Metodologias ativas no contexto do ensino remoto: à guisa de introdução

Authors

  • Camila Perez da Silva
  • Ricardo Gavioli de Oliveira
  • Andrea Rodrigues dos Santos

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n10-037

Keywords:

metodologias ativas, TDIC, aprendizagem significativa

Abstract

O presente artigo propõe uma reflexão acerca das metodologias ativas de ensino e aprendizagem, a fim de problematizar a concepção meramente técnica e difusa relacionada à sua utilização no contexto educacional atual, em especial, após a inserção do Ensino Remoto Emergencial, decorrente da pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2). Para tanto, foi realizada uma pesquisa com foco no levantamento de diferentes tipos destas metodologias, evidenciando que muitas delas, já são utilizadas pelos educadores em sala de aula e que portanto, é um equívoco relacioná-las condicioná-las à utilização de Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC). O principal desafio inerente à sua aplicação, está em organizar um planejamento didático que permita aos estudantes atuarem como protagonistas no processo educativo, instigando a reflexão e o estudo de forma colaborativa e contextualizada, a fim de que a aprendizagem seja realmente significativa.

References

ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P. (Orgs). Processos de Ensinagem na Universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho em aula. 9. ed. Joinville: Univille, 2010.

AUSUBEL, D. P. A aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes, 1982.

BERBEL, N. A. N. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface, Botucatu, v. 2, n. 2, p. 139-154, fev./1998.

BEHRENS, M. A. O portfólio como procedimento avaliativo. In: BEHRENS, M. A. Paradigma da complexidade: metodologia de projetos, contratos didáticos e portfólios. 2 ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2008, p.103-110.

BERGMANN, J.; SAMS, A. A sala de aula invertida: uma metodologia ativa de aprendizagem. Rio de Janeiro: LTC, 2012.

FERRARINI, R.; SAHEB, D.; TORRES, P. L. Metodologias ativas e tecnologias digitais aproximações e distinções. Revista Educação em Questão, Natal, v.57, n. 52, p. 130. 2019.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. Rido de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 11. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 14ª ed. 1985.

FREIRE, P. Educação "bancária" e educação libertadora. In: PATTO, M. H. S. et al. Introdução à psicologia escolar. 3 ed. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006. p. 61-78.

GASPARIN, J. L. Uma didática para a pedagogia histórico-crítica. 3. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2002.

GONZAGA, F.; MEDEIROS, J. L.; VIEIRA, D. Júri simulado aplicado à engenharia: Estratégias de Metodologias Ativas em foco. Congresso Brasileiro de Educação em engenharia, Fortaleza, 2019.

INOCENTE, L.; CASTAMAN, A. S.; VIEIRA, M. L. Painel Integrado: material didático- pedagógico facilitador do processo de ensino e aprendizagem. XIII Congresso Nacional de Educação (EDUCARE). IV Seminário Internacional de Representações Sociais, Subjetividade e Educação. VI Seminário Internacional sobre Profissionalização Docente. p. 4096-4107, 2017. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2017/25458_12179.pdf. Acesso em: 29 de ago. 2021.

LIMA, H. G. F. Brainstorming. Disponível em: <http://heuberlima.files.wordpress.com/2011/08/senai-requisitos-aula3brainstorming.pdf>. Acesso em: 17 de mai. 2021.

MASETTO, M. Atividades pedagógicas no cotidiano da sala de aula universitária: reflexões e sugestões. In: CASTANHO, S; CASTANHO, M. (org.) Temas e textos em metodologia do ensino superior. 2. Ed. Campinas, SP: Papirus, 2002.

MASETTO, M. O professor na hora da verdade: a prática docente no ensino superior. São Paulo: Avercamp, 2010.

MEDEIROS, A. Docência na socioeducação. Brasília: Universidade de Brasília, Campus Planaltina, 2014.

MORAN, J. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. Disponível em: www2.eca.usp.br/moran. Acesso em: 28 de nov. de 2020.

PONTUSCHKA, N. N. Estudo do meio, interdisciplinaridade, ação pedagógica. Disponível em: http://estudodomeio.wordpress.com/2009/03/10/acao_pedagogica. Acesso em: 25 mar. 2021.

SANTOS, T. S. Metodologias ativas de aprendizagem. Olinda, 2019.

SCARPATO, M. Os procedimentos de ensino fazem a aula acontecer. São Paulo: Avercamp, 2004.

SCHMITZ, E. X. S. Sala de Aula Invertida. UFSM, 2016. Disponível em:<https://nte.ufsm.br/images/PDF_Capacitacao/2016/RECURSO_EDUCACIONAL/Mater ial_Didatico_Instrucional_Sala_de_Aula_Invertida.pdf>. Acessado em: 28 mai. 2021.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

TAVARES, R. Animações interativas e mapas conceituais: uma proposta para facilitar a aprendizagem significativa em ciências. Ciências & Cognição. v.13, ano 2, 2008.

VASCONCELLOS, C. S. Metodologia dialética em sala de aula. Revista de Educação AEC. Brasília: abril de 1992 (n. 83).

Published

2023-10-04

How to Cite

da Silva, C. P., de Oliveira, R. G., & dos Santos, A. R. (2023). Metodologias ativas no contexto do ensino remoto: à guisa de introdução. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(10), 15149–15169. https://doi.org/10.55905/oelv21n10-037

Issue

Section

Articles