O campo judicial no âmbito da ciência política e o problema epistemológico da expressão “poder judiciário”

Authors

  • Francisco Geraldo Matos Santos
  • Manoel Rufino David de Oliviera
  • Luana Broni de Araújo

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n10-021

Keywords:

campo judicial, poder, ciência política

Abstract

Partindo do pressuposto de que o campo judicial tem recebido certas contribuições científicas por parte da comunidade de pesquisadores da Ciência Política, é que, por meio de uma discussão teórica, se propôs a realizar o presente estudo. Trata-se de uma investigação que contrapõe a expressão “Poder Judiciário” – amplamente utilizada no âmbito da Ciência Política e a contribuição teórica de Foucault acerca do “Poder” – ou das relações de poder -, de forma a concluir ser incompatível com a teoria crítica entender epistemologicamente uma denominação compreendida de forma geral, como sendo adequada, com uma das abordagens centrais desse âmbito de investigação, que é a relação de poder. Assim, nota-se que ao utilizar a expressão “Poder Judiciário” se verifica uma personificação acrítica, sendo indispensável, portanto, a substituição por outras denominações. É importante entender que o âmbito de investigação proposto nesse ensaio é no corpo de pesquisas discutidas pela Ciência Política, identificando, quando necessário, a incompatibilidade de algumas metodologias excludentes utilizadas para interpretar fenômenos jurídicos no âmbito da política.

References

ARAUJO, Mateus Morais. O Poder Judiciário no Presidencialismo de coalisão: introdução para uma análise institucional do Poder Judiciário no Brasil. Dissertação de Mestrado apresentada ao PPGCP/UFMG, sob orientação do Prof. Dr. Fernando de Barros Filgueiras. 2012

BOURDIEU, Pierre. Meditações Pascalianas, Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

DA ROS, Luciano. Em que ponto estamos? Agendas de pesquisa sobre o Supremo Tribunal Federal no Brasil e nos Estados Unidos. In: ENGELMAN, Fabiano (Org.). Sociologia política das instituições judiciais. Porto Alegre: Editora da UFRGS/CEGOV, 2017.

DAHL, Robert Alan. Tomada de decisões em uma democracia: a Suprema Corte como uma entidade formuladora de políticas nacionais. Revista de Direito Administrativo, Rio de Janeiro, v. 252, p. 25-43, set./dez. 2009. Disponível em: <https://dspace.almg.gov.br/retrieve/105949/bidBiblioteca_periodico_pdf.aspx.pdf>. Acesso em: 02 janeiro. 2017

ENGELMAN, Fabiano. Julgar a política, condenar a democracia? Justiça e crise no Brasil. Rev. Conj. Aust. Porto Alegre, vol. 7, n. 37, p. 09-16. Ago./set. 2016.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

FOUCAULT, Michel. “O sujeito e o poder”. In DREYFUS (H.), RABINOW (P.), Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995, p. 231-249

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso: aula inaugural no Collège de France, pronunciada em 2 de dezembro de 1970. 24. ed.- São Paulo: Edições Loyola, 2014.

HALL, Peter A. and TAYLOR, Rosemary C. R.. As três versões do neo- institucionalismo. Lua Nova [online]. 2003, n.58, pp.193-223. ISSN 0102- 6445. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-64452003000100010.

PERES, Paulo Sérgio. Comportamento ou instituições? A evolução histórica do neo- institucionalismo da ciência política. Revista Brasileira de Ciências Sociais. Vol. 23. Nº 68 outubro / 2008. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v23n68/v23n68a05.pdf>

POGREBINSCHI, Thamy. Judicialização ou representação? Política, direito e democracia no Brasil. Rio de Janeiro (RJ): Elsevier, 2011

SADEK, M. T.. Estudos sobre o sistema de justiça. In: S. Miceli. (Org.). O que ler na ciência social brasileira. Brasília, São Paulo: ANPOCS; Ed. sumaré; CAPES, 2002, v. ,

p. -.

VAUCHEZ, Antonie. O Poder Judiciário: um objeto central da ciência política. In: ENGELMAN, Fabiano (Org.). Sociologia Política das Instituições Judiciais. Porto Alegre: Editora da UFRGS/GEGOV, 2017.

VIANNA, Luis Jorge Werneck; CARVALHO, Maria Alice Rezende de; MELO, Manuel Palacios Cunha e BURGOS, Marcelo Baumann. A judicialização da política e das relações sociais no Brasil. Rio de Janeiro: Revan, 1999

Published

2023-10-03

How to Cite

Santos, F. G. M., de Oliviera, M. R. D., & de Araújo, L. B. (2023). O campo judicial no âmbito da ciência política e o problema epistemológico da expressão “poder judiciário”. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(10), 14818–14831. https://doi.org/10.55905/oelv21n10-021

Issue

Section

Articles