Educação ambiental como ferramenta para a conservação da Caatinga

Authors

  • Natália Cecília de Souza Teixeira
  • Andreia Amariz

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n11-087

Keywords:

ferramenta educacional, bioma, unidades de conservação, mata branca

Abstract

O presente trabalho objetivou levantar a discussão a respeito do processo de degradação do Bioma Caatinga, bem como avaliar as estratégias desenvolvidas por meio da Educação Ambiental principalmente nas Unidades de Conservação inseridas nesse âmbito. É marcante a desvalorização dada ao bioma e mais ainda a falta de incentivos para amenizar tal problemática. Entretanto, encontra- se na Educação Ambiental a contribuição necessária para estimular a tomada de ações frente a essa problemática. Para alcançar o objetivo e encontrar respostas para o questionamento exposto julgou- se necessário realizar uma revisão da literatura para que antes de propor ou realizar uma intervenção acerca da temática, seja compreendido e mensurado a partir da análise ou vivências expressas por outros autores como o assunto está sendo retratado e avaliado atualmente. Existe uma grande negligência nas informações sobre a Caatinga, sendo extremamente necessário uma reconstrução dos conhecimentos através de políticas públicas e uma Educação Ambiental articulada e contextualizada com a região e população local.

References

ALVES, J. J. A; ARAUJO, M. A; NASCIMENTO, S. S. Degradação da Caatinga: Uma investigação ecogeográfica. Revista Caatinga. Mossoró, Brasil, 2009, p. 126-135, vol. 22. Disponível em: <https://www.redalyc.org/pdf/2371/237117837020.pdf>. Acesso em: 31 de ago. de 2021.

ALVES, J. J. Geoecologia da Caatinga no semi-arido do nordeste brasileiro. Rio Claro, 2007, p. 58-70, v. 2 Disponível em: <https://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/climatologia/article/view/266& gt;. Acesso em: 21 de ago. de 2021.

BORBA, et al. Vulnerabilidade à extinção de espécies da flora brasileira do bioma Caatinga. Anais III CONAPESC. Campina Grande: Realize Editora, 2018. Disponível em: <https://www.editorarealize.com.br/index.php/artigo/visualizar/43433>. Acesso em: 03 de jan. de 2022.

CARNEIRO, D. O; SANTOS, M. A. F. Percepção ambiental da Caatinga: Um estudo de Educação Ambiental Comunitário. Revista Macambira, v. 2, n. 2, 2019. Disponível em: <https://www.revista.lapprudes.net/index.php/RM/article/view/221>. Acesso em: 03 mai.2022.

CARVALHO. R.C.O.; VIEIRA, S. Educação e Interpretação Ambiental na RPPN Estação Veracel, Porto Seguro (BA). Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v.7, n.4, nov2014-jan2015. Disponível em: <https://periodicos.unifesp.br/index.php/ecoturismo/article/view/6412>. Acesso em 01 de mai. de 2022

DRUMOND, M. A. et al. Caracterização e usos das espécies da Caatinga: subsídio para programas de restauração florestal nas Unidades de Conservação (UCCAs). Embrapa semiárido. Petrolina, 2016. 37p. Disponível em: <https://www.embrapa.br/busca-de publicacoes/-/publicacao/1051296/caracterizacao-e-usos-das-especies-da-Caatinga-subsidio- para-programas-de-restauracao-florestal-na-unidades-de-conservacao-da-Caatingauccas>. Acesso em: 09 de ago. de 2021.

FEITOSA, A. A; SOUSA, J. S; ALENCAR, G. S. Trilhas ecológicas como ferramenta de Educação e interpretação ambiental: Um estudo de caso na Floresta Nacional de Palmares, Altos/PI. IV Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental Salvador/BA, 2013. Disponível em:< https://www.ibeas.org.br/congresso/Trabalhos2013/VII-054.pdf>. Acesso em 01 de mai. 2022.

FELIX, M. A. S; BRAGA, D. V. V; JUNIOR, G. M. O. Trilha interpretativa em uma Unidade de Conservação na Caatinga: Estratégia de Educação Ambiental em curso de licenciatura. VII Congresso Internacional das Licenciaturas, 2019. Disponívelem:<https://doi.org/10.31692/2358-9728.VICOINTERPDVL.2019.0049>. Acesso em 29 de abr. de 2022.

FERNANDES, P. A.S; VIEIRA, R. S; PINHEIRO, M. A; MOURA, M. M. Proposta de Educação Ambiental no Parque Estadual Sítio Fundão (Crato/CE) com ênfase na flora nativa. (RevBEA) 2017. Revista Brasileira de Educação Ambiental 12(4):209-220. Disponível em:<https://www.researchgate.net/publication/320197810_Proposta_de_Educacao_Ambiental_no_Parque_Estadual_Sitio_Fundao_CratoCE_com_enfase_na_flora_nativa>.Acesso em 01 de mai. de 2022.

FILHO, et al. Potencial de trilhas como prática de Educação Ambiental em Unidade de Conservação dentro de um campus universitário no município de Fortaleza-CE. Scientia Plena, v. 16, n. 9, 2020. Disponível em:<https://scientiaplena.emnuvens.com.br/sp/article/view/5831>. Acesso em 03 de mai. 2022.

GANEM, R. S. (Org.). Legislação Brasileira sobre meio ambiente. Brasília Câmara dos Deputados, 2015 v.1. (Fundamentos constitucionais e legais). Disponível em: < https://bd.camara.leg.br/bd/bitstream/handle/bdcamara/22862/legislacao_fundamentos_ga nen_araujo.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em 28 de abr. de 2022.

GUILHERMINO, M. M.; FERREIRA, A. B. G.; CUNHA, S.; MOREIRA, S. A. Agrotrilha na Caatinga: instrumento pioneiro para o turismo rural e estratégia de Educação Ambiental. Revista Brasileira de Educação Ambiental (RevBEA), [S. l.], v. 16, n. 5, p.377–391, 2021. DOI: 10.34024/revbea. 2021.v16.11560. Disponível em: <https://periodicos.unifesp.br/index.php/revbea/article/view/11560>. Acesso em: 01 maio.2022.

KIILL, L. H. P. Caatinga: patrimônio brasileiro ameaçado. Embrapa semiárido, 2011, p.2. Disponível em:https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/doc/899060/1/Kiill2011.pdf >. Acesso em: 20 de jul. de 2021.

KIILL, L. H. P. et al. Preservação e uso da Caatinga. Embrapa Informação Tecnológica. Brasília

-DF, 2007. 39p. Disponível em:<https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-

/publicacao/130743/preservacao-e-uso-da-Caatinga>. Acesso em: 03 de ago. de 2021.

LIMA, M. M. P; SILVA, L. Educação Ambiental através de uma trilha interpretativa em área protegida no município de Quixadá -CE. CONIDIS- Congresso Internacional da Diversidade do Semiárido. 2016. Disponível em: <https://editorarealize.com.br/editora/anais/conidis/2016/TRABALHO_EV064_MD1_SA7_ID 898_30082016114101.pdf>. Acesso em 03 de mai. de 2022.

LOILOA, H. G. A. Conhecer a Caatinga para preservá-la: Contribuições da eletiva Educação Ambiental. II Seminário Estadual da Formação Continuada de Professores –Itinerários Formativos e Seminários Docentes, 2019. Disponível em: <https://www.ced.seduc.ce.gov.br/wp-content/uploads/sites/82/2020/01/13-CONHECER-A- CAATINGA-PARA-PRESERVC381-LA_-CONTRIBUIC387C395ES-DA-ELETIVA-

EDUCAC387C383O-AMBIENTAL.pdf>. Acesso em: 17 de abr. de 2022.

MACHADO, M. G; ABILIO, F. J. P. Educação Ambiental no Bioma Caatinga: A utilização de modalidades didáticas inovacionais na realização de vivências eco pedagógicas. XIII Congresso internacional de tecnologia na educação, 2015. Disponível em: < EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO BIOMA CAATINGA A UTILIZAÇÃO DE MODALIDADES DIDÁTICAS INOVACIONAIS NA REALIZAÇÃO DE VIVÊNCIAS ECO-PEDAGÓGICAS.pdf. Acesso em 28 de mar. de 2022.

MARCONI, M. A; LAKATOS, E. M. Fundamentos de Metodologia Científica. 5ª Edição. São Paulo- Editora ATLAS S.A. – 2003.

NUNES, M. E. R; FRANÇA, L. F; PAIVA, L. V. Eficácia de diferentes estratégias no Ensino de educação ambiental. Ambiente & Sociedade, n. 2, p. 61-78, 2017. Disponível em:<https://www.scielo.br/j/se/a/KkHc65tqd5FQHNn796ScMZf/?format=pdf&lang=p t>. Acesso em 29 de abr. de 2022

PAULA, E. S. et al. A paisagem da Caatinga: um gesto de Burle Marx na Praça Euclides da Cunha. São Paulo, 2011, p. 9 - 24.

SANTOS, G. J. Bioma Caatinga: do estudo à desmistificação dos mitos acerca da sua biodiversidade. 2021. Disponível em:<https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/21295>. Acesso em 27 de abr. De 2022.

SILVA, et al. Concepções sobre a Unidade de Conservação FLONA/PALMARES: Possibilidades para a Educação Ambiental. XII ENPEC- Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. 2019. Disponível em:<https://abrapecnet.org.br/enpec/xii- enpec/anais/resumos/1/R0397-1.pdf>. Acesso em 02 de mai. de 2022.

SILVA, J. E. R. Estudo da dispersão de sementes, bancos de sementes e regeneração natural de três espécies arbóreas da Caatinga. 2010. P. 37. Monografia apresentada à Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos/PB, para a obtenção do Grau de Engenheiro Florestal. Disponível em: <http://www.cstrold.sti.ufcg.edu.br/grad_eng_florest/mono_ef/mono_jose.pdf>.

Acesso em 20 de jul. de 2021.

SILVA, J. F; BARBOSA, L. N; BRASILEIRO, F. M. G; PEREIRA, C. L. G. Paisagens dos sertões: Uma abordagem sobre preservação na Unidade de Conservação Refúgio de Vida Silvestre Pedra da Andorinha- Taperuaba/CE. Mossoró – RN: EDUERN, 2017.Disponível em:<http://www.ppggeografia.ufc.br/images/documentos/C4T2_compressed.pdf#page=3 6>. Acesso em 03 de mai. de 2022.

TEIXEIRA, M. N. O sertão semiárido. Uma relação de sociedade e natureza numa dinâmica de organização social do espaço. Revista Sociedade e Estado, v. 31, n. 3, 2016. Disponível em:<https://www.scielo.br/j/se/a/KkHc65tqd5FQHNn796ScMZf/?format=pdf&lang=p t>. Acesso em 30 de abr. de 2022.

Published

2023-11-16

How to Cite

Teixeira, N. C. de S., & Amariz, A. (2023). Educação ambiental como ferramenta para a conservação da Caatinga. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(11), 20184–20200. https://doi.org/10.55905/oelv21n11-087

Issue

Section

Articles