Rua das Trincheiras e rua do Tambiá: eixos de expansão na Parahyba e eixos de abandono em João Pessoa

Authors

  • Raquel Osias Toscano de Brito
  • Ivan Cavalcanti Filho

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n9-201

Keywords:

Rua das Trincheiras, Rua do Tambiá, patrimônio histórico-cultural, vazios urbanos

Abstract

Em sua história, a capital paraibana, fundada já como cidade em 1585, passou por longos períodos de estagnação política e econômica. Um momento importante para seu desenvolvimento foram os ciclos da produção algodoeira do final do século XIX e início do século XX. O crescimento econômico advindo da aludida produção teve reflexos no desenvolvimento da cidade, que passou por melhoramentos urbanos e por processos de expansão. Nesse contexto, as Ruas de Trincheiras e de Tambiá foram os mais significativos eixos que nortearam a urbanização de novas áreas da então chamada Parahyba, sendo os locais escolhidos pela elite algodoeira para a construção dos seus palacetes de vieses ecléticos. Os dois eixos viários guardam hoje um acervo edificado representativo da evolução do modo de morar da capital paraibana, incluindo uma variedade de exemplares de implantação colonial, e de edificações residenciais com quatro recuos expressas nas linguagens eclética, neocolonial, art déco, e sob forma de bungalows. Por sua relevância formal, estão inseridas na perimetral de tombamento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (IPHAEP), porém a realidade atual revela o estado de descaso por que passa grande parte do patrimônio nelas situado. Com a intensificação da expansão urbana em direção à orla marítima em meados da década de 1970, o centro antigo da atual cidade de João Pessoa, bem como suas adjacências – onde se encontram os antigos eixos de Trincheiras e Tambiá, hoje expressos pela Rua das Trincheiras e Av. João da Mata, e pela Rua Odon Bezerra e Av. Walfredo Leal, respectivamente – passaram por um processo de esvaziamento por parte da elite local. Somado ao descaso ocasionado pelos diversos agentes envolvidos, esse cenário gerou um quadro de abandono crescente e a formação de vazios urbanos e imóveis subutilizados que põem em risco a preservação do patrimônio da urbe. Questiona-se, assim, que patrimônio sobreviverá para as gerações futuras? Considerando a relevância que ambas as ruas possuem para o contexto histórico, arquitetônico e urbanístico da cidade, assim como a urgência pelo tratamento das questões persistentes de degradação do patrimônio, este trabalho intenta documentar a importância dos dois eixos em questão como uma forma de registro da memória da cidade, e de alerta para a necessidade da promoção de ações mais efetivas em favor de sua preservação. Para tanto, o ensaio, fruto de pesquisa de mestrado, desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFPB (PPGAU-UFPB), se ancora numa cuidadosa investigação bibliográfica, através da qual é possível entender o contexto histórico que levou à formação das duas ruas. A pesquisa se complementa com as observações de campo, por meio de registros fotográficos feitos in loco de variados exemplares arquitetônicos e seus respectivos estados de preservação, com especial enfoque para os imóveis vazios ou subutilizados.

References

AGUIAR, Wellington Hermes Vasconcelos de. Cidade de João Pessoa: a memória do tempo. 3ª ed. João Pessoa: Idéia, 2002.

ATIQUE, Fernando. Arquitetando a “Boa Vizinhança”: arquitetura, cidade e cultura nas relações Brasil-Estados Unidos – 1876-1945. São Paulo: Pontes Editores, 2010.

AZEVEDO, Paulo Ormindo de. A restauração arquitetônica entre o passado e o presente. Salvador: Revista de Urbanismo e Arquitetura – UFBA, vol. 6, n. 1, 2003.

BELTRAME, Gabriella. Vazios urbanos: notas sobre a escassez social do imóvel urbano. Rio de Janeiro: Interseções, v. 15, n. 1, p. 113-138, 2013.

BONDUKI, Nabil. Intervenções urbanas na recuperação de centros históricos. Brasília, DF: Iphan/Programa Monumenta, 2010.

BORDE, Andréa L. P. Vazios Urbanos: avaliação histórica e perspectivas contemporâneas. Niterói: 8º Seminário da História da Cidade e do Urbanismo, 2004. (Seminário).

BRESCIANI, Maria Stella. Permanência e ruptura no estudo das cidades. Salvador: I Seminário de História Urbana, FAU-UFBA, 1990.

CAVALCANTI FILHO, I.; QUEIROZ, C. R.; LUCENA, E. V. P. A presença do neocolonial: versão luso-brasileira e a variante hispano-americana. In: MOURA FILHA, Maria Berthilde; COTRIM, Marcio; CAVALCANTI FILHO, Ivan (organizadores). Entre o rio e o mar: arquitetura residencial na cidade de João Pessoa. João Pessoa: Editora da UFPB, 2016. p. 176-199.

CAVALCANTI FILHO, I.; TORRES, V.; ELIAS, C. G. O modelo preferido de residência: o bungalow. In: MOURA FILHA, Maria Berthilde; COTRIM, Marcio; CAVALCANTI FILHO, Ivan (organizadores). Entre o rio e o mar: arquitetura residencial na cidade de João Pessoa. João Pessoa: Editora da UFPB, 2016. p. 200-219.

CLEMENTE, Juliana Carvalho. Vazios urbanos e imóveis subutilizados no Centro Histórico tombado da cidade de João Pessoa. Dissertação de mestrado. João Pessoa: UFPB, 2012.

CORREIA, Telma de Barros. Art déco e indústria. Brasil, décadas de 1930 e 1940. São Paulo: Anais do Museu Paulista, v. 16, n. 2, julho-dezembro 2008.

COSTA, Paula Augusta Ismael da. Nas trincheiras do urbano: o “abandono” e degradação na Rua das Trincheiras, João Pessoa – PB. Dissertação de mestrado. João Pessoa: UFPB, 2017.

FABRIS, Annateresa. Arquitetura eclética no Brasil: o cenário da modernização. Anais do Museu Paulista Nova Série, nº 1, 1993.

FARIAS, Fernanda. Arquitetura em transformação: as residências Art Déco em João Pessoa. In: MOURA FILHA, Maria Berthilde; COTRIM, Marcio; CAVALCANTI FILHO, Ivan (organizadores). Entre o rio e o mar: arquitetura residencial na cidade de João Pessoa. João Pessoa: Editora da UFPB, 2016. p. 220-231.

JANJULIO, Maristela da Silva. Bangalô – subúrbio: a circulação intercontinental de uma nova cultura da habitação no início do século XX. Campinas: Oculum Ensaios 13, janeiro-junho 2011. p. 46-58.

MAIA, Doralice Sátyro. A cidade em transformação: Primeiros sintomas da modernidade urbana no século XIX. In: MOURA FILHA, Maria Berthilde; COTRIM, Marcio; CAVALCANTI FILHO, Ivan (org.). Entre o rio e o mar: arquitetura residencial na cidade de João Pessoa. João Pessoa: Editora da UFPB, 2016. p. 90-111.

MARIZ, Celso. Evolução econômica da Paraíba. 2ª ed. João Pessoa: A União Companhia Editora, 1978.

MEDEIROS FILHO, José Estevam de. ...E o bonde a burro foi implantado: um ícone de modernidade da cidade da Parahyba do final do século XIX. Olinda: Livro Rápido, 2017.

MOURA FILHA, Maria Berthilde. De Filipéia à Paraíba: uma cidade na estratégia de colonização do Brasil: séculos XVI - XVIII. João Pessoa: IPHAN/Superintendência na Paraíba, 2010.

MOURA FILHA, M. B.; RODRIGUES, A. M. V. A morada da elite na Cidade da Parahyba do início do século XX: o palacete eclético. In: MOURA FILHA, Maria Berthilde; COTRIM, Marcio; CAVALCANTI FILHO, Ivan (organizadores). Entre o rio e o mar: arquitetura residencial na cidade de João Pessoa. João Pessoa: Editora da UFPB, 2016. p. 134-155.

PEDONE, Jaqueline Viel Caberlon. O espírito eclético na arquitetura. Porto Alegre: UFRGS – Arqtexto, v. 6, 2004.

REIS FILHO, Nestor Goulart. Quadro da Arquitetura no Brasil. 8ª ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 1997.

RODRIGUEZ, Walfredo. Roteiro sentimental de uma cidade. 2ª ed. João Pessoa: A União Editora, 1994.

SILVA, Yanna K. G. Habitando o vazio: Um ensaio de ressignificação das vacâncias urbanas na poligonal de tombamento do IPHAN em João Pessoa – PB. Monografia. João Pessoa: UFPB, 2018.

TINEM, Nelci (org). Fronteiras, marcos e sinais: Leituras das ruas de João Pessoa. João Pessoa: UFPB, 2006.

TINEM, Nelci; CHAVES, Carolina. Trincheiras, a expansão da cidade para o sul. In.: TINEM, Nelci (org). Fronteiras, marcos e sinais: Leituras das ruas de João Pessoa. João Pessoa: UFPB, 2006. p. 225-252.

VILLAÇA, Flávio. Espaço intra-urbano no Brasil. 2ed. São Paulo: Studio Nobel: FAPESP: Lincoln Institute, 2001.

Published

2023-09-29

How to Cite

de Brito, R. O. T., & Cavalcanti Filho, I. (2023). Rua das Trincheiras e rua do Tambiá: eixos de expansão na Parahyba e eixos de abandono em João Pessoa. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(9), 14238–14257. https://doi.org/10.55905/oelv21n9-201

Issue

Section

Articles