Índice de local para Khaya Spp. usando o diâmetro dominante

Authors

  • Roberta Rodrigues de Oliveira
  • Christian Dias Cabacinha
  • Carlos Alberto Araújo Júnior
  • Rodrigo Magalhães Nunes
  • Ximena Mendes de Oliveira
  • Sintia Valerio Kohler
  • Luiz Otávio Rodrigues Pinto

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n12-209

Keywords:

crescimento, sítios florestais, mogno africano

Abstract

A capacidade produtiva de um local está intimamente relacionada ao crescimento e a produção de um povoamento, e é um dos principais pilares para o manejo florestal. O objetivo deste estudo foi classificar a capacidade produtiva de povoamentos de Khaya spp. no norte de Minas Gerais, utilizando o diâmetro dominante como parâmetro. Para isso, empregou-se o método da curva guia, ajustando modelos não lineares que relacionam o diâmetro dominante e a idade, como os modelos de Schumacher, Logístico de 3 parâmetros, Prodan, Chapman-Richards, Monomolecular e Bates-Watts. As curvas de índice de sítio foram geradas com uma idade de referência de 240 meses. Na avaliação da qualidade dos ajustes dos modelos, foram consideradas estatísticas como o erro padrão residual, o critério de informação Akaike, a correlação entre valores observados e estimados, e a dispersão residual. Os resultados indicaram que todos os modelos se adequaram devidamente à base de dados, destacando-se o modelo Logístico por sua eficiência em gerar resultados com maior realismo biológico, sendo recomendado para a classificação de sítios e a previsão do diâmetro dominante em povoamentos de mogno africano.

References

ARIAS-RODIL, M; et al. Evaluation of age-independent methods of estimating site index and predicting height growth: a case study for maritime pine in Asturias (NW Spain). European Journal of Forest Research, v. 134, p. 223-233, 2015.

ASSMANN, E. The principles of forest yield study. Oxford: Pergamon Press, 1970. 506 p.

AVERY , T.E.; BURKHART, H.E Forest measurements.4ed. New York: McGrawHill Book Co,1994,408 p.

AVERY, T. E.; BURKHART, H. E. Forest mensuration. 4. ed. New York: McGraw-Hill, 1994.

BATHGATE, J. L.,et al. Microsite effect on Eucalyptus regnans growth. New Zeal. J. For. Sci. 23, 154–162, 1993.

BELTRAN, H. A. et al. Diametric site index: an alternative method to estimate site quality in nothofagus obliqua and n. Alpina Forests. CERNE. vol.22, n.3, pp.345-354. ISSN 2317-6342. 2016.

BILA, J. M.; SANQUETTA, C. R.; MACHADO, S. do A. Classificação de sítios com base em fatores edáficos para Pinus caribaea var, hondurensis na região de Prata, Minas Gerais. Floresta, Curitiba, v. 42, n. 3, p. 465–474, 2012.

BURKHART, HE; TOMÉ, M. Modelagem de árvores florestais e Stands. Springer, 2012. 457p.

CAMPOS, J.C.C.; LEITE, H.G. Mensuração florestal: perguntas e respostas.5 ed. Viçosa, MG: Universidade Federal de Viçosa, 2017. 605p.

CHAVES, A.G.S.; et al. Capacidade produtiva de Tectona grandis L.f no Sudoeste de Mato Grosso. Sci. For., Piracicaba, v. 44, n. 110, p. 415-424, jun. 2016.

CLUTTER, J. C. et al., Timber management: a quantitative approach. 3. Ed. New York: John Willey e Sons, 1983. 333p.

FLORENTIM, E. T. de S.; et al. Spatialization of monthly and annual rainfall erosivity in the Córrego Fundo hydrographic basin, Aquidauana-MS. Research, Society and Development, v. 10, n. 1, p. e3110111173, 2021.

FU, L ; et al. Comparing height–age and height–diameter modelling approaches for estimating site productivity of natural uneven-aged forests.Forestry An International Journal of Forest Research ,2017.

JIANG, H. et al. Climate- and soil-based models of site productivity in eastern US tree species. Can. J. For. Res. 45, 325–342, 2015.

LEITE, H., et al .Classificação da Capacidade Produtiva de Povoamentos de Eucalipto Utilizando Diametro Dominante. Silva Lusitana, 19 (2), 169-183. (2011).

LOCOCELLI,G.M.; et al. Global tree-ring analysis reveals rapid decrease in tropical tree longevity with temperature. vol. 117 no. 52 . PNAS. University of São Paulo, Sao José dos Campos, Brazil, December 29, 2020.

MACHADO, S. A. et al. Classificação de sítio para bracatingais na região metropolitana de Curitiba. Boletim de Pesquisa Florestal, Colombo, n. 35, p. 21-37, 1997

MELO, E.A.; et al. Modelagem não linear da relação hipsométrica e do crescimento das árvores dominantes e codominantes de Eucalyptus sp. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 27, n. 4, p. 1325-1338, out.-dez., 2017.

MIGUEL, E. P.; et al. Classificação de sítio para plantios de Eucalyptus urophylla em Niquelândia, estado de Goiás. Enciclopédia Biosfera, Goiânia, v. 7, n. 12, p. 1- 11, mai. 2011.

PEGO, M. F. F.; ASSIS, A. L. de; CABACINHA, C. D. Classificação de sítios florestais em povoamentos de eucalipto na microrregião de Salinas, Minas Gerais. Enciclopédia Biosfera, Goiânia, v. 11, n. 1, p. 1-5, jun. 2015.

PINHEIRO, L. P. et al.,Ecologia, silvicultura e tecnologia de utilização dos mognos africanos (Khaya spp.). Viçosa: Sociedade Brasileira de Agrossilvicultura - SBAG, 2011. 102 p

PISSININ, L. Z.; SCHNEIDER, P. R. Tendências de crescimento em altura dominante de dois clones de Eucalyptus saligna Smith implantados em distintas condições de solo. Ciênc. Florest., Santa Maria, v. 27, n. 1, p. 263-275, mar. 2017

REIS, C. A. F. et al. Caracterização das espécies pertencentes ao gênero Khaya de interesse no Brasil. Mogno-africano (Khaya spp.): atualidades e perspectivas do cultivo no Brasil. Embrapa 2019.

RETSLAFF, F. A. de S.; et al. Curvas de sítio e relações hipsométricas para Eucalyptus grandisna região dos campos gerais. Paraná, Cerne, Lavras, v. 21, n. 2, p. 219– 225, jan. 2015.

RIBEIRO, A.;et al. Site quality curves for African mahogany plantations in Brazil. Cerne, v. 22, n. 4, p. 439-448, 2016.

RIBEIRO, A. ; et al. O Cultivo do Mogno Africano (Khaya spp.) e o Crescimento da Atividade no Brasil. FLORAM, v. 24, p. 1-11, 2017.

ROMANO, A. W. et al. Geologia e recursos minerais da folha Corinto: estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: CPRM, 2014.

SANTOS, A.M. et al., .Aspectossilviculturais Aspectos silviculturais para EMBRAPA , 2019.

SCHUCHOVSKI, M. A.; ARCE, J. E.; OLIVEIRA; E. B. Altura dominante e índice de sítio para Pinus taeda em dois polos de desenvolvimento florestal no sul do Brasil Scientia Forestalis, Piracicaba, v. 47, n. 121, p. 92-104, mar. 2019

SELLE, G.L.; PAULESKI,D.T; BRAZ,E. M. Como classificar sítios florestais através da altura dominante do povoamento. Colombo: Embrapa florestal, 2008. 46p (serie documento EMBRAPA).

SHIMAKURA, S. E. Correlação. In CE003 - Estatística II. Paraná: Dep. de Estatística –

UFPR: 71-78, 2006.

SILVA, A.,et al.Classificação de sítios em plantio florestal de eucalipto no estado do Amapá. Revista Arquivos Científicos (IMMES), 3(1), 106-110, (2020).

SILVA, G. C. C.; et al. Site index curves in thinned and non-thinned eucalyptus stands.

Forest Ecology and Management, Volume 408, 15 January 2018, Pages 36-44.

SILVA, I.A.R. Avaliação de regime de manejo para um povoamento dekhaya spp. na região central do estado de minas gerais. Trabalho de conclusão de curso (Bacharel em Engenharia Florestal). UFMG. 2019.

SKOVSGAARD, J. P.; VANCLAY, J. K. Forest site productivity: a review of spatial and temporal variability in natural site conditions. Forestry, Oxford, v. 86, n. 3, p. 305-315, abr. 2013.

STOLE, L. Simulação e espacialização da fragili dade ambiental em relação às atividades flores tais. p . 78. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal)

– Universidade Federal de Paraná, Curitiba, 2008.

VILLANUEVA, J. R.B. et al.; Análisis de la eficiencia del uso de los diámetros dominantes en la construcción de curvas de índice local con cinco métodos analíticos. Revista Científica UNTRM: Ciencias Naturales e Ingeniería.VL - 2. 2016.

YAHYA A. Z., MAHAT M. N., RASIP A. A. . Growth of plantation grown Khaya ivorensis in peninsular Malaysia. Journal of Tropical Forest Science 11 (4): 849-851,1999.

Published

2023-12-26

How to Cite

de Oliveira, R. R., Cabacinha , C. D., Araújo Júnior, C. A., Nunes, R. M., de Oliveira, X. M., Kohler, S. V., & Pinto, L. O. R. (2023). Índice de local para Khaya Spp. usando o diâmetro dominante. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(12), 27351–27374. https://doi.org/10.55905/oelv21n12-209

Issue

Section

Articles