Integralidade e longitudinalidade: estudo com enfermeiros da atenção primária à saúde

Authors

  • Rafael Pinto da Silva
  • Walter de Souza Tavares
  • Elessandra Miranda Cardoso
  • Francineide Pereira da Silva Pena
  • Brunna Souza Nascimento
  • Cecília Rafaela Salles Ferreira

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n11-247

Keywords:

atenção primária à saúde, integralidade em saúde, longitudinalidade, enfermagem

Abstract

Enquadramento: a Atenção Primária à Saúde (APS) pode ser entendida como o nível do sistema que fornece entrada para todas as novas necessidades e problemas dos usuários. Dentre os atributos desse nível menciona-se a integralidade e a longitudinalidade. Objetivo: avaliar os atributos da integralidade e longitudinalidade na APS por meio de informações obtidas por enfermeiros que atuam em um estado da Amazônia. Metodologia: : pesquisa transversal, descritiva, de abordagem quantitativa. Participaram enfermeiros e a coleta de dados se deu por meio de um questionário sociodemográfico e o do Primary Care Assessment Tool. Resultados: na integralidade, os componentes “Serviços prestados” e “Serviços disponíveis” apresentaram elevados escores médios e porcentagens de classificação. Por outro lado, a Longitudinalidade apresentou 56,5% de enfermeiros com classificação baixa e escore médio insatisfatório (<6,6). Conclusão: Na APS de um estado da Amazônia a longitudinalidade foi um atributo considerado com presença e extensão insatisfatórias. Já o atributo da integralidade demonstrou elevada presença e extensão, que reflete uma satisfatória disponibilidade e prestação de serviço, segundo os participantes.

References

Carneiro, M. D. S. M. et al. Avaliação do atributo coordenação da Atenção Primária à Saúde: aplicação do PCATool a profissionais e usuários. Saúde em Debate, v.38, p.279-295, 2014. https://doi.org/10.5935/0103-1104.2014S021

Cunha, C. R. H. D. et al. Carteira de Serviços da Atenção Primária à Saúde: garantia de integralidade nas Equipes de Saúde da Família e Saúde Bucal no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v.25, n.4, p.1313-1326, 2020. https://doi.org/10.1590/1413-81232020254.31862019

Frota, A. C. et al. Vínculo longitudinal da Estratégia Saúde da Família na linha de frente da pandemia da Covid-19. Saúde em Debate, v.46, p.131-151, 2022. https://doi.org/10.1590/0103-11042022E109

Furrati, C. et al. Adaptação do item Integralidade do PCATool-saúde da criança à saúde bucal: construção de consenso através de grupo focal. Brazilian Journal of Development, v.6, n.7, p.50852-50865, 2020. https://doi.org/10.34117/bjdv6n7-650

Harzheim, E., et al. Avaliação dos usuários crianças e adultos quanto ao grau de orientação para Atenção Primária à Saúde na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, v.21, n.5, p.1399-1408, 2016. https://doi.org/10.1590/1413-81232015215.26672015

Hauser, L. et al. Tradução, adaptação, validade e medidas de fidedignidade do Instrumento de Avaliação da Atenção Primária à Saúde (PCATool) no Brasil: versão profissionais de saúde. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, v.8, n.29, p.244–255, 2013. https://doi.org/10.5712/rbmfc8(29)821

Kessler, M. et al. Longitudinalidade do cuidado na atenção primária: avaliação na perspectiva dos usuários. Acta paulista de enfermagem, v.32, n.2, p.186-193, 2019. https://doi.org/10.1590/1982-0194201900026

Lima, J. G., et al. Atributos essenciais da Atenção Primária à Saúde: resultados nacionais do PMAQ-AB. Saúde em Debate, v.42, p.52-66, 2018. https://doi.org/10.1590/0103-11042018S104

Ministério da Saúde. Manual do Instrumento de Avaliação da Atenção Primária à Saúde: PCATool-Brasil 2020. Disponível em: <http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/documentos/20200506_Pcatool_versao_preliminar_Final.pdf>. Acesso em: 08 de fev. de 2022

Ministério da Saúde. Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Diário oficial da União, v.183, n.1, p.68-68, 2017. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html>. Acesso em: 02 de fev. de 2022

Moysés, R. P. C. et al. Integralidade e longitudinalidade da Atenção Primária à Saúde da mulher: uma análise de três municípios amazônicos. Revista de Atenção Primária a Saúde, v.22, n.1, p.168-182, 2019. https://doi.org/10.34019/1809-8363.2019.v22.16740

Perillo, R. D. et al. Avaliação da Atenção Primária à Saúde na ótica dos usuários: reflexões sobre o uso do Primary Care Assessment Tool-Brasil versão reduzida nos inquéritos telefônicos. Revista Brasileira de Epidemiologia, v.23, 2020. https://doi.org/10.1590/1980-549720200013.supl.1

Prates, M. L. et al. Desempenho da Atenção Primária à Saúde segundo o instrumento PCATool: uma revisão sistemática. Ciência & Saúde Coletiva, v.22, n.6, p.1881-1893, 2017. https://doi.org/10.1590/1413-81232017226.14282016

Sá, L. Y. B. A. V. A Avaliação da Atenção Primária: um olhar preliminar através do PCATool em Manaus, Amazonas. APS EM REVISTA, v.1, n.2, p.98–111, 2019. https://doi.org/10.14295/aps.v1i2.27

Saraiva, I. R. A. et al. Tomada de decisão na gerência em Atenção Primária à Saúde: percepção de enfermeiros. Revista de APS, v.23, n.3, 2020. https://doi.org/10.34019/1809-8363.2020.v23.31058

Silva, E. P. et al. PCATOOL como instrumento de avaliação da Atenção Primária: Revisão integrativa. Research, Society and Development, v.11, n.13, p. e203111335414-e203111335414, 2022. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v11i13.35414

Silva, G. S. & Alves, C. R. L. Avaliação do grau de implantação dos atributos da atenção primária à saúde como indicador da qualidade da assistência prestada às crianças. Cadernos de Saúde Pública, v.35, n.2, e00095418, 2019. https://doi.org/10.1590/0102-311X00095418

Sousa, A. I. et al. Avaliação da acessibilidade aos serviços de atenção primária à saúde na perspectiva dos profissionais. Revista Enfermagem UERJ, v.28, p.47069, 2020. https://doi.org/10.12957/reuerj.2020.47069

Toso, B. R. G. D. O. et al. Atuação do enfermeiro em distintos modelos de Atenção Primária à Saúde no Brasil. Saúde em Debate, v.45, p.666-680, 2021. https://doi.org/10.1590/0103-1104202113008

Vendruscolo, C. et al. Educação permanente e sua interface com melhores práticas em enfermagem na atenção primária à saúde. Cogitare Enfermagem, v.26, 2021. https://doi.org/10.5380/ce.v26i0.72725

Published

2023-11-29

How to Cite

da Silva, R. P., Tavares, W. de S., Cardoso, E. M., Pena, F. P. da S., Nascimento, B. S., & Ferreira, C. R. S. (2023). Integralidade e longitudinalidade: estudo com enfermeiros da atenção primária à saúde. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(11), 23174–23187. https://doi.org/10.55905/oelv21n11-247

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)