Plataformas adaptativas no ensino público caminhos de aprendizagem

Authors

  • Michely Queiroz de Lima Menezes
  • Juçara Aguiar Guimarães Silva
  • Ângela Aparecida de Assis Polizello
  • Érika dos Santos Alves
  • Andréia de Sousa Magalhães Caetano
  • Helena Maria Ribeiro
  • Domingos Sávio dos Santos
  • Edivan Jorge Costa

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n10-137

Keywords:

tecnologias, aprendizagem adaptativa, aprendizagem híbrida

Abstract

As tecnologias estão cada vez mais presentes na vida das pessoas, o uso da tecnologia vem demostrando ser uma importante aliada de socialização e educação nas novas gerações. Promoção de uma aprendizagem significativa é uma proposta de trabalho instigante e desafiadora ao ensino de um modo geral. Ao sistematizar uma aula, o desafio é realizar a integração entre teoria e prática com base na construção de uma educação de qualidade que garanta aos educandos os direitos essenciais de aprendizagens, permitindo-lhes atuar eficientemente nas mais diversas áreas da vida pública. O presente artigo tem como estudo, desenvolver conhecimento através de elementos que foram refletidos e discutidos sobre o surgimento de plataformas no ensino público no período pandêmico, como o professor utilizou as plataformas, criando condições favoráveis para o desempenho pedagógico, analisando o perfil dos discentes, sua necessidade, observando a conexão de duas abordagens educativas seguida pelas tecnologias digitais, a aprendizagem híbrida e a aprendizagem adaptativa.

References

Atagiba, C. D., & Silva, C. S. (2022) Neurociência Educacional. Curitiba, SP: InterSaberes.

Aires, J. P. 1; Pilatti, L. A. 2 (2016) Aprendizagem significativa por meio do ensino adaptativo. Revista Espacios. Vol. 37. Recuperado em 10 de abril de 2022, de http://www.revistaespacios.com/a16v37n29/16372918.html

Braga, M. (2001) Realidade Virtual e Educação. Revista de Biologia e Ciências da Terra. Recuperado em 13 abril de 2022, de https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=50010104

Brasil. (2018) Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília. Recuperado em 15 de abril, 2022, de http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf

Coutinho, J. E. F. D. (2013). Mlearning: ambiente de aprendizagem com interface adaptativo. Recuperado em 19 abril, 2022, de http://hdl.handle.net/10451/10276

Candau, V. M. (2012) Diferenças Culturais, Interculturalidade e Educação em Direitos Humanos. Educ. Soc. Recuperado em 12 abril, 2022, de https://www.scielo.br/j/es/a/QL9nWPmwbhP8B4QdN8yt5xg/?lang=pt&format=html

Freire, P. (1996). Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo, SP. Paz e Terra Recuperado em 19 abril, 2022, de https://nepegeo.paginas.ufsc.br/files/2018/11/Pedagogia-da-Autonomia-Paulo-Freire.pdf

Mizukami, M. G. N. (1986). Ensino: as abordagens do processo. São Paulo-SP: EPU.

Schlemmer, E. (2013) O trabalho do Professor e as Novas Tecnologias. Carta Editora. Recuperado em 13 abril, 2022, de https://www.researchgate.net/profile/ElianeSchlemmer/publication/352169293_O_trabalho_ o_professor_e_as_novas_tecnologias/links/60bcc07692851cb13d7fc906/O-trabalho-do professor-e-as-novas-tecnologias.pdf

Tezani, T. (2017). Tecnologias da informação e comunicação no ensino. São Paulo - SP: Perarson Education.

Published

2023-10-19

How to Cite

Menezes, M. Q. de L., Silva, J. A. G., Polizello, Ângela A. de A., Alves, Érika dos S., Caetano, A. de S. M., Ribeiro, H. M., dos Santos, D. S., & Costa, E. J. (2023). Plataformas adaptativas no ensino público caminhos de aprendizagem. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(10), 17054–17064. https://doi.org/10.55905/oelv21n10-137

Issue

Section

Articles