A valorização imobiliária por meio da apropriação da natureza: o caso dos edifícios verticais residenciais em Palmas-TO

Authors

  • Lucimara Albieri de Oliveira
  • Beatriz Alves de Senna
  • Pedro Igor Galvão Gomes
  • Thaiane Adriela Saueressig
  • Douglas Patrick da Silva Tavares
  • Bruno Picoli Lopes

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n9-153

Keywords:

natureza, produção imobiliária, edifícios verticais, parques, desigualdade social

Abstract

Este artigo visa discorrer sobre a apropriação indireta dos elementos da natureza pelo mercado imobiliário por meio de um estudo de caso em Palmas-TO, observado sobretudo no entorno dos parques urbanos e das praias fluviais da região central da cidade. Há uma produção de edifícios residenciais altamente verticalizados e elitizados nesta área, somado à apropriação das áreas verdes públicas em suas propagandas de comercialização como o “quintal” dos condomínios e pela vista privilegiada da natureza. Esta dinâmica alimenta a cultura consumista-individualista na sociedade contemporânea, transformando a natureza em produto a ser consumido pelas elites, como símbolo de exclusividade e status social, em detrimento de seu aspecto social, político e econômico para a emancipação coletiva da sociedade. O trabalho amplia a investigação sobre a desigualdade social em Palmas, onde trabalhos já desenvolvidos a discorrem por meio dos aspectos de localização de moradia e oferta de infraestruturas e serviços urbanos, incorporando, neste caso, a natureza transformada em mercadoria.

References

ALBIERI, L. Sistema de espaços livres e a constituição da forma urbana contemporânea: produção e apropriação em Palmas-TO. In: MACEDO, S.S.; QUEIROGA, E.F. CAMPOS A.C.A.; CUSTÓDIO, V. (Orgs). Quadro geral da forma urbana e do sistema de espaços livres das cidades brasileiras. São Paulo: FAUUSP, 2018. p. 199-236.

ALBIERI, L.; GOMES, P. I. G.; GONÇALVES, Y. N.; LOPES, W. R. Estudo sobre a distribuição territorial dos espaços livres públicos em Palmas sob a ótica da renda. In: Encontro Nacional de Ensino de Paisagismo em Escolas de Arquitetura e Urbanismo no Brasil (ENEPEA), 14, 2018. Anais eletrônicos... Santa Maria, 2018. Disponível em: <https://enepea2018.wixsite.com/santamaria/anais>. Sessão Temática 2, p. 903-918. Acesso em: 23 set. 2019.

CALVINO, Í. Marcovaldo ou as estações na cidade. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.

COCOZZA, G. de P.; OLIVEIRA, L. A. de; SILVA, A. W. F. da. O uso e a apropriação dos espaços livres públicos de Palmas: a criação de um novo cotidiano no cerrado. In: TÂNGARI, V. R.; ANDRADE, R. de; SCHLEE, M. B. (Orgs.). Sistema de espaços livres: o cotidiano, apropriações e ausências. Rio de Janeiro: UFRJ/FAU, 2009, p. 140-149.

CAPEL, H. La Morfología de las Ciudades. Sociedad, cultura y paisaje urbano. Barcelona: Ediciones del Serbal, 2002.

GRUPOQUATRO (1989). Memorial do projeto da capital do estado do Tocantins: Palmas/Plano Básico. Goiânia (Mimeo)

HARVEY, D. Social Justice and the City. Baltimore: The Johns Hopkins University Press, 1973.

HARVEY, D. Spaces of Hope. Berkley: University of California Press, 2000.

HENRIQUE, W. O direito à natureza na cidade. Salvador: EDUFBA, 2009.

LEFEBVRE, H. O direito a cidade. São Paulo: Difel, 1969.

LOJKINE, J. O estado capitalista e a questão urbana. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

MARX, K. O capital. 6. ed. Rio de Janeiro. Civilização Brasileira, 1980, livro I, v. I e II.

OLIVEIRA, L. A.; MENEZES, W. S. A acentuação da segregação socioespacial em Palmas (Tocantins, Brasil), por meio do processo de verticalização. Oculum Ensaios: Revista de Arquitetura e Urbanismo, Campinas, v. 16, n. 1, p. 157-178, 2019.

PALMAS. Lei Complementar n° 155, de 28 de Dezembro de 2007. Dispõe sobre a política urbana do município de Palmas. Banco de leis da câmara municipal de Palmas-TO. Disponível em: < http://legislativo.palmas.to.gov.br/>. Acesso em: 08 nov. 2019.

PALMAS. Lei Complementar n° 400, de 2 de Abril de 2018. Plano Diretor Participativo do Município de Palmas-TO. Banco de leis da câmara municipal de Palmas-TO. Disponível em: < http://legislativo.palmas.to.gov.br/>. Acesso em: 08 nov. 2019.

PALMAS. Lei n° 2.018, de 31 de dezembro de 2013. Institui a Planta de Valores Genéricos, para o exercício de 2014 e adota outras providências. Diário Oficial do Município de Palmas, Palmas, 31 dez. 2013.

ROLNIK, R. Guerra dos lugares: a colonização da terra e da moradia na era das finanças. 1a. ed. São Paulo: Boitempo, 2015.

SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2000.

SEGAWA, H. Ao amor do público: jardins no Brasil. São Paulo: Studio Nobel, 1996.

VILLAÇA, F. Espaço intra-urbano no Brasil. 2.ed. São Paulo: Studio Nobel: FAPESP: Lincoln Institute, 2001.

Published

2023-09-26

How to Cite

de Oliveira, L. A., de Senna, B. A., Gomes, P. I. G., Saueressig, T. A., Tavares, D. P. da S., & Lopes, B. P. (2023). A valorização imobiliária por meio da apropriação da natureza: o caso dos edifícios verticais residenciais em Palmas-TO. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(9), 13304–13328. https://doi.org/10.55905/oelv21n9-153

Issue

Section

Articles