Densidade do solo em diferentes agroecossistemas no sudeste paraense, Amazônia oriental

Authors

  • Bruna Stephane Nascimento da Silva
  • Gleidson Marques Pereira
  • Mateus do Carmo Rocha
  • Rosângela Gouvêa Pinto
  • Thyago Gonçalves Miranda
  • Airton dos Reis Pereira
  • Seidel Ferreira dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n12-098

Keywords:

física do solo, qualidade do solo, assentamento rurais

Abstract

O solo é visto principalmente como um componente crítico da produção agrícola na sabedoria tradicional. Nos anos mais recentes, a comunidade científica tem reconhecido cada vez mais que o solo é também um componente essencial para a proteção ambiental a mitigação das alterações climáticas, os serviços ecossistémicos, bem como uso e planejamento da terra. Entre as propriedades físicas do solo, a mais avaliada está a densidade, que fornece indicações a respeito do estado de compactação do solo, uma relação entre massa de solo seco e seu volume, sendo, portanto, afetada por modificações na estrutura e no arranjo e volume dos poros. O objetivo desse estudo foi analisar a variabilidade da densidade do solo em um assentamento rural classificado como Projeto de Desenvolvimento Sustentável (PDS) Porto Seguro sob diferentes coberturas vegetais. Para realização de análise de densidade do solo (DS) em laboratório, foram coletadas amostras do solo na propriedade em um ponto central de cada parcela (tratamentos: cultivo de mandioca – CM, mata nativa – MN e Sistema Agroflorestal - SAF), utilizando o método de anel volumétrico (MAV). As análises físicas constaram dos seguintes atributos: Análise Granulométrica e Densidade do Solo (DS). Foi realizada uma análise de variância (ANOVA) e em caso de diferença significativa as médias foram comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade de erro. Considerando a análise dos resultados de densidade do solo em diferentes usos e manejos, pode-se afirmar que não há maiores preocupações quanto à perda de solo por erosão, retenção de água ou compactação. Nos assentamentos rurais, a adoção de sistemas agroflorestais pode trazer diversos benefícios com maior diversidade de produtos para os agricultores.

References

Anjos, L. H. C.; Silva, L. M.; Wadt, P. G. S.; Lumbreras, J. F.; Pereira, M. G. Guia de campo da IX Reunião Brasileira de Classificação e correlação de solos. Brasília: Embrapa, 2013.

Almeida, K. M. de, Pereira, G. M., Da Silva, J. P. S., Da Silva, J. P., Santos, L. M. M. dos, Santos, N. C. F. dos Avaliação estrutural do solo no Projeto de Desenvolvimento Sustentável Porto Seguro, Marabá – PA. 2020. DOI 10.22533/at.ed.4312022011

ARSHAL, M. A.; LOWERY, L.; GROSSMAN, B. Phisical test for monitoring soil quality. In: Doran, J. W; Jones, A. J (Ed.) methods for assessing soil quality madson: soil science society of Americana, 1996. P 123-142. Disponível em: https://dl.sciencesocieties.org/publications/books/pdfs/sssaspecialpubl/methodsforasses/frontmatter. Acesso em: 04/06/2020.

Bahram, M., Hildebrand, F., Forslund, S.K., Anderson, J.L., Soudzilovskaia, N.A., Bodegom, P.M., et al., Structure and function of the global topsoil microbiome. Nature 560, 233. 2018. https://doi.org/10.1038/s41586-018-0386-6

Bampa, F., O’Sullivan, L., Madena, K., Sandén, T., Spiegel, H., Henriksen, C.B., et al., Harvesting European knowledge on soil functions and land management using multi-criteria decision analysis. Soil Use Manag. 35, 6–20. 2019. https://doi.org/10.1111/sum.12506

Batey, T. Soil compaction and soil management—a review. Soil Use Manage 25:335–345. 2009. https://doi.org/10.1111/j.1475-2743. 2009.00236.x

Bouma, J., Montanarella, L., Evanylo, G., The challenge for the soil science community to contribute to the implementation of the UN Sustainable Development Goals. Soil Use Manag. 35, 538–546. 2019. https://doi.org/10.1111/sum.12518

Castro, M. A., Cunha, F. F., Lima, S. F., Paiva V. B. No, Leite, D. A. P., Magalhães, F. F. et al., Atributos físico-hídricos do solo ocupado com pastagem degradada e floresta nativa no Cerrado Sul-MatoGrossense. Brazilian Geographical Journal: Geosciences and Humanities Research Medium 2012; 3(2): 498-512.

PERUSI, M. C. & BARROS, C. E. Indicadores físicos de qualidade do solo em diferentes sistemas agroflorestais (SAFs) no sítio Mãe Terra, assentamento rural Horto Bela Vista, Iperó/SP. Cadernos de Agroecologia – ISSN 2236-7934 - Anais do XI Congresso Brasileiro de Agroecologia, São Cristóvão, Sergipe - v. 15, no 2, 2020. file:///C:/Users/enggl/Downloads/4745-Texto%20do%20resumo-27193-1-10-20200913.pdf

Dalben AD, Osaki F. Atributos físicos do solo de um cambissolo háplico em floresta nativa e de Pinus taeda. Revista Acadêmica de Ciências Agrárias e Ambientais 2008; 6(1): 29-37.

DEXTER, A. R. Soil physical quality. Part I. Theory, effects of soil texture, density and organic matter, and effects on root growth. Geoderma, v.120, 2004. 201-214 p. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0016706103002891. Acesso em: 04/06/2019.

DORAN, J.W.; ZEISS, M.R. Soil health and sustainability: Managing the biotic component of soil quality. Appl. Soil Ecol. 2000, 15, 3–11. [CrossRef]

EMBRAPA. Sistema Brasileiro de Classificação de Solos / Humberto Gonçalves dos Santos … [et al.]. – 5. ed., rev. e ampl. − Brasília, DF: Embrapa, 2018. ISBN 978-85-7035-800-4 Disponível em: https://www.agrolink.com.br/downloads/sistema-brasileiro-de-classificacao-dos-solos2006.pdf. Acesso em: 04/06/2020.

EMBRAPA. Manual de métodos de análise de solo / Paulo César Teixeira ... [et al.], editores técnicos. – 3. ed. rev. e ampl. – Brasília, DF: Embrapa, 2017. ISBN 978-85-7035-771-7 Disponível em:https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/Repositorio/Manual+de+Metodos_000fzvhotqk02wx5ok0q43a0ram31wtr.pdf. Acesso em: 04/06/2020.

Fearside, P. Deforestation of the Brazilian Amazon. In: Oxford Research Encyclopedia, Environmental Science. Oxford: Oxford University Press, 2017. DOI: 10.1093/acrefore/9780199389414.013.102.

Gossner, M.M., Lewinsohn, T.M., Kahl, T., Grassein, F., Boch, S., Prati, D., et al., Landuse intensification causes multitrophic homogenization of grassland communities. Nature 540, 266–+. 2016. https://doi.org/10.1038/nature20575

Hammer, Ø. PAleontologica Lst atistics Version 3.15. Reference manual. Natural History Museum. Universityof Oslo, 2017. 253 p. Disponível em: http://eeb.lu.lv/ftp/pub/TIS/datu_analiize/PAST/3.xx/past-3.15-manual.pdf, acesso em: 23 de maio de 2019.

GONÇALVES, Fernanda C.; MARASCA, Indiamara; SOUZA, Saulo F. G.; TAVARES, Leandro A. F.; SILVA, Paulo R. A. MÉTODOS DE DETERMINAÇÃO DA DENSIDADE DO SOLO EM DIFERENTES SISTEMAS DE MANEJO. Revista Energia na Agricultura. vol. 28, n.3, p.165-169, julho-setembro, 2013. Disponível em: https://www.academia.edu/29184290/M%C3%A9todos_De_Determina%C3%A7%C3%A3o_Da_Densidade_Do_Solo_Em_Diferentes_Sistemas_De_Manejo. Acesso em: 04/06/2019.

Le Quere, C., Andrew, R.M., Friedlingstein, P., Sitch, S., Hauck, J., Pongratz, J., et al., Global carbon budget 2018. Earth System Science Data 10, 2141–2194. 2018. https://doi.org/10.18160/GCP-2018

Luciano, R. V., Bertol, I., Barbosa, F. T., Kurtz, C., Fayd, J. A. Propriedades físicas e carbono orgânico do solo sob plantio direto comparado a mata natural, num Cambissolo Háplico. Revista de Ciências Agrovetetinárias 2010; 9(1): 9-19.

MARCOLIN, Clovis D. ; KLEIN, Vilson A. Determinação da densidade relativa do solo por uma função de pedotransferência para a densidade do solo máxima. Sistema de Información Científica: Acta Scientiarum. Agronomy. Maringá, v. 33, n. 2, p. 349-354, 2011. Disponível em: http://www.redalyc.org/resumen.oa?id=303026596022. Acesso em: 04/06/2019.

Martini IC, Rosa DP, Trindade FS, Silva KPX, Lunedo P, Marcilli G et al. Propriedades físicas de um Nitossolo sob diferentes usos de exploração agropecuária. RAMVI Getúlio Vargas 2014; 1(1): 1-12.

Pulido-Moncada, M., Petersen, S. O., Munkholm, L. J. Soil compaction raises nitrous oxide emissions in managed agroecosystems. A review. Agronomy for Sustainable Development,42: 38. 2022. https://doi.org/10.1007/s13593-022-00773-9

MONTHER, M. T., M., ALANANBEH, M. H., OTHMAN, Y. A., LESKOVAR, D. I. Soil Health and Sustainable Agriculture Monther. Sustainability 2020, 12, 4859; doi:10.3390/su12124859

Obrist, D., Agnan, Y., Jiskra, M., Olson, C.L., Colegrove, D.P., Hueber, J., et al., Tundra uptake of atmospheric elemental mercury drives Arctic mercury pollution. Nature 547, 201. 2017. http://www.nature.com/doifinder/10.1038/nature22997

OLIVEIRA, G. B. S.; OLIVEIRA, T. K.; BARDALES, N. G.; COSTA, M. C. F.; AMARAL, E. F. Densidade do solo por pedotransferência em diferentes classes de solo de sistemas agroflorestais na Amazônia Sul Ocidental. Revista Ibero Americana de Ciências Ambientais, v.13, n.4, p.15-23, 2022. DOI: http://doi.org/10.6008/CBPC21796858.2022.004.0002

REINERT, José Dalvan; REICHERT, José Miguel. Propriedades físicas do solo. Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2006. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/337498761_Reinert_Reichert__Propriedades_fisicas_do_solo. Acesso em: 28 jan. 2023.

TEIXEIRA, Wilson; FAIRCHILD, Thomas R.; TOLEDO, Maria Cristina de; TAIOLI, Fabio. Decifrando a Terra. [S.1: s.n.], 2009. Disponível em: https://bdpi.usp.br/item/001806435. Acesso em: 04/06/2019.

TEIXEIRA. P. C; DONAGEMMA, G. K; FONTANA, A; TEIXEIRA, W. G. Manual de métodos de análises de solo. 3 ed. Ver. E ampl.-Brasilia, DF: Embrapa, 2017.

VEZZANI, Fabiane M.; MIELNICZUK, João. UMA VISÃO SOBRE QUALIDADE DO SOLO. Revista Brasileira Companhia do Solo, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-06832009000400001. Acesso em: 04/06/2019.

Published

2023-12-12

How to Cite

da Silva, B. S. N., Pereira, G. M., Rocha, M. do C., Pinto, R. G., Miranda, T. G., Pereira, A. dos R., & dos Santos, S. F. (2023). Densidade do solo em diferentes agroecossistemas no sudeste paraense, Amazônia oriental. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(12), 25260–25275. https://doi.org/10.55905/oelv21n12-098

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)