Efeito do consumo de erva-mate no sistema musculoesquelético de jogadores de futebol amador

Authors

  • Gustavo Moraes Camargo
  • Ricardo Sens
  • Ana Carla Lorenzzon
  • Ygor Borges
  • Leonardo Dorneles Streck
  • Iandra Wellwock
  • Luiz Antônio Biasiolo
  • Alan Christhian Bahr
  • Lincon Bordignon Somensi

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n11-051

Keywords:

erva-mate, musculoesquelético, futebol amador

Abstract

A erva-mate (Ilex Paraguariensis A. St.-Hil) é uma planta nativa da América do Sul que ganhou destaque devido à sua crescente popularidade, tanto por seus benefícios à saúde quanto por seu uso como estimulante. Ela é amplamente consumida, principalmente na Argentina, Paraguai, Uruguai e nas regiões do sul do Brasil. A composição química da erva-mate é notável, abrangendo polifenóis, xantinas, alcaloides de purina, flavonoides, aminoácidos, minerais e vitaminas. Recentemente, observa-se um aumento do interesse pela erva-mate, especialmente entre atletas, incluindo jogadores de futebol. Isso se deve aos potenciais efeitos benéficos que ela pode proporcionar, como a redução do estresse oxidativo, a promoção da termogênese e a possível atenuação dos efeitos adversos do ácido lático, que afetam o desempenho e a fadiga muscular. O objetivo deste projeto de pesquisa é avaliar os efeitos da suplementação com Ilex Paraguariensis em jogadores de futebol amador, com foco na redução do estresse oxidativo e nos níveis de ácido lático, bem como na correlação entre esses dois parâmetros. Este estudo é caracterizado como uma pesquisa quantitativa aplicada, que busca analisar os indicadores metabólicos em jogadores de futebol amador. A crescente utilização de plantas visando melhorar o desempenho atlético tem despertado grande interesse nas áreas de pesquisa, e isso pode potencialmente resultar em avanços significativos na prevenção de lesões em jogadores de futebol amador. O estudo teve como resultado o aumento de 2,2-Diphenyl-1-picryl-hidrazil (DPPH) e ácido lático pós esforço e não houve diferença de concentrações de fenóis, espécies reativas de oxigênio (EROs) e nitratos.

References

AUGUSTIN, M.A.; HEMAR, Y. Nano- and micro-structured assemblies for encapsulation of food ingredients. Chemical Society Reviews, v. 38, n. 4, p. 902–912, 2008. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/19421570/. Acesso em: 07 nov. 2023

BRASIL. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Dispõe sobre diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 13 jun. 2013. Disponível em:https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html.

CARDOZO, A. G. L. et al. Erva-mate (Ilex paraguariensis A. St.–hil.): uma revisão abrangente sobre composição química, benefícios à saúde e recentes avanços. Research, Society and Development, v. 10, n. 11, p. e590101120036-e590101120036, 2021. Dis-ponível em: <https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/20036>. Acesso em: 15 abril 2023.

COSTA, T. A; SANTOS, J. J. A; BORGES, J. H. Atividade antioxidante da ervamate e lesão celular em exercício agudo de alta intensidade. Revista Uningá, v. 23, n. 1, p. 15–20, 2015.

DA SILVEIRA, A. C. Método de DPPH adaptado: uma ferramenta para analisar atividade antioxidante de polpa de frutos da erva-mate de forma rápida e reprodutível. Colombo, PR: Embrapa Florestas, 2018. (Comunicado Técnico, n. 421). Disponível em: https://www.embrapa.br/florestas/busca-de-publicacoes/-/publicacao/1101294/metodo-de-dpph-adaptado-uma-ferramenta-para-analisar-atividade-antioxidante-de-polpa-de-frutos-da-erva-mate-de-forma-rapida-e-reprodutivel. Acesso em: 07 nov. 2023

DE VOS, P. et al. Encapsulation for preservation of functionality and targeted delivery of bioactive food components. International Dairy Journal, v. 20, p. 292–302, 2010. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0958694609002167. Acesso em: 07 nov. 2023

DE FREITAS, G. B. L.; ANDRIOLA, A.; GAUER, A. G.; IENK, L. S. da S. ERVA-MATE, MUITO MAIS QUE UMA TRADIÇÃO, UM VERDADEIRO POTENCIAL TERAPÊUTICO. Revista Eletrônica de Farmácia, Goiânia, v. 8, n. 3, p. 13, 2011. DOI: 10.5216/ref.v8i3.15966. Disponível em: https://revistas.ufg.br/REF/article/view/15966. Acesso em: 7 nov. 2023.

FATMA ALHAKMANI; KUMAR, S.; SHAH ALAM KHAN. Estimation of total phenolic content, in–vitro antioxidant and anti–inflammatory activity of flowers of Mo-ringa oleifera. Asian pacific Journal of Tropical Biomedicine, v. 3, n. 8, p. 623–627, 1 ago. 2013. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/23905019/. Acesso em: 07 nov. 2023

FANG, Z.; BHANDARI, B. Encapsulation of polyphenols - A review. Trends in Food Science and Technology, v. 21, n. 10, p. 510–523, 2010. Disponivel em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0924224410001925. Acesso em: 07 nov. 2023

GAWRON-GZELLA, A.; CHANAJ-KACZMAREK, J.; CIELECKA-PIONTEK, J. Yerba Mate—A Long but Current History. Nutrients, v. 13, n. 11, p. 3706, 2021.

GLADDEN, L.; YATES, D.; AINSWORTH, D. Acidose intracelular muscular: impli-cações para a fadiga e controle metabólico. Manual de Neurologia Clínica, v. 145, p. 329-343, 2017.

KARAPETIAN, G. K. et al. Effect of Caffeine on LT, VT and HRVT. International Journal of Sports Medicine, v. 33, n. 07, p. 507–513, 12 abr. 2012. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/22499570/ Acesso em: 05 out 2023.

KROLIKOWSKI, Thaiana Cirino et al. Efeito da infusão de erva-mate (Ilex paraguariensis) associada ou não ao consumo de carboidrato nos parâmetros de estresse oxidativo, metabólicos e de performance de ciclistas treinados. 2020.

LUTOMSKI, P; GOŹDZIEWSKA, M; FLOREK-ŁUSZCZKI, M. Health properties of Yerba Mate. Annals […] v. 27, n. 2, p. 310–313, 2020.

MARCELO, H. et al. Análise da lactatemia e percepção subjetiva de esforço de jogado-res de futebol amador. Revista Brasileira de Futsal e Futebol, v. 12, n. 49, p. 399-405, 2021.

MOHR, M.; KRUSTRUP, P.; BANGSBO, J. Desempenho de jogo de jogadores de futebol de alto padrão com referência especial ao desenvolvimento de fadiga. Journal of Sports Sciences, v. 24, n. 8, p. 819-832, 2016.

OLIVEIRA, G. L. S. Determinação da capacidade antioxidante de produtos naturais in vitro pelo método do DPPH•: estudo de revisão. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 17, n. 1, p. 36–44, jan. 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbpm/a/5Wrr5LFLJVJDN5yYQnFGyWd/#. Acesso em: 07 nov. 2023

OLIVEIRA, M. Metodologia científica: um manual para a realização de pesquisas em administração. Catalão-GO, 2011. Disponível em:https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/567/o/Manual_de_metodologia_cientifica_-_Prof_Maxwell.pdf Acesso em: 08 mar. 2023.

RIBEIRO, G. et al. A importância de ácido láctico na enxaqueca e na fibromial-gia. Revista Brasileira de Reumatologia, v. 55, n. 6, p. 471–476, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbr/a/XpTfGPnj5N8CYSJ9Vhn4Wqy/abstract/?lang=pt#ModalHowcite. Acesso em: 12 mar. 2023.

RZĄSA-DURAN, Elżbieta e colab. Yerba Mate as a Source of Elements and Bioactive Compounds with Antioxidant Activity. Antioxidants, v. 11, n. 2, 1 Fev 2022. Disponí-vel em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/35204253/ Acesso em: 26 maio 2023.

SERAFIM, Rodolfo Angelo. Quantificação de compostos fenólicos e avaliação da ação antioxidante de extratos aquosos de erva-mate (Ilex paraguariensis). 2013. 33 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Londrina, 2013. Disponivel em: https://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/12439 Acesso em: 03 out 2023.

SILVA, P. R. S. et al. Níveis de lactato sanguíneo, em futebolistas profissionais, verificados após o primeiro e o segundo tempos em partidas de futebol. Acta Fisiátrica, v. 7, n. 2, p. 68-74, 2000. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/actafisiatrica/article/view/102259. Acesso em: 25 set. 2023.

SOUZA, F. et al. Avaliação do ácido láctico intramuscular através da espectroscopia Raman: novas perspectivas em medicina do esporte. Revista Brasileira de Medicina e Esporte, v. 9, n. 6, nov. 2018.

SOUSA, C. M. DE M. et al.. Fenóis totais e atividade antioxidante de cinco plantas medicinais. Química Nova, v. 30, n. 2, p. 351–355, mar. 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/qn/a/4d6yvCyDmhHyfP9ZJqV6nDy/#. Acesso em: 07 nov. 2023.

KANO, Hugo Tadashi. Efeito da suplementação de erva mate (Ilex paraguariensis) sobre a capacidade antioxidante total em atletas futebolistas em teste exaustivo em esteira. Botucatu: Universidade Estadual Paulista; 2013. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/server/api/core/bitstreams/7059667c-66e9-4c42-9d50-87c2fca3c182/content

TESSARO, Diego. Benefícios do uso de suplementos na erva-mate (Ilex paraguari-ensis)./ (Mestrado em Ciência e Tecnologia Ambiental); 2021. Uffs.edu.br. Disponível em: <https://rd.uffs.edu.br/bitstream/prefix/4821/1/TESSARO.pdf>. Acesso em: 06 nov. 2023

Published

2023-11-10

How to Cite

Camargo, G. M., Sens, R., Lorenzzon, A. C., Borges, Y., Streck, L. D., Wellwock, I., Biasiolo, L. A., Bahr, A. C., & Somensi , L. B. (2023). Efeito do consumo de erva-mate no sistema musculoesquelético de jogadores de futebol amador. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(11), 19533–19551. https://doi.org/10.55905/oelv21n11-051

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)