A presença do folhetim no Jornal Maranhense

Authors

  • Cláudia Maria Pinho de Abreu Pecegueiro
  • Raimunda Ramos Marinho
  • Silvana Maria de Jesus Vetter

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n10-074

Keywords:

imprensa periódica, Jornal Maranhense, romance de folhetim

Abstract

Os jornais do século XIX no Brasil foram importantes porque comprovadamente são um dos primeiros instrumentos responsáveis pela cultura letrada, demarcando com muita ênfase a história das práticas de leitura. As tipografias e a imprensa foram eventos civilizatórios estabelecidos nos primórdios do Estado Brasileiro pela Corte Lusitana. Deste modo, evidencia-se a estreita relação entre imprensa e educação, pois guardam entre si afinidades em sua relação com a fundação de uma sociedade urbana e o exercício do debate para a conquista dos direitos sociais. Por isso é preciso uma investigação histórica, através de uma aproximação descritiva pela qual se apresentam apreensões sobre a seção Romance de Folhetim publicizada no “Jornal Maranhense”, cuja circulação inicia em 9 de julho de 1841 e estende-se até 01 de julho de 1842, com um total de 100 exemplares. Como suporte teórico, busca-se aporte na interlocução entre Jornal e fontes literárias para a construção de um recorte social no Brasil e no Maranhão no século XIX. Pode se observar, a partir das análises, que o impresso da categoria Jornal, no século XIX, era instrumento de articulação social e cultural entre as províncias, a Corte e a capital da República. Ao que tange ao objeto da pesquisa, a presença do Romance de Folhetim no Jornal Maranhense, nos indicam preliminarmente que este texto literário reproduzia as modas e costumes europeus da época; instigava nas várias classes sociais o gosto pela leitura; servia de entretenimento nas rodas sociais, com autorias peculiarmente identificadas por pseudônimos e apresentava, em sua maioria, textos inéditos.

References

ALENCASTRO, Luiz Felipe de. “Vida Privada e ordem Privada no Império”. In: NOVAES, Fernando (Org.). História da vida privada no Brasil: Império. São Paulo: Companhia das Letras, 1977.

BARBOSA, Socorro de Fátima Pacífico. Jornal e Literatura: a imprensa brasileira no século XIX. Porto Alegre: Nova Prova, 2007.

BOURDIER, Pierre. “Leitura, leitores, letrados, literatura”. In: BOURDIER, Pierre Coisas ditas. São Paulo: Brasiliense, 2004.

CANDIDO, Antonio. Formação da literatura brasileira: momentos decisivos. Belo Horizonte: Itatiaia, 1975.

CHARTIER, Roger. Aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: EDUNESP/ Imprensa Oficial do Estado, 1999.

JORGE, Sebastião. A imprensa do maranhão no século XIX. São Luis: Litigrf, 2008.

JORNAL MARANHENSE. São Luís, 11 jan. 1842.

JORNAL MARANHENSE. São Luís, 13. jul. 1841.

JORNAL MARANHENSE. São Luís, 18 mar. 1842.

JORNAL MARANHENSE. São Luís, 29 mar. 1842

JORNAL MARANHENSE. São Luís, n.1-100, 1841-1842.

ROMERO, Silvio. História da literatura brasileira. Rio de Janeiro: José Olympio, 1954.

SODRÉ, Nelson. História da imprensa no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasilei-ra, 1977.

Published

2023-10-13

How to Cite

Pecegueiro, C. M. P. de A., Marinho, R. R., & Vetter, S. M. de J. (2023). A presença do folhetim no Jornal Maranhense. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(10), 15868–15882. https://doi.org/10.55905/oelv21n10-074

Issue

Section

Articles