira botânica”. Boletim Botânico da Universidade de São Paulo, v.39, p.1-4, 2022.

VILELA, M. L.; SELLES, S. E. É possível uma Educação em Ciências crítica em tempos de negacionismo científico? Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 37, n. 3, p.1722-1747, dez., 2020.

YOUNG, M. Teoria do currículo: O que é e por que é importante. BECK, L. (Trad.). Cadernos de Pesquisa, v.44, n.151, p.190-202, jan.-mar., 2014.

WEINZETTEL, J., VACKÁR, D., MEDKOVÁ, H. Human footprint in biodiversity hotspots. Frontiers in Ecology and the Environment, v.16, n.8, out., 2018.

WOHLLEBEN, P. A vida secreta das árvores. Rissatti, P. (Trad.). Rio de Janeiro: Sextante, 224p., 2017.

Published

2024-01-18

How to Cite

Ribeiro , C. L., Cardoso, R. M. R., Lemos, B. P., Peixoto, J. de C., & Caldeira, A. J. R. (2024). A botânica e o cerrado na disciplina de ciências da natureza: uma análise do documento curricular para Goiás – DC-GO ampliado. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 22(1), 1602–1623. https://doi.org/10.55905/oelv22n1-085

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)