Análise da dinâmica do uso da terra nas áreas de preservação permanente urbanas em Mogi das Cruzes – SP

Authors

  • Felipe Keiji Feital Harano
  • Edinéia Aparecida dos Santos Galvanin

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n12-189

Keywords:

áreas de preservação permanente, desmatamento, restauração, dinâmica do uso e cobertura da terra

Abstract

O desenvolvimento urbano e a consequente urbanização vêm causando conflitos no ambiente. Um dos instrumentos legais para o controle e proteção dos cursos d’agua localizados na área urbana são as Áreas de Preservação Permanente (APP). No entanto, estas áreas vêm sofrendo forte influência e alterações de uso da terra, que podem acarretar danos aos recursos hídricos, por meio dessa temática o presente artigo tem como objetivo estudar a alteração do uso e cobertura da terra presente nas áreas de preservação permanente urbanas do município de Mogi das Cruzes e a dinâmica de alteração ocorrida entre os anos de 1985 e 2019. Para o desenvolvimento do estudo, foram utilizadas imagens aéreas de uso e cobertura da terra recortadas para as faixas de Áreas de Preservação Permanente hídrica para a comparação das variações ocorridas e a quantificação das alterações, estas transições foram classificadas em manutenção, desmatamento e restauração. Como resultado o estudo apresentou que 19,23% da área urbana é composta por Áreas de Preservação Permanente, estando 679,39 hectares degradados em 2019, além de concluir que no município houve a maior manutenção das formações naturais, e ao comparar a restauração com o desmatamento, houve o predomínio do desmatamento.

References

CORAZZA, J.; KALIL, R. M. L.; BOROWSKI, G. da C. OLAM - Ciência & Tecnologia, Rio Claro, SP, Brasil – eISSN: 1982-7784 Está licenciada sob Licença Creative Commons. OLAM Ciência & Tecnologia, Rio Claro, v. 8, n. 1, p. 137, 2008.

FRANCISCO, B. da S. de S.; SARTORELLO, R. Revista Científica UMC. Revista Cietífica UMC, [s. l.], p. 1–4, 2018.

GAVIOLI, F. R.; HOSSOMI, A. M. T. Avaliação da temporalidade de ocupações em áreas de preservação permanente no município de Jundiaí/SP. REVISTA DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ARBORIZAÇÃO URBANA, Curitiba, v. 15, n. 3, p. 1–17, 2020.

LUCON, T. N.; FILHO, J. F. do P.; SOBREIRA, F. G.; BOJIKIAN, C. T. Análise das Áreas de Preservaçao Permanente do Perímetro Urbano de Ouro Preto (MG). Revista da Sociedade Brasileira de Arborizaçao Urbana, [s. l.], v. 6, n. 4, p. 107–124, 2011.

MELLO, K.; PETRI, L.; LEITE, E. C.; TOPPA, R. H. Environmental scenarios for land planning of Permanent Preservation Areas in Sorocaba, SP | Cenários ambientais para o ordenamento territorial de Áreas de Preservação Permanente no município de Sorocaba, SP. Revista Arvore, [s. l.], v. 38, n. 2, p. 309–317, 2014.

BRASIL. Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Institui o novo código florestal brasileiro

SILVA, H. R. O. Da; GUIMARÃES, S. C. P.; OLIVEIRA, L. B. De. O uso do geoprocessamento na espacialização e avaliação das Áreas de Preservação Permanente: Cidade de Porto Velho-RO. Confins, [s. l.], n. 30, p. 1–10, 2017.

SILVA FILHO, D. F. Da; BORTOLETO, S. Uso de indicadores de diversidade na adefinição de plano de manejo de aborização viária de águas de São Pedro - SP. Revista Árvore, [s. l.], v. 29, n. 6, p. 973–981, 2005.

Published

2023-12-22

How to Cite

Harano, F. K. F., & Galvanin , E. A. dos S. (2023). Análise da dinâmica do uso da terra nas áreas de preservação permanente urbanas em Mogi das Cruzes – SP. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(12), 27002–27014. https://doi.org/10.55905/oelv21n12-189

Issue

Section

Articles