Juventudes e seus territórios (urbanidades e ruralidades): a influência da cultura local no modus operandi dos jovens agricultores familiares das áreas irrigadas de Petrolina – PE

Authors

  • Abimailde Maria Cavalcanti Fonseca da Silva
  • Francisco Ricardo Duarte
  • Kleber Pereira Cavalcanti

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n11-085

Keywords:

juventudes, campo, cultura

Abstract

Esse artigo foi realizado a partir de um projeto de pesquisa que acontecerá em um projeto de irrigação Nilo Coelho em Petrolina, e tem como objetivo, avaliar como os conhecimentos que são passados pelas gerações permanecem no modo de plantar, colher, trabalhar, falar e agir e de como eles influenciam os Jovens agricultores dos projetos de irrigação de Petrolina, fortalecendo sua importância na preservação cultural desses agricultores. A pesquisa será quali-quantitativa. Como instrumentos da pesquisa serão utilizados a observação participativa e a entrevista gravada. E a técnica escolhida para apuração dos dados será a narrativa. A relevância da pesquisa será mostrar a riqueza cultural da região perpetuada historicamente e sua influência no modo de plantar, colher, trabalhar, falar e agir, com o intuito de preservar essa cultura e também de torná-la conhecida, evidenciando os aspectos regionais. Para divulgação dos dados serão submetidos os escritos em revistas e eventos. Esse estudo tem como foco o trabalho do jovem agricultor que possui um modo próprio de desenvolver á agricultura irrigada, de cultivar seus produtos, de vender e de relacionar-se com a terra. Como ainda está em andamento, o primeiro contato com esse público foi para conhecer a realidade e o cenário da pesquisa. Foi um momento importante para compreender o processo cultural que vai se estabelecendo nas novas gerações. A pergunta que surge nesse universo é: Como os falares e as práticas tradicionais, influenciam o modus operandi dos atuais irrigantes? Os autores escolhidos são da linha crítica que estão na fundamentação teórica.

References

AMILCAR, Cristina. Agricultura familiar, seu interesse acadêmico, sua lógica constitutiva e sua resiliência no Brasil. Revista de Economia e Sociologia Rural. Vol.52 supl.1. Brasília 2014. Disponível em: URL: http://www.scielo.br/scielo. php?script=sci_arttext&pid=S0103-20032014000600003. Acesso em 22/05/2018.

ARROYO, Miguel. Repensar o Ensino Médio, por quê? In.: Juventude e ensino médio: sujeitos e currículos em diálogo / Juarez Dayrell, Paulo Carrano, Carla Linhares Maia, organizadores. – Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014. p. 53 – 74.

AURENÌVEA, Rúbia e MENDOÇA, Cesar. Importância da Valorização da Cultura Popular para o Desenvolvimento Local. In: III ENECULT – Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. Disponível em: URL: http://www.cult.ufba.br/enecult2007/RubiaRibeiroLossio_CesardeMendonc. pdfAcesso em: 22 /05/2018.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Edições 70. Lisboa, Portugal. LDA, 2009.

BOBBIO, Norberto. Dicionário de Política. Gianfranco na Amazon, volumes Capa comum – 1 janeiro 2008.

CODEVASF, Projetos de irrigação da Codevasf. 2017. Disponível em URL: http / /www.codevasf.gov.br/noticias/2017-1/projetos-de-irrigacao-da-codevasf. Acesso em 07/06/2017

DAYREL, Juarez. O jovem como sujeito social. In.: Juventude e Contemporaneidade. – Brasília: UNESCO, MEC, ANPEd, 2007. p. 155- 176.

DEMO, Pedro. Princípios científicos educativos, Ed 12, São Paulo, Cortez 1991.

DEMO, P. Pesquisa e Construção do Conhecimento - Metodologia científica no caminho de.

CAPORAL; F.R; COSTABEBER; J. A.; PAULUS, G. Agroecologia Matriz. Dis-ciplinar ou novo paradigma para o desenvolvimento rural sustentável. Brasília – DF, 2006. 25 p.

DALLABRIDA, V. et al. Governança nos Territórios ou Governança territorial:

Distância entre Concepções Teóricas e a Prática. Revista Grifos - N. 40 – 2016. Pode ser acessado em: file:///C:/Users/sead/Downloads/3356-Texto%20do%20Artigo-11955- 1-10-20160909%20(1). pdf. Acessado em 19/04/2021.

DAMIANO 1*Marcelo, REZENDE 2, Maria Olímpia de Oliveira, ARAI 3, Juliana Nakamoto, ICHIBA 4, Rafaela Bruno. A preservação do meio ambiente: um desafio social, ético e global na educação. Pode ser acessado em: file:///C:/Users/sead/Downloads/21-109-2-PB.pdf. Acessado em: 01/07/2021.

FREIRE, Paulo, (tradução), OLIVEIRA, Rosica, (prefácio), CHONCHOL, Jacques. Extensão ou Comunicação?. Editora Paz e Terra, Rio de Janeiro 1985. 93pg. PORTO, Cristiane. Um olhar sobre a definição de cultura e de cultura científica. Salvador: EDUFBA, 2011. Disponível em: URL: http://books.scielo.org/id/y7fvr/pdf/porto-9788523211813-06.pdf.Acesso em 25/05/2018.

GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. Revista de Administração de Empresas, Rio de Janeiro, v. 35, n. 2, p. 57-63, mar./abr., 1995.

HAMZE, Amélia. CULTURA, O ALIMENTO DA EDUCAÇÃO. Disponível em: URL: https://educador. brasilescola.uol.com.br/trabalho-docente/cultura-educacao.htm. Acesso em 08/05/2018.

JORNAL mural TRF. Disponível em: http://www.trf5.jus.br/murais/212-Mural28-02- 05. pdf. Acesso em: 15 dez. 2014. In.: Juventude e ensino médio: sujeitos e currículos em diálogo / Juarez Dayrell, Paulo

JESUS, L. Diferentes Abordagens de Agricultura Não-Convencional: História e Filosofia. Agroecologia - Agência Embrapa de Informação Tecnológica. Brasília, DF. 2005. Acessado em 01/04/2021

JUAZEIRO – BA: UNIVASF, 2020. 387p: il.SILVEIRO, M. et al. Circular Técnica. ISSN 1516-4349. Brasília Dezembro de 2002 SOUZA, L. Como Promover Desenvolvimento Territorial a Partir de Tecnologias sociais? Revista Mundi Sociais e Humanidades. I Encontro Nacional Interdisciplinar em Ciência, Tecnologia e Sociedade (ENICTS 2019) Edição Especial. Paranaguá, PR, v.5, n.1, 83, 2020.

LIPAI, Eneida M. Educação Ambiental: aprendizes de sustentabilidade. CADERNOS SECAD 1 S. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Brasília – DF Março de 2007. Pode ser acessado em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/publicacao2.pdf. Acessado em: 15/07/2021.

LDB, Lei Nacional 9.394/1996. Alterações recentes na Lei de Diretrizes e Basespedagogiadescomplicada.comhttps: //pedagogiadescomplicada.com › ldb-2022-altera.Durante os anos de 2021 e 2022, a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394/1996 foi alterada três vezes.

MANNHEIM. Karl. O problema da juventude na sociedade moderna. Trad. Octávio Alves Velho. In.: BRITTO, Sulamita de (org.). Sociologia da Juventude. Vol. I. Rio de Janeiro: Zahar, 1968. p. 69 – 94.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. 2020. Resposta nacional e internacional de enfrentamento ao novo coronavírus. Acessado em 20/04/2021. Pode ser acessado em: https://coronavirus.saude.gov.br/linha-do-tempo/

MAX, Karl. O capital. Edª. Tradução Rubens Enderle. 1867.

MIGUEZ, Paulo, BARROS, José, KAUARK, Giuliana (Organizadores); apresentação GIL, Gilberto. Dimensões e desafios para a diversidade Cultural. Editora EDULUFBA. 2004,287P.(Coleção cultura)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO Nº 2, DE 15 DE JUNHO DE 2012 (*) Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental, 2018. Pode ser acessado em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rcp002_12.pdf. Acessado em 13/07/2021

NASCIMENTO, Fábio e APARECIDA, Alessandra. Para além do Conhecimento Científico: A importância dos Saberes populares par o Ensino de ciências. Revista Interações. NO. 39, PP. 285-295 (2015). (Instituto de Química de Araraquara-

ROSAS, Ana. Políticas Culturais Conjunturas e Territoriedades. CALABRE Lia e RABELLO, Débora (organização), SHIRASUNA, Mariza (Tradução). Fundação casa de Rui Barbosa.Rio de Janeiro.2017.

ROOS & BECKER, v(5), n°5, p. 857 - 866 2012. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental REGET/UFSM (e-ISSN: 2236-1170). 857 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE Alana Roos1, Elsbeth Leia Spode Becker2 1 Mestranda do Curso de Geografia da Universidade Federal de Santa Maria – UFSM. PPGEO. E-mail: [email protected] 1 Professora Adjunta do Centro das Ciências Humanas do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa Social - Métodos e Técnicas. 3ª edição. São Paulo, Atlas, 2008. 334 p.

UNESP.). Disponível em: URL: http://revistas.rcaap.pt/interaccoes/article/view/8738/6297. Acesso em: 22/05/2018.

WEISHEIMER, Nilson. Os Jovens Agricultores como Categoria Sociológica. 2003. Disponível em: file:///C:/Users/sead/Downloads/sbs2003_sf10_nilson_weisheimer%20(1).pdf Acesso em 20 de fev. de 2020.

WELLER, Wivian. Jovens no Ensino Médio: projetos de vida e perspectivas de futuro.

Published

2023-11-14

How to Cite

da Silva, A. M. C. F., Duarte, F. R., & Cavalcanti, K. P. (2023). Juventudes e seus territórios (urbanidades e ruralidades): a influência da cultura local no modus operandi dos jovens agricultores familiares das áreas irrigadas de Petrolina – PE. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(11), 20142–20161. https://doi.org/10.55905/oelv21n11-085

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)