Casas de farinha no município de Macaíba/RN: perfil socioeconômico e agroindústria

Authors

  • Flávio Pereira da Mota Silveira
  • Igor Tenório Marinho da Rocha
  • Ingrid Justino Gomes
  • José Ricardo Dantas Marinho
  • Remy Farias de Souza
  • Anibia Vicente da Silva
  • Janete Gouveia de Souza
  • Roberto Gomes Alencar

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n9-106

Keywords:

mandioca, manihot esculenta, poluição ambiental, manipueira, agricultura familiar

Abstract

As casas de farinha são importantes equipamentos de agregação de valor na cadeia produtiva da mandioca. Caracterizadas, em grande parte, pelo baixo investimento tecnológico e pela sucessão familiar na administração das unidades, acarretando em baixa capacidade produtiva e ausência de capacitação dos administradores. O objetivo deste trabalho foi avaliar o perfil socioeconômico dos administradores e as características das casas de farinha no município de Macaíba/RN. Foi observado que os administrados das casas de farinha são do sexo masculino, predominantemente com mais de 40 anos, baixa escolaridade e que complementam a renda com atividades outras à produção de farinha. Em relação às agroindústrias foi observado que elas são, principalmente, de cunho familiar ou própria; possuem equipamentos elétricos, mas não são totalmente automatizadas; ocorre incorreta destinação dos resíduos, e grande parte da produção é vendida para atravessadores, o que ocasiona baixo retorno financeiro.

References

Araújo, N. C.; Guimarães, P. L. F.; Oliveira, S. J. C.; Lima, V. L. A.; Bandeira, F. D. A.; Araújo, F. D. A. C. (2014). Quantificação da geração de resíduos em uma casa de farinha no Estado da Paraíba. Revista Monografias Ambientais - REMOA [S.I.], 13(5), 3793-3799.

Ayache, G. E., Pedrinho, D. R., Reis Neto, J. F. (2021). Descrição das Condições Socioeconômicas e Processo de Produção da Farinha de Mandioca da Colônia do Pulador, Anastácio, MS. UNICIÊNCIAS, 25(2), 70-76.

Botelho, M. G. L., Almeida, R. H. C. (2020). Juventude rural e sucessão geracional em comunidade rural na Amazônia oriental. Contribuciones a las Ciencias Sociales, (74)1.

BRASIL. 2023. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Cooperativismo. 2023. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/assuntos/agricultura-familiar/cooperativismo. Acesso em: 16 mai. 2023.

BRASIL. 2011. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa nº 52, de 7 de novembro de 2011. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 8 nov. 2011. Seção 1. p. 18-20.

Costa, A. C. M., Lima, N. N., & Gasparin, E. (2019). Identificação e caracterização das unidades produtoras de farinha de mandioca na comunidade de Boa Esperança, Santarém, PA. Revista de Extensão da Integração Amazônica, 1(2), 63-66.

Cruz, J. F.; Azevedo, J. M. A.; Silva, E. C.; Souza, R. E.; Costa, C. B. (2021). Processamento artesanal da farinha de mandioca no vale do Juruá, Acre: um estudo de caso. Revista Conexão na Amazônia [S.I.], 2(2), 43-66.

Elias, N. C., Mendonça, V. C. M., Alves, R. J. F., Guterres, G. R., Del Bianchi, V. L. (2020). Caracterização do processo de produção da farinha de mandioca na Comunidade Quilombola Santa Rosa no município de Itapecuru-Mirim–Maranhão. Extensão Rural em Foco: Apoio à Agricultura Familiar, Empreendedorismo e Inovação-Volume 1, 1(1), 151-156.

Ferreira, L. R. (2015). A mandiocultura e a produção de farinha: um estudo sobre a farinha produzida em Vitória do Santo Antão - PE. Revista Brasileira de Gestão Ambiental e Sustentabilidade [S.I.], 2(3), 175-186.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/censo-agropecuario/censo-agropecuario 2017/resultados-definitivos#agroindustria-rural, consultado em 16 de março de 2023, às 18:00hs..

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/rn/macaiba.html>, consultado em 16 de março de 2022, às 16:00hs.

Jesus, G. V.; Pereira, G. M.; Assunção, J. P. A.; Santos, S. F. (2020). Avaliação dos impactos ambientais na produção de farinha de mandioca no município de Santa Luzia no Nordeste Paraense. Agroecossistemas [S.I.], 12(2), 24-33.

Kuhn, L. M., Lemos, L. S. L., Carvalho, J. V. R. S., Passos, B. M. C. B., Pires, L. C., Ribeiro, L. L. (2019). Caracterização do sistema de produção em casas de farinha no município de Alcobaça, extremo sul da Bahia, Agrotrópica, 31(3). DOI:10.21757/0103-3816.2019v31n3p225-230

Lima Júnior, S. F., Cruz, J. F., Mota, L. H. S. O., Souza, C. B. C. (2017). Perfil das casas de farinha do Projeto de Assentamento Narciso Assunção no município de Cruzeiro do Sul, Acre. Revista Sítio Novo, 1(1).

Oliveira, R. L.; Santos, J. S.; Zuliani, D. Q. (2019). Casas de farinha: resistência e tradição no maciço do Baturité. Revista Geonordeste [S.I.], 30(2), 59-73.

Rodrigues, G. G., Martins, A. F., Brito, J. S., Mendes, A. J. A., Souza Filho, R. P., Gomes, V. O., Costa, B. K. B., Guimarães, P. S., Lima, U. O., Chamy, M. N. C. L. (2020). AÇÃO INSETICIDA DA MANIPUEIRA SOBRE O GORGULHO DO MILHO (Sitophiluis zeamais). Revista Ensino, Saúde e Biotecnologia da Amazônia, 2(esp.), 5-5.

Santos, M. A. S.; Santana, A. C. (2012). Caractecrização socioeconômica da produção e comercialização de farinha de mandioca no município de Portel, Arquipélago do Marajó, Estado do Pará. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável [S.I.], 7(5), 73-86.

Santos, A. Y. O., Silva Júnior, D. N., Freire, M. M., Emerenciano Neto, J. V., Morais, E. G., Silva, G. G. C. (2020). Desenvolvimento radicular da rúcula a doses crescentes de carvão vegetal e manipueira. Brazilian Journal of Animal and Environmental Research, 3(3), 1085-1095.

Santos, R. S., Braga, A. C. C., Figueiredo, E. L., Silva, N. D. S., & Braga, L. A. C. (2021). Diagnóstico higiênico-sanitário e medidas corretivas no processamento da farinha de mandioca. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, 16(3), 307-315.

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO RIO GRANDE DO NORTE (SEBRAE-RN). Mandioca no Rio Grande do Norte: raiz do desenvolvimento. Natal: SEBRAE-RN, 120p. 2006.

Silva, M. E. P., Santos, R. P., Souza, E. P., Ferreira, L. E., Silva, A. C. B., Souza, D. S., Mendes, E. K.A, Batista, I. V., Gomes, L. S., Freitas, V. M. (2022). Potencialidade dos resíduos oriundos do processamento e cultivo da mandioca. Ciências Agrárias: O Avanço da Ciência No Brasil-Volume 5, 5(1), 356-370.

Souza, F. V. A., Ribeiro, S. D. C. A., Silva, F. L., & Teodosio, A. M. (2019). Resíduos da mandioca em agroindústrias familiares no nordeste do Pará. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, 14(1), 92-98.

Xavier, A. R.; Lima, L. A.; Andrade, F. A. (2020). Saberes tradicionais do cultivo de mandioca (Manihot esculenta) e a produção de farinha: estudo em Beberibe, Ceará. Revista Cocar [S.I.], 14(28), 781-801.

Published

2023-09-23

How to Cite

Silveira, F. P. da M., da Rocha, I. T. M., Gomes, I. J., Marinho, J. R. D., de Souza, R. F., da Silva, A. V., de Souza, J. G., & Alencar, R. G. (2023). Casas de farinha no município de Macaíba/RN: perfil socioeconômico e agroindústria. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(9), 12461–12483. https://doi.org/10.55905/oelv21n9-106

Issue

Section

Articles