Aprendizaje de pensamiento económico en salud con uso del flipped classroom

Authors

  • Leonardo Carnut
  • Áquilas Mendes

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n11-187

Keywords:

enseñanza, pensamiento, economía, pedagogía, salud

Abstract

El objetivo de este estudio fue analizar la percepción de los estudiantes sobre el uso de la metodología Flipped Classroom para el aprendizaje de los contenidos del pensamiento económico en salud. Se realizó una investigación de enfoque cualitativo, a través de entrevistas semiestructuradas, en formato online, sobre el contenido y sobre el método de enseñanza-aprendizaje aplicado en la disciplina de Pensamiento Económico en Salud. Los sujetos de la investigación fueron los 44 alumnos del curso de especialización en Economía y Gestión de la Salud de la Universidad de São Paulo. Como técnica de análisis de datos se utilizó el Análisis de Contenido Clásico, del tipo frecuencial, tomando las proposiciones como Unidad Textual de Análisis (UTA). Se identificaron las ideas centrales de cada proposición y se categorizaron las ideas por similitud de contenido. Se obtuvieron un total de 63 UTAs (100%), que se pudieron agrupar en 15 categorías, siendo las más frecuentes: 'Aspectos del aula invertida: textos anticipados' con un 25,4% (16 UTAs); 'Aspectos del aula invertida: discusiones en grupo' con un 25,4% (16 UTAs) y 'Mediación docente' con un 22,2% (14 UTAs). Preguntas relacionadas con el contenido como: 'selección de autores', 'interés en el tema'; ‘contenido alejado de mi realidad’; 'dificultad en la comprensión de los textos' obtuvieron menos del 2% cada una. Con estos hallazgos se concluye que la percepción de los estudiantes de la carrera de Economía y Gestión de la Salud considera que el papel del Flipped Classroom tiene mayor peso para la comprensión de los contenidos sobre el pensamiento económico en salud que el contenido mismo.

References

ANASTASIOU, Lea das Graças Camargo; ALVES, Leonir Pessate (orgs.) Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. Joinville, SC: Univille, 2003.

ARAÚJO, Paulo Henrique Furtado. A Contradição Fundamental da Sociedade Capitalista no Livro Primeiro de O capital: Determinações Gerais e consequências. XIV CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA ECONÔMICA ..., Área: História do pensamento econômico, historiografia e metodologia. 2021, p. 1-32. Disponível em: https://www.abphe.org.br/arquivos/abphe2021-araujo-a-contradicao-fundamental-da-sociedade-capitalista-no-livro-primeiro-de-o-capital.pdf

AUSUBEL, David. Aquisição e retenção de conhecimentos. Lisboa: Plátano Edições Técnicas. 2003.

BEHRENS, Marilda Aparecida. Paradigmas conservadores – a reprodução do conhecimento. In: ____. O paradigma emergente e a prática pedagógica. pp. 39-52. 1999

BERRETT, Dan. How flipping the classroom can improve the traditional lecture. The Education Digest, v. 78, n. 1, p. 36, 2012.

BOLLELA, Valdes R.; CESARETTI, Mario L. Sala de aula invertida na educação para as profissões de Saúde: conceitos essenciais para a prática. Rev. Eletr. Farm., v. 14, n. 1, p. 39-48, 2017.

BOSCHETTI, Ivanete. Assistência social e trabalho no capitalismo. São Paulo: Cortez, 2016.

BREILH, Jaime. Los modelos epidemiológicos como recursos del proyecto capitalista. In: ___. Epidemiología, Medicina, Economía y Política. México: Fontamara 19, 1986, p. 71-125.

CARNUT, Leonardo; DOUBERIN, Cristina Albuquerque. LIMA, Tereza Natalia Bezerra de. Condução docente como fundamento da experiência positiva com metodologias ativas em uma residência multiprofissional. J Manag Prim Health Care, São Paulo, v. 8, n. 3, p. 21-22. 2018.

CARNUT, Leonardo; IANNI, Aurea M. Z. Saúde é política: pensamento social de Floreal Antonio Ferrara e suas contribuições para repensar ‘o político’ na saúde. Revista Saúde e Sociedade, 2017, (no prelo).

CARNUT, Leonardo; MENDES, Áquilas. Pensamento econômico e saúde: a crítica de Braga e Paula à visão neoclássica revisitada. Crít. Revolucionária, São Paulo, v. 2, p. 1-32, 2022.

CARNUT, Leonardo; PIRES, Jonas Sona de Miranda; MENDES, Áquilas. Economia e saúde: aproximações para uma abordagem da economia política crítica marxista. Marx e o Marxismo, Niterói, Rio de Janeiro, v. 9, p. 122-156, 2021.

CARNUT, Leonardo; TABORDA-TEIXEIRA, Glauce Araújo; ARAÚJO-VALENCIA, Gabriela. O pensamento econômico em saúde de Hésio Cordeiro sobre o financiamento da saúde pública no Brasil e a intervenção anticíclica em Claudio Napoleoni. Revista Tiempo & Economía, Bogotá, Colômbia, v. 8, p. 1-25, 2020. https://doi.org/10.21789/24222704.1629

CASTRO, Lucas Crivelenti e. A relação entre a pós-modernidade e as ideias da teoria macroeconômica neoclássica: análise da convergência conservadora em ambas fundamentações. XXVIII ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA POLÍTICA, 2023. p. 1-18. https://enep.sep.org.br/uploads/2401_1678743885_Artigo_Enep_2023_com_nome_pdf_ide.pdf

COLISTETE, Renato Perim. O Desenvolvimentismo Cepalino: Problemas Téoricos e Influências no Brasil. In: SZMERCSÁNYI, Tamás; COELHO, Francisco da Silva. (orgs). Ensaios de história do pensamento econômico no Brasil contemporâneo. São Paulo: Atlas, 2007. p. 27-38.

CORAZZA, Gentil. Ciência e método na história do pensamento econômico. Revista de Economia, v. 35, n. 2 (ano 33), p. 107-135, maio/ago. 2009.

CORDEIRO, Hésio. Financiamento do setor de saúde: proposta para a transição democrática. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 17, p. 37-40, 1985.

COSENTINO, Daniel do Val. As origens do ensino de Economia no Brasil e o pensamento econômico brasileiro. In: COSENTINO, Daniel do Val; GAMBI, Thiago Fontenela Rosado. História do pensamento econômico: pensamento econômico brasileiro. Rio de Janeiro: EDUFF, São Paulo: Hucitec, 2019. p. 223-248.

COUTINHO, Maurício Chalfin. Incursões Marxistas. In: SZMERCSÁNYI, Tamás; COELHO, Francisco da Silva. (orgs). Ensaios de história do pensamento econômico no Brasil contemporâneo. São Paulo: Atlas, 2007. p. 15-26.

CUNHA, Elcemir Paço. Unidade do método materialista em história do pensamento econômico: fundamentos e análise de gênese. XXVIII ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA POLÍTICA, 2023. p. 1-24. https://enep.sep.org.br/uploads/1073_1678661158_artigo_SEP_2023_12mar2023_envio_ID_pdf_ide.pdf

CURTY, Carla; MALTA, Maria; BORJA, Bruno. Intérpretes do Brasil: influências na origem do pensamento econômico brasileiro. História Econômica & História de Empresas, v. 24, n. 2, p. 463-489, 2021. https://doi.org/10.29182/hehe.v24i2.751

DENNISON, Tracy. Context is Everything: The Problem of History in Quantitative Social Science. Journal of Historical Political Economy, UK, v. 1, p. 105–126, 2021. https://doi.org/10.1561/115.00000004

FERRAZ, Ana Paula do Carmo Marcheti; BELHOT, Renato Vairo. Taxonomia de Bloom: revisão teórica e apresentação das adequações do instrumento para definição de objetivos instrucionais. Gest. Prod., São Carlos, v. 17, n. 2, p. 421-431, 2010.

FILGUEIRAS, Luiz. Economia política versus economia positiva: proposta de um antimanual de introdução à economia. Revista da Sociedade Brasileira de Economia Política, Niterói, RJ, v. 50, n. 2, p. 142-164, 2018.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. Petrópolis, RJ: Paz e Terra, 1996.

GAILMARD, Sean. Theory, History, and Political Economy. Journal of Historical Political Economy, UK, v. 1, p. 69–104, 2021. https://doi.org/10.1561/115.00000003

GARCÍA, Juan César. La categoría trabajo en la medicina. Cuadernos Médico-Sociales, Rosario, Argentina, n. 23, 1983, p. 389-408.

GENNARI, Adilson Marques; OLIVEIRA, Roberson. História do pensamento econômico. São Paulo: Saraiva, 2009.

GUŢĂ. Alexandra Luciana. The cost-benefit analysis and its economic philosophy. p. 1-16, 2012. http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.2152639

HUNT, E. K. Crítica de la teoría económica. Selección de E. K. Hunt y J. G. Schwartz. México, Fondo de Cultura Económica, 1977.

KURZ, Hein D. Breve historia del pensamiento económico. México, FCE, 2022.

MARTÍNEZ, Elena Catalán; IRURETAGOIENA, Igor Etxabe; MENDIZÁBAL, Igor Goñi. La historia económica como medio para adquirir competências transversales básicas. XI ENCUENTRO DE DIDÁCTICA DE LA HISTORIA ECONÓMICA. Asociacón Española de Historia Económica. 2014. p. 1-20. Disponível em: https://www.aehe.es/wp-content/uploads/2014/06/S1_6_Catalan_Etxabe_Goni_TC.pdf

MAZON, Marcelo; SOUZA, Marcio Vieira de; SPANHOL, Fernando. A sala de aula invertida como modelo para aprendizagem colaborativa: ferramentas e possibilidades na educação superior. Criar Educação, p. 1-12, 2016. Disponível em: file:///C:/Users/leona/Downloads/canarim,+GT+5+Marcelo+Mazon_VF.pdf

MENDES, Áquilas. O subfinanciamento e a mercantilização do SUS no contexto do capitalismo contemporâneo em crise. In: BRAVO, Maria Inês Souza; ANDREAZZI, Maria de Fátima Siliansky; MENEZES, Juliana Souza Bravo de; LIMA, Joseane Brabosa de; SOUZA, Rodriane de Oliveira. (Org.). A mercantilização da saúde em debate: as Organizações Sociais no Rio de Janeiro. 1ed. Rio de Janeiro: Rede Sirius, 2015, v. 1, p. 12-19.

MENDES, Áquilas. Os impasses dos direitos sociais trabalhistas e do financiamento da seguridade social e da saúde brasileira no capitalismo contemporâneo em crise. In: SOUZA, H.; MENDES, A. (orgs.) Trabalho e Saúde no Capitalismo Contemporâneo: enfermagem em foco. Rio de Janeiro: Doc Content, 2016. p. 15-41

MENDES, Áquilas; BARBOSA, Eduardo Alex Barbin; CARNUT, Leonardo. Aproximações entre o pensamento da economia política de Paul Singer e de Jaime Breilh sobre a teoria do valor e os modelos epidemiológicos. Disponível em: https://ecopolsaude.com.br/wp-content/uploads/2023/10/Aproximacoes.pdf . Acesso em 19, out. 2023.

MENDES, Bruna; MARIEL, Brunna; MOREIRA, Danilo Alves Rosa; CARNUT, Leonardo. Pensamento econômico-social de Nelson Rodrigues dos Santos: socialismo reformista e as políticas de saúde no Brasil nos anos 1980. Disponível em: https://ecopolsaude.com.br/wp-content/uploads/2023/10/Pensamento-Nelsao.pdf. Acesso em 19, out. 2023.

MITRE, Sandra Minardi et al. Metodologias ativas na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência & Saúde Coletiva. 13(Supl 2): 2133 – 2144, 2008.

OBSERVATÓRIO DE ECONOMIA POLÍTICA DA SAÚDE. ECOPOL SAÚDE. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo. Disponível em: https://ecopolsaude.com.br/curso-de-especializacao-economia-e-gestao-em-saude/ Acesso em: 16, out. 2023.

POSSAS, Cristina. Saúde e população excedente. In: ___. Saúde e trabalho: crise da previdência social. São Paulo: Hucitec, 1989, p. 41-83.

PRADO, Eleutério Fernando da Silva. A Ortodoxia Neoclássica. In: SZMERCSÁNYI, Tamás; COELHO, Francisco da Silva. (orgs). Ensaios de história do pensamento econômico no Brasil contemporâneo. São Paulo: Atlas, 2007. p. 3-14.

PRESSER, Mário Ferreira. Ecletismos em Dissenso: Uma Comparação das Propostas dos Neo-Estruturalistas da PUC-RJ e dos Keynesianos da Unicamp. In: SZMERCSÁNYI, Tamás; COELHO, Francisco da Silva. (orgs). Ensaios de história do pensamento econômico no Brasil contemporâneo. São Paulo: Atlas, 2007. p. 39-54.

REDONDO, José Francisco Bellod. Especulación, paradigma y currículo. Revista de Economía Crítica, n. 35, p. 144-166, 2023.

ROSAL, Mario de. El paradigma marxista y la ciencia económica. Revista Economía, v. 71, n. 114, p. 91-106, 2019.

SALAZAR-TRUJILLO, Boris. El pluralismo en la enseñanza de la economía. Ensayos de Economía, Bogotá, v. 29, n. 55, p. 7-9, 2019.

SANTOS, Nelson Rodrigues dos. Dilema Estatista II – Como é forjado o espaço das políticas públicas com exemplos da área da saúde. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 28, p. 5-15, 1990.

SCHEFFER, Mário. O capital estrangeiro e a privatização do sistema de saúde brasileiro. Cadernos de Saúde Pública (ENSP. Impresso), p. 663-666, 2015.

SINGER, Paul; CAMPOS, Oswaldo; OLIVEIRA, Elizabete M. 4. Economia da Saúde. In: ___. Curar e Prevenir: o controle social através dos serviços de saúde. Coleção Ensaios de Economia. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1981. p. 66-87.

SPOSITO, Theodoro Cesar de Oliveira. Mainstream critics, heterodox reponses: a normative defense of pluralism in economics. XXVIII ENCONTRO NACIONAL DE ECONOMIA POLÍTICA, 2023. p. 1-25. https://enep.sep.org.br/uploads/1972_1677389424_pluralism-SEP-identificado_pdf_ide.pdf

SUHR, Renate Frose. Desafios no uso da sala de aula invertida no ensino superior. Transmutare, Curitiba, v. 1, n. 1, p. 4-21, jan./jun. 2016.

SUPRINYAK, Carlos Eduardo; CUNHA, Alexandre Mendes. A história do pensamento econômico no Brasil: um panorama. In: COSENTINO, Daniel do Val; GAMBI, Thiago Fontenela Rosado. História do pensamento econômico: pensamento econômico brasileiro. Rio de Janeiro: EDUFF, São Paulo: Hucitec, 2019. p. 27-57.

TAQUES, Fernando Henrique; DE SOUZA, Henrique Pavan Beiro; ALENCAR, Douglas Alcantara. The 2007-08 Financial Crisis from a Marxist View. Modern Economy, China, v. 8, p. 1069-1081, 2017. https://doi.org/10.4236/me.2017.89074

TOLIPAN, Ricardo. Anotações sobre a história do pensamento econômico. 1º Simpósio do Ensino de Economia, realizado no Rio de Janeiro, em 28/06/96, tendo sido publicado em Corecon-RJ/IERJ/Sindecon, O ensino de economia: questões teóricas e empíricas, Rio de Janeiro, 1996. https://revistas.ufrj.br/index.php/rec/article/view/19720/11405

TURNER, Jonhatan H. Sociologia – Conceitos e Aplicações. São Paulo: Makron Books, 2000.

VALENTE, José Armando. Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em Revista, n. 4, 2014.

WOOD, Ellen Meiksins. Democracia contra capitalismo - a renovação do materialismo histórico. Boitempo: São Paulo, 2011.

ZALDUENDO, Eduardo. Breve historia del pensamiento económico. Edición, 3; Editor, Ediciones Macchi, 1998.

Downloads

Published

2023-11-28

How to Cite

Carnut, L., & Mendes, Áquilas. (2023). Aprendizaje de pensamiento económico en salud con uso del flipped classroom. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(11), 22055–22079. https://doi.org/10.55905/oelv21n11-187

Issue

Section

Articles