A disseminação de desinformação como instrumento potencializador do estado de exceção permanente

Authors

  • Nelson Camatta Moreira
  • Ronaldo Félix Moreira Júnior

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n11-110

Keywords:

direitos fundamentais, fake news, estado de exceção permanente

Abstract

O presente artigo investiga o papel da disseminação da desinformação na sustentação do conceito de estado de exceção permanente, conforme definido por Giorgio Agamben. Seu objetivo geral é explorar a hipótese de que a disseminação intencional de informações falsas pode atuar como um agente catalisador na implementação de medidas excepcionais que contrariam os princípios do Estado de Direito e as garantias fundamentais. Utilizando-se de pesquisa bibliográfica, análise de casos concretos e do método dedutivo baseado na teoria de Agamben como ponto de partida, o estudo analisa o contexto atual, permeado pelas tecnologias de informação e comunicação, e examina como a disseminação de informações falsas ocorre de maneira quase instantânea no ciberespaço. Indaga-se, portanto, o seguinte: o fenômeno (fake news no ambiente digital) contribui para a amplificação de estereótipos negativos, especialmente sobre grupos marginalizados (exemplificados pelo homo sacer da baixada), fomentando a naturalização da desigualdade? Pela análise de casos específicos, o artigo destaca, em conclusão, como a desinformação, ao ser utilizada como ferramenta de manipulação e controle da opinião pública, pode fortalecer estruturas que se afastam dos princípios democráticos, o que acaba por favorecer a manutenção prolongada de um Estado de Exceção.

References

AGAMBEN, G. Homo sacer: o poder soberano e a vida nua I. 2. ed. Trad. Henrique Burigo. Belo Horizonte: UFMG, 2010.

APS, L. R. M. M. [et. al.]. Eventos adversos de vacinas e as consequências da não vacinação: uma análise crítica. In: Rev. Saúde Pública, 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 11 jun. 2022.

CARVALHO, T. F. O “direito penal do inimigo” e o “direito penal do homo sacer da baixada”: exclusão e vitimação no campo penal brasileiro. In: Revista da Procuradoria Geral do Estado do Espírito Santo. Vitória, v. 5, n. 5, p. 209-257, 1º/2º sem. 2006.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. Trad. Roneide Venâncio Majer. 6. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

DOMINGOS, R. É #FAKE que vídeos mostrem ação de traficantes em comunidade do Rio após decisão do STF. In: G1, 2020. Disponível em: https://g1.globo.com/fato-ou-fake/noticia/2020/08/20/e-fake-que-videos-mostrem-acao-de-traficantes-em-comunidade-do-rio-apos-decisao-do-stf.ghtml. Acesso em: 13 jun. 2022.

DOMINGOS, R. Filmagens em favelas do Rio viram munição para fake news; atores são alvo de discurso de ódio. In: G1, 2023. Disponível em: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2023/09/07/filmagens-em-favelas-do-rio-viram-municao-para-fake-news-atores-sao-alvo-de-discurso-de-odio.ghtml. Acesso em: 30, out. 2023.

FERREIRA, L. Mãe do Jacarezinho ganha ação contra Magno Malta e deputado por fake news. In: UOL Notícias, 2021. Disponível em: https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2021/12/03/mae-jacarezinho-indenizacao-fake-news.htm. Acesso em: 13 jun. 2022.

FOUCAULT, M. Em defesa da sociedade: Curso no Collège de France (1975-1976). Tradução de Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes. 2005.

FRANCIS, C. Trial of Truth: Law and Fake News. In: Edinburgh Student Law Review, vol. 3, n. 3, 2018.

KÖRNER, K. Digital Politics: AI, big data and the future of democracy. In: EU MONITOR, ago. 2019.

MBEMBE, A. Necropolítica. In: Arte & Ensaios: Revista do PPGAV/EBA/UFRJ, n. 32, dez. 2016. Disponível em: https://www.procomum.org/wp-content/uploads/2019/04/necropolitica.pdf. Acesso em: 03 jun. 2022.

MCLUHAN, H.; FIORE, Q. O meio são as massagens: inventário de efeitos. Rio de Janeiro: Record. 1969.

MOREIRA JÚNIOR, R. F.; LOPES, J. K. R O poder dos fluxos de informação: análise sociológica do exercício político pela rede mundial de computadores. In: Revista da Semana Discente de Sociologia Política do Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, v. 2, p. 33-35, 2019.

MOREIRA, N. C.; MOREIRA JUNIOR, R. F. O medo do “inimigo” como legitimação do Estado de Emergência. In: Juventude, violência e cultura: um diálogo interdisciplinar entre direito e psicanálise. Org. Renata Conde Vescovi; Escola Lacaniana de Psicanálise de Vitória. Vitória: FDV publicações, 2018.

OLIVEIRA, A. S.; GOMES, P. O. Os limites da liberdade de expressão: Fake News como ameaça à democracia. In: Revista de Direitos e Garantias Fundamentais. Vitória, v. 20, n. 2, p. 93-118, mai. – ago. 2019.

OXFORD. Word of the Year 2016. In: Oxford University Press. Disponível em: https://languages.oup.com/word-of-the-year/2016/. Acesso em: 30, out. 2023.

PASSOS, P.; HOUS, D. S. Internet supera TV em influência na eleição. In: Folha de São Paulo, 07. out. 2018. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/10/internet-supera-tv-em-influencia-na-eleicao.shtml. Acesso em: 10. jun. 2022.

URRY, J. Sociology beyond societies: Mobilities for the twenty-first century. London: Routledge, 2000.

ZAFFARONI, E. R. O inimigo no direito penal. 3. ed. Trad. Sérgio Lamarão. Rio de Janeiro: Revan, 2011.

Published

2023-11-17

How to Cite

Moreira, N. C., & Moreira Júnior, R. F. (2023). A disseminação de desinformação como instrumento potencializador do estado de exceção permanente. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(11), 20597–20615. https://doi.org/10.55905/oelv21n11-110

Issue

Section

Articles