A percepção das comunidades tradicionais sobre a implantação das unidades de conservação em seu território de vivência

Authors

  • Patrícia Denkewicz
  • Carlos Alberto Marçal Gonzaga
  • Elieti Fatima de Goveia
  • Tiago Grespan

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n9-105

Keywords:

unidade de conservação, turismo, comunidades tradicionais, ilha do mel

Abstract

As áreas naturais protegidas são consideradas como uma importante estratégia para a conservação da biodiversidade. No entanto, o processo de instituição destas áreas, em alguns casos, gerou diversos conflitos socioambientais, por não considerar a existência ou as diferentes formas de viver de comunidades locais ou tradicionais. A partir desta questão inicial este artigo apresenta como objetivo entender a percepção das comunidades tradicionais com relação à implantação das Unidades de Conservação em seu território de vivência e entender como o turismo influencia essa percepção. Para isso, empregou-se uma abordagem qualitativa, auxiliada pelos instrumentos de pesquisa participante, entrevistas individuais e coletivas, observações e pesquisas bibliográficas e documentais. O local de estudo foi a Ilha do Mel/PR, a qual possui duas UCs, sendo uma Estação Ecológica e um Parque Estadual, por esta razão está sujeita a uma legislação e plano de manejo ambiental restritivos. Seus habitantes formam comunidades tradicionais caiçaras. Como resultado, observou-se que há distintas percepções da realidade vivida entre as comunidades locais. Essas percepções diferem quanto à visão da proteção ambiental e do interesse econômico relacionado ao turismo.

References

BRASIL, Lei nº 9985 de 18 de julho de 2000. Sistema Nacional de Unidades de Con-servação. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9985.htm. Aces-so em: 02/07/2019.

DIAS, Reinaldo. Turismo Sustentável e Meio Ambiente. São Paulo: Atlas, 2003.

FIGUEIREDO, S. L. Ecoturismo, festas e rituais na Amazônia. Belém: NAEA/UFPA, 1999.

GERHARDT, Tatiane; SILVEIRA, Denise. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: UFRGS, 2009.

GONZAGA, C. A. M.; DENKEWICZ, P.; PRADO, K. C. P. Unidades de Conserva-ção, ecoturismo e conflitos socioambientais na Ilha do Mel, PR, Brasil. Revista AD-MPG, v.7, p.61 – 67, 2014.

HARDER, Eduardo. A constitucionalização dos direitos culturais no brasil e os sen-tidos de uma perspectiva patrimonial. 2014. 120 f. Tese (Doutorado em Direito), Uni-versidade Federal do Paraná, Curitiba, 2014.

IAP, INSTITUTO AMBIENTAL DO PARANÁ. Plano de manejo: Estação Ecológica da Ilha do Mel, PR. Curitiba. 1996.

______.Plano de Manejo: Parque Estadual da Ilha do Mel. STCP, Engenharia de Projetos Ltda, (2011).Disponível em: http://www.iap.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=1370. Acesso: 20/07/2019.

______. Unidades de Conservação. 2017. Disponível em: <http://www.iap.pr.gov.br/paginas-80.html>. Acesso em: 15/07/2019.

IRVING, Marta. A. O Ecoturismo no Brasil: Retrospectiva e Tendências, in Boletim de Turismo e Administração [Publicação do] Centro Universitário Ibero Americano, Vol 10, n.º 2 (outubro 2001) - São Paulo: UNIBERO, 2001

IRVING, M.; MATOS, K. Gestão de parques nacionais no Brasil: projetando desafios para a implementação do Plano Nacional Estratégico de Áreas Protegidas. Floresta e Ambiente: Seropédica – RJ, V.13, n.2, p. 89 - 96, 2006.

IRVING, M.; RODRIGUES, C. G. de O.; RABINOVICI, A. COSTA, H. A. Turis-mo, Áreas Protegidas e Inclusão Social: diálogos entre saberes e fazeres. 1 Ed. – Rio de Janeiro: Folio Digital: Letra e Imagem, 2015.

LOUREIRO, C. F. B.; CUNHA, C. C. Educação ambiental e gestão participativa de unidades de conservação: elementos para se pensar a sustentabilidade democrática. Am-biente & Sociedade, Campinas, v. 11, n. 2, p. 237- 253, jul-dez 2008.

PARANÁ, Secretaria de Estado da Cultura. Livro tombo histórico. Curitiba, Coorde-nadoria de Patrimônio Cultural, Paraná, Brasil, 1995. Disponível em: <http://www.patrimoniocultural.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=59>. Acesso em 21/07/2019.

Decreto Estadual nº. 5.506, de 21 de março de 2002. Cria o Parque Estadual da Ilha do Mel, localizado no município de Paranaguá. Diário Oficial do Estado do Paraná, nº. 6195. Curitiba, 22/03/2002. Disponível em: http://celepar7.pr.gov.br/sia/Atos-Normativos/form_cons_ato1.asp?codigo=1049&Imprime=1. Acesso em: 17/07/2019.

PIERRI, N.; ANGULO, R. J.; SOUZA, M. C. de; KIM, M. K. A ocupação e o uso do solo no litoral paranaense: condicionantes, conflitos e tendências. Desenvolvimento e Meio Ambiente, n. 13, p. 137-167, jan./jun. 2006. Editora UFPR.

TEIXEIRA, C. A proteção ambiental em Guaraqueçaba: uma construção social. Curitiba, 2004. 302 p. Tese (Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento) – Uni-versidade Federal do Paraná.

Published

2023-09-23

How to Cite

Denkewicz, P., Gonzaga, C. A. M., de Goveia, E. F., & Grespan, T. (2023). A percepção das comunidades tradicionais sobre a implantação das unidades de conservação em seu território de vivência. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(9), 12445–12460. https://doi.org/10.55905/oelv21n9-105

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)