Contaminated areas: lixividing of solid waste from the pharmaceutical industry

Authors

  • Emanoelen Bitencourt e Bitencourt
  • Thaís Binow Dias
  • Marcos Vinicius Afonso Cabral
  • Ruy Adryan da Silva Costa
  • Liandra Caroline do Rosário Soares
  • Arlley Cardoso Rodrigues
  • Antônio Pereira Junior
  • Gundisalvo Piratoba Morales

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n9-090

Keywords:

environmental legislation, waste management, adverse effects by drugs

Abstract

Contaminated areas derive from polluting activities, and are closely related to the proper disposal of waste from these activities, such as the pharmaceutical industry, which has dangerous and influential remnants throughout the biota, including humans. This work aimed to explain about the Brazilian legal norms of environmental protection and destination of medicines, and about the problems caused by exposure and contamination by drugs, particularly antibiotics and endocrine regulators. The problem of waste has led to the creation of several laws, at the federal and state levels, with a view to reducing contamination and protection of environmental assets, in which some of them deal with criminal and administrative sanctions for those who cause damage to the environment, criminalization of pollution, care for areas that have been contaminated at some point, determination of environmental standards and proper disposal of medicines. Even so, the improper disposal of drugs is a fact in Brazil, resulting in contamination of water and soil by leachate, and consequently, waterborne diseases, allergies, photosensitivity, cancer, infertility and cardiovascular diseases in humans, and adverse effects on crustaceans, mollusks, fish, turtles, amphibians and algae. The identification of these contaminants can be done by liquid chromatography and spectrophotometry, and the treatment by microorganisms, advanced oxidation and those used in Treatment Plants, however, conventional treatments may not be sufficient for removal. It is concluded that, despite the existence of these techniques, the most advanced procedures are not applied at the Treatment Plants, and the removal of drug residues is inefficient. In addition, there is a lack of inspection regarding the management of waste in the sector, even with different laws, which corroborates the contamination problem.

References

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. ABNT NBR 15515-1. Passivo ambiental em solo e água subterrânea. Parte 1: Avaliação Preliminar. Rio de Janeiro: ABNT, 2007.

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. ABNT NBR 15515-2. Passivo ambiental em solo e água subterrânea. Parte 2: Investigação Confirmatória. Rio de Janeiro: ABNT, 2011.

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. ABNT NBR 10004. Resíduos sólidos – Classificação. Rio de Janeiro: ABNT, 2004.

ADAMS, C.; WANG, Y.; LOFTIN, K.; MEYER, M. Removal of Antibiotics from surface and distilled water in conventional water treatment processes. Journal of Environmental Engineering, v. 128, n. 3, p. 253-260, 2002. DOI 10.1061/(ASCE)0733-9372(2002)128:3(253).

ALHO, C. J. R. Importância da biodiversidade para a saúde humana: uma perspectiva ecológica. Estudos Avançados, v. 26, n. 74, p. 151-165, 2012. DOI 10.1590/S0103-40142012000100011.

AMÉRICO, J. H. P.; MESSIAS, T. G.; TORRES, N. H.; AMÉRICO, G. H. P. Desreguladores endócrinos no ambiente e seus efeitos na biota e saúde humana. Pesticidas: revista de ecotoxicologia e meio ambiente, v. 22, p. 17-34, 2012. DOI http://dx.doi.org/10.5380/pes.v22i1.30795.

AMÉRICO, J. H. P.; TORRES, N. H.; AMÉRICO, G. H. P.; CARVALHO, S. L. Ocorrência, destino e potenciais impactos dos fármacos no ambiente. SaBios: Revista de Saúde e Biologia, v. 8, n. 2, p. 59-72, 2013. Disponível em: http://revista2.grupointegrado.br/revista/index.php/sabios2/article/view/1298. Acesso em: 4 dez. 2020.

ANA – Agência Nacional das Águas. Conservação, uso racional e sustentável da água: drenagem e controle de salinidade na irrigação. 2016. Disponível em: https://capacitacao.ead.unesp.br/conhecerh/bitstream/ana/273/1/Drenagem_e_controle_de_salinidade.pdf. Acesso em: 4 dez. 2020.

ANJOS, M. L. Avaliação do processo de remoção de fármacos e parabenos de esgoto doméstico em sistema de tratamento baseado em lagoas de lemnas. 2017. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Ilha Solteira, 2017.

ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada – RDC n.º 17, de 16 de abril de 2010. Dispõe sobre as Boas Práticas de Fabricação de Medicamentos. Brasília: DOU de 16/4/2010.

ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada – RDC n.º 306, de 7 de dezembro de 2004. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Brasília: DOU de 10/12/2004.

ANVISA – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução de Diretoria Colegiada – RDC n.º 44, de 17 de agosto de 2009. Dispõe sobre Boas Práticas Farmacêuticas para o controle sanitário do funcionamento, da dispensação e da comercialização de produtos e da prestação de serviços farmacêuticos em farmácias e drogarias e dá outras providências. Brasília: DOU de 18/8/2009.

BARRERO, L. Q. R. Eficiência de solo vegetado com bambu barriga de Buda (Bambusa tuldides cv. ventricosa), família POACEAE, na remoção do hormônio 17α-etinilestradiol de um efluente sanitário. 2017. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental e Sanitária) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017.

BELISÁRIO, M.; BORGES, P. S.; GALAZZI, R. M.; PIERO, P. B. D; ZORZAL, P. B.; RIBEIRO, A. V. F. N.; RIBEIRO, J. N. O emprego de resíduos naturais no tratamento de efluentes contaminados com fármacos poluentes. Inter Science Place, v. 2, n. 10, p. 1-13, 2009. Disponível em: http://www.interscienceplace.org/isp/index.php/isp/article/view/99. Acesso em: 4 dez. 2020.

BELO, A. F.; FERREIRA, L. R.; FERREIRA, E. A.; AGUIAR, L. M.; SANTOS, J. B.; CECON, P. R. Atividade fotossintética de plantas cultivadas em solo contaminado com sulfentrazone. Revista Brasileira de Herbicidas, v. 15, n. 2, p. 165-174, 2016. DOI 10.7824/rbh. v15i2.456.

BILA, D. M.; DEZOTTI, M. Desreguladores endócrinos no meio ambiente: efeitos e consequências. Química Nova, v. 30, n. 3, p. 651-666, 2007. DOI 10.1590/S0100-40422007000300027.

BILA, D. M.; DEZOTTI, M. Fármacos no meio ambiente. Química Nova, v. 26, n. 4, p. 523-530, 2003. DOI 10.1590/S0100-40422003000400015.

BORRELY, S. I.; CAMINADA, S. M. L.; PONEZI, A. N.; SANTOS, D. R.; SILVA, V. H. O. Contaminação das águas por resíduos de medicamentos: ênfase ao cloridrato de fluoxetina. O Mundo da Saúde, v. 36, n. 4, p. 556-563, 2012. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/mundo_saude/contaminacao_aguas_residuos_medicamentos_enfase.pdf. Acesso em: 4 dez. 2020.

BOXALL, A. B. A.; JOHNSON, P.; SMITH, E. J.; SINCLAIR, C. J.; STUTT, E.; LEVY, L. S. Uptake of veterinary medicines from soils into plants. Journal of Agricultural and Food Chemistry, v. 54, n. 6, p. 2288-2297, 2006. DOI 10.1021/jf053041t.

BRAIN, R. A.; HANSON, M. L.; SOLOMON, K. R.; BROOKS, B. W. Aquatic plants exposed to pharmaceuticals: effects and risks. Reviews of Environmental Contamination and Toxicology, v. 192, p. 67-115, 2008. DOI 10.1007/978-0-387-71724-1_3.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: texto constitucional promulgado em 5 de outubro de 1988, com as alterações determinadas pelas Emendas Constitucionais de Revisão nos 1 a 6/94, pelas Emendas Constitucionais nos 1/92 a 91/2016 e pelo Decreto Legislativo no 186/2008. Brasília: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2016.

BRASIL. Decreto n.° 6.514, de 22 de julho de 2008. Dispõe sobre as infrações e sanções administrativas ao meio ambiente, estabelece o processo administrativo federal para apuração destas infrações, e dá outras providências. Disponível em: https:// www.planalto.gov.br. Acesso em: 4 dez. 2020.

BRASIL. Lei n.° 6.766, de 19 de dezembro de 1979. Dispõe sobre o Parcelamento do Solo Urbano e dá outras Providências. Disponível em: https:// www.planalto.gov.br. Acesso em: 4 dez. 2020.

BRASIL. Lei n.° 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Disponível em: https:// www.planalto.gov.br. Acesso em: 4 dez. 2020.

BRASIL. Lei n.º 7.347, de 24 de julho de 1985. Disciplina a ação civil pública de responsabilidade por danos causados ao meio-ambiente, ao consumidor, a bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico e dá outras providências. Disponível em: https:// www.planalto.gov.br. Acesso em: 4 dez. 2020.

BRASIL. Lei n.º 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências. Disponível em: https:// www.planalto.gov.br. Acesso em: 4 dez. 2020.

BRASIL. Lei n.º 10.257, de 10 de julho de 2001. Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. Disponível em: https:// www.planalto.gov.br. Acesso em: 4 dez. 2020.

BRASIL. Lei n.º 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil. Disponível em: https:// www.planalto.gov.br. Acesso em: 4 dez. 2020.

BRASIL. Lei n.º 12.305, de 02 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei n° 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Disponível em: https:// www.planalto.gov.br. Acesso em: 4 dez. 2020.

BRITO, C. R. F.; MELO, I. P.; CAPELO NETO, J. Tratabilidade química e biológica de efluente farmacêutico contendo ciprofloxacino. Revista de Estudos Ambientais, v. 14, n. 3, p. 6-16, 2012. DOI 10.7867/1983-1501.2012v14n3p6-16.

CARBALLEIRA, C.; ORTE, M. R.; VIANA, I. G.; DELVALLS, T. A.; CARBALLEIRA, A. Assessing the toxicity of chemical compounds associated with land-based marine fish farms: the sea urchin embryo bioassay with Paracentrotus lividus and Arbacia lixula. Archives of Environmental Contamination and Toxicology, v. 63, n. 2, p. 249-261, 2012. DOI 10.1007/s00244-012-9769-0.

CARVALHO, J. C. B.; ORSINE, J. V. C. Contaminação do meio ambiente por fontes diversas e os agravos à saúde da população. Enciclopédia Biosfera, v. 7, n. 13, p. 1107-1118, 2011. Disponível em: https://docplayer.com.br/325398-Contaminacao-do-meio-ambiente-por-fontes-diversas-e-os-agravos-a-saude-da-populacao.html. Acesso em: 4 dez. 2020.

DINH, Q. T.; ALLIOT, F.; MOREAU-GUIGON, E.; EURIN, J.; CHEVREUIL, M.; LABADIE, P. Measurement of trace levels of antibiotics in river water using on-line enrichment and triplequadrupole LC–MS/MS. Talanta, v. 85, n. 3, p. 1238-1245, 2011. DOI 10.1016/j.talanta.2011.05.013.

CONAMA – Conselho Nacional Do Meio Ambiente. Resolução n.º 358, de 29 de abril de 2005. Dispõe sobre o tratamento e a disposição final dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências. Brasília: DOU de 4/5/2005.

CONAMA – Conselho Nacional Do Meio Ambiente. Resolução n.º 420, de 28 de dezembro de 2009. Dispõe sobre critérios e valores orientadores de qualidade do solo quanto à presença de substâncias químicas e estabelece diretrizes para o gerenciamento ambiental de áreas contaminadas por essas substâncias em decorrência de atividades antrópicas. Brasília: DOU de 30/12/2009.

CRANE, M.; WATTS, C.; BOUCARD, T. Chronic aquatic environmental risks from exposure to human pharmaceuticals. Science of the Total Environment, v. 367, n. 1, p. 23-41, 2006. DOI 10.1016/j.scitotenv.2006.04.010.

CUNHA, D. L.; PAULA, L. M.; SILVA, S. M. C.; BILA, D. M.; FONSECA, E. M.; OLIVEIRA, J. L. M. Ocorrência e remoção de estrogênios por processos de tratamento biológico de esgoto. Ambiente & Água, v. 12, n. 2, 2017. DOI 10.4136/ambi-água.1992.

ELY, C.; KEMPKA, A. P.; SKORONSKI, E. Aplicação de peroxidases no tratamento de efluentes. Revista Virtual de Química, v. 8, n. 5, p. 1537-1549, 2016. DOI 10.21577/1984-6835.20160108.

ESPÍRITO SANTO. Lei n.º 6.407, de 10 de novembro de 2000. Estabelece obrigatoriedade da adoção de plano de gerenciamento de resíduos de serviços de saúde nos casos que menciona. Vitória: DOEES de 10/11/2000.

FALQUETO, E.; KLIGERMAN, D. C. Análise normativa para descarte de resíduos de medicamentos – Estudos de caso da região sudeste do Brasil. Revista de Direito Sanitário, v. 13, n. 2, p. 10-23, 2012. DOI 10.11606/issn.2316-9044.v13i2p10-23.

FEITOSA, A. V.; AQUINO, M. D. Descarte de medicamentos e problemas ambientais: o panorama de uma comunidade no município de Fortaleza/CE. Ciência e Natura, v. 38, n. 3, p. 1590-1600, 2016. DOI 10.5902/2179460X22249.

FERREIRA, M. G. Desenvolvimento inicial de espécies arbóreas em solo contaminado com auxinas sintéticas. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciência Florestal) – Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, Diamantina, 2017.

FILIPPE, T. C. Cafeína, fármacos, hormônios e produtos de cuidados pessoais no Rio Palmital – PR. 2018. Dissertação (Mestrado em Ciência Ambiental) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Curitiba, 2018.

FREITAS, V. S. Remoção do hormônio 17α-etinilestradiol por adsorção com carvão ativado e fotocatálise heterogênea. 2014. Dissertação (Mestrado em Engenharia Sanitária e Ambiental) – Universidade Estadual de Ponta Grossa, Ponta Grossa, 2014.

GHISELLI, G.; JARDIM, W. F. Interferentes endócrinos no ambiente. Química Nova, v. 30, n. 3, p. 695-706, 2007. DOI 10.1590/S0100-40422007000300032.

,

GÖBEL, A.; MCARDELL, C. S.; JOSS, A.; SIEGRIST, H.; GIGER, W. Fate of sulfonamides, macrolides, and trimethoprim in different wastewater treatment technologies. Science of the Total Environmental, v. 372, n. 2-3, p. 361-371, 2007. DOI 10.1016/j.scitotenv.2006.07.039.

GUIMARÃES, D. O.; MOMESSO, L. S.; PUPO, M. T. Antibióticos: importância terapêutica e perspectivas para a descoberta e desenvolvimento de novos agentes. Química Nova, v. 3, p. 667-679, 2010. DOI 10.1590/S0100-40422010000300035.

GÜNTHER, W. M. R. Áreas contaminadas no contexto da gestão urbana. São Paulo em Perspectiva, v. 20, n. 2, p. 105-117, 2006. Disponível em: https://docero.com.br/doc/n51vxx5. Acesso em: 15 out. 2023.

HASSANI, L.; IMZILN, B.; BOUSSAID, A.; GAUTHIER, M. J. Seasonal incidence of and antibiotic resistance among aeromonas species isolated from domestic wastewater before and after treatment in stabilization ponds. Microbial Ecology, v. 23, n. 3, p. 227-237, 1992. DOI 10.1007/BF00164098.

HIROSE, J.; KONDO, F.; NAKANO, T.; KOBAYASHI, T.; HIRO, N.; ANDO, Y.; TAKENAKA, H.; SANO K. Inactivation of antineoplastics in clinical wastewater by electrolysis. Chemosphere, v. 60, n. 8, p. 1018-1024, 2005. DOI 10.1016/j.chemosphere.2005.01.024.

HIRSCH, R.; TERNES, T.; HABERER, K.; KRATZ, K.-L. Occurrence of antibiotics in the aquatic environment. Science of the Total Environment, v. 225, n. 1-2, p. 109-118, 1999. DOI 10.1016/S0048-9697(98)00337-4.

HOMEM, V. M. F. C. Tecnologias alternativas de remoção de antibióticos de águas contaminadas. 2011. Dissertação (Doutorado em Engenharia do Ambiente) – Universidade do Porto, Porto, 2011.

HORTELLANI, M. A.; SARKIS, J. E. S.; ABESSA, D. M. S.; SOUSA, E. C. P. M. Avaliação da contaminação por elementos metálicos dos sedimentos do Estuário Santos – São Vicente. Química Nova, v. 31, n. 1, p. 10-19, 2008. DOI 10.1590/S0100-40422008000100003.

KASPRZYK-HORDERN, B.; DINSDALE, R. M.; GUWY, A. J. Multi-residue method for the determination of basic/neutral pharmaceuticals and illicit drugs in surface water by solid-phase extraction and ultra-performance liquid chromatography–positive electrospray ionisation tandem mass spectrometry. Journal of Chromatography A, v. 1161, n. 1-2, p. 132-145, 2007. DOI 10.1016/j.chroma.2007.05.074.

KEMPER, N. Veterinary antibiotics in the aquatic and terrestrial environment. Ecological Indicators, v. 8, n. 1, p. 1-13, 2008. DOI 10.1016/j.ecolind.2007.06.002.

KOŠUTIĆ, K.; DOLAR, D.; AŠPERGER, D.; KUNST, C. Removal of antibiotics from model wastewater by RO/NF membrane. Separation and Purification Technology, v. 53, n. 3, p. 244-249, 2007. DOI 10.1016/j.seppur.2006.07.015.

KÜMMERER, K. Antibiotics in the aquatic environment – A review – Part I. Chemosphere, v. 75, n. 4, p. 417-434, 2009. DOI 10.1016/j.chemosphere.2008.11.086.

LACERDA, M. F. A. R. Degradação de hormônio sintético por meio de lacases fúngicas imobilizadas em fibras de Luffa cylindrica. 2015. Dissertação (Mestrado em Engenharia do Meio Ambiente) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2015.

LANZKY, P. F.; HALLING-SØRENSEN, B. The toxic effect of the antibiotic metronidazole on aquatic organisms. Chemosphere, v. 35, n. 11, p. 2553-2561, 1997. DOI 10.1016/S0045-6535(97)00324-X.

LIMA, D. R. S.; TONUCCI, M. C.; LIBÂNIO, M.; AQUINO, S. F. Fármacos e desreguladores endócrinos em águas brasileiras: ocorrência e técnicas de remoção. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 22, n. 6, p. 1043-1054, 2017. DOI 10.1590/s1413-41522017165207.

LLORET, L.; EIBES, G.; LÚ-CHAU, T. A.; MOREIRA, M. T.; FEIJOO, G.; LEMA, J. M. Laccase-catalyzed degradation of anti-inflammatories and estrogens. Biochemical Engineering Journal, v. 51, n. 3, p. 124-131, 2010. DOI 10.1016/j.bej.2010.06.005.

LOPES, D. B. A ONU tem autoridade? Um exercício de contabilidade política (1945-2006). Revista Brasileira de Política Internacional, v. 50, n. 1, p. 47-65, 2007. DOI 10.1590/S0034-73292007000100003.

LOPES, L. C.; TOLEDO, M. I. Princípios básicos de farmacologia clínica relevantes ao estudo da farmacoepidemiologia. In: CASTRO, L. L. C. (org.). Fundamentos de farmacoepidemiologia. Campo Grande: GRUPURAM, 2001. p. 19-36.

LOPES, L. G.; MARCHI, M. R. R.; SOUZA, J. B. G.; MOURA, J. A. Hormônios estrogênicos no ambiente e eficiência das tecnologias de tratamento para remoção em água e esgoto. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v. 13, n. 4, p. 123-131, 2008. DOI 10.21168/rbrh. v13n4.p123-131.

LÜTZHØFT, H.-C. H.; HALLING-SØRENSEN, B.; JØRGENSEN, S. E. Algal toxicity of antibacterial agentes applied in Danish fish farming. Archives of Environmental Contamination and Toxicology, v. 36, n. 1, p. 1-6, 1999. DOI 10.1007/s002449900435.

MARTINS, F. L. Remoção de 17α-etinilestradiol por meio de fotocatálise em reator de leito fluidizado. 2017. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental e Sanitária) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2017.

MELO, D. O.; RIBEIRO, E.; STORPIRTIS, S. A importância e a história dos estudos de utilização de medicamentos. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas, v. 42, n. 4, p. 475-485, 2006. DOI 10.1590/S1516-93322006000400002.

MIGLIORE, L.; CIVITAREALE, C.; BRAMBILLA, G.; DELUPIS, G. D. D. Toxicity of several important agricultural antibiotics to Artemia. Water Research, v. 31, n. 7, p. 1801-1806, 1997. DOI 10.1016/S0043-1354(96)00412-5.

MIOTTO, P. P. S.; ESKELSEN, M. W.; FRITZEN, M.; DUTRA, R. L. Medicamentos vencidos descartados no meio ambiente. Revista Eletrônica Estácio Saúde, v. 4, n. 2, p. 41-51, 2015. Disponível em: http://periodicos.estacio.br/index.php/saudesantacatarina/article/view/1752. Acesso em: 18 out. 2023.

MONTAGNER, C. C., VIDAL, C., ACAYABA, R. D. Contaminantes emergentes em matrizes aquáticas do Brasil: cenário atual e aspectos analíticos, ecotoxicológicos e regulatórios. Química Nova, v. 40, n. 9, p. 1094-1110, 2017. DOI 10.21577/0100-4042.20170091.

MORAES, N. V.; GRANDO, M. D.; VALERIO, D. A. R.; OLIVEIRA, D. P. Exposição ambiental a desreguladores endócrinos: alteração na homeostase dos hormônios esteroidais e tireoideanos. Revista Brasileira de Toxicologia, v. 21, n. 1, p. 1-8, 2008. Disponível em: http://iah.iec.pa.gov.br/iah/fulltext/lilacs/revbrastoxicol/2008v21n1/revbrastoxicol2008v21n1p1-8.pdf. Acesso em: 19 out. 2023.

OLIVEIRA, C. M. R. C. M.; CARDOSO, K. M.; SOUZA, M. M.; SANTOS, J. S.; SANTOS, M. L. P. Validação de um método prático para determinação de níveis de amoxicilina em águas naturais por CLAE-UV e sua aplicação na qualidade ambiental. Revista do Instituto Adolfo Lutz, v. 74, n. 4, p. 361-70, 2015. Disponível em: http://www.ial.sp.gov.br/ial/revista/rev-inst-adolfo-lutz.2015744. Acesso em: 19 out. 2023.

PEDROSO, R. C. R.; PERALBA, M. C. R.; SANTOS, J. H. Z.; PIZZOLATO, T. M., FRÖEHLICH, P. E. Development of analytical methods for HPLC-UV to the antimicrobians tetracycline, sulfa-methoxazole and trimethoprim using zirconocene-based silica as pre-concentration/extraction systems. Química Nova, v. 34, n. 2, p. 206-212, 2011. DOI 10.1590/S0100-40422011000200007.

PEREIRA, L. A.; JARDIM, I. C. S. F.; FOSTIER, A. H.; RATH, S. Ocorrência, comportamento e impactos ambientais provocados pela presença de antimicrobianos veterinários em solos. Química Nova, v. 35, n. 1, p. 159-169, 2012. DOI 10.1590/S0100-40422012000100028.

PETROVIĆ, M.; HERNANDO, M. D.; DÍAZ-CRUZ, M. S.; BARCELÓ, D. Liquid chromatography–tandem mass spectrometry for the analysis of pharmaceutical residues in environmental samples: a review. Journal of Chromatography A, v. 1067, n. 1-2, p. 1-14, 2005. DOI 10.1016/j.chroma.2004.10.110.

PINTO, G. M. F.; SILVA, K. R.; PEREIRA, R. F. A. B.; SAMPAIO, S. I. Estudo do descarte residencial de medicamentos vencidos na região de Paulínia (SP), Brasil. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 19, n. 3, p. 219-224, 2014. DOI 10.1590/S1413-41522014019000000472.

QUEROL, M. V. M.; PESSANO, E. F. C.; MACHADO, M. M.; OLIVEIRA, L. F. S. (org.). Rio Uruguaia: contribuições científicas. Uruguaiana: UNIPAMPA, 1. ed., 2018.

RAMOS, H. M. P.; CRUVINEL, V. R. N.; MEINERS, M. M. M. A.; QUEIROZ, C. A.; GALATO, D. Descarte de medicamentos: uma reflexão sobre os possíveis riscos sanitários e ambientais. Ambiente & Sociedade, v. 20, n. 4, p. 149-174, 2017. DOI 10.1590/1809-4422asoc0295r1v2042017.

REINTHALER, F. F.; POSCH, J.; FEIERL, G.; WÜST, G.; HAAS, D.; RUCKENBAUER, G.; MASCHER, F.; MARTH, E. Antibiotic resistance of E. coli in sewage and sludge. Water Research, v. 37, n. 8, p. 1685-1690, 2003. DOI 10.1016/S0043-1354(02)00569-9.

SÃO PAULO. Lei n.º 12.255, de 9 de fevereiro de 2006. Obriga as farmácias estabelecidas no Estado de São Paulo a venderem comprimidos por unidade. São Paulo: DOESP de 9/2/2006.

SARMAH, A. K.; MEYER, M. T.; BOXALL, A. B. A. A global perspective on the use, sales, exposure pathways, ocurrence, fate and effects of veterinary antibiotics (Vas) in the environment. Chemosphere, v. 65, n. 5, p. 725-759, 2006. DOI 10.1016/j.chemosphere.2006.03.026.

SCANDELAI, A. P. J.; MARTINS, D. C. C.; MORO, F. B.; LINHARES, M. G.; CARDOZO FILHO, L.; TAVARES, C. R. G. Toxicidade aguda à Lactuca sativa de lixiviado tratado por ozonização e oxidação supercrítica. Brazilian Journal of Development, v. 5, n. 4, p. 3191-3197, 2019. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/1457/1374. Acesso em: 4 dez. 2020.

SILVA, C. G. A.; COLLINS. C. H. Aplicação de cromatografia líquida de alta eficiência para o estudo de poluentes orgânicos emergentes. Química Nova, v. 34, n. 4, p. 665-676, 2011. DOI 10.1590/S0100-40422011000400020.

SISINNO, C. L. S. Disposição em aterros controlados de resíduos sólidos industriais não-inertes: avaliação dos componentes tóxicos e implicações para o ambiente e para a saúde humana. Cadernos de Saúde Pública, v. 19, n. 2, p. 369-374, 2003. DOI 10.1590/S0102-311X2003000200003.

SPÍNOLA, A. L. S. Inserção das áreas contaminadas na gestão municipal: desafios e tendências. 2011. Tese (Doutorado em Saúde Pública) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

SPOHR, D. L.; CIRIO, E.; PIZZOLATO, T. M.; RUSCHEL, C. K. Utilização de microrganismos na degradação de hormônios estrógenos. Revista Liberato, v. 15, n. 24, p. 105-212, 2014. DOI 10.31514/rliberato. 2014v15n24.p155.

TAVARES, W. Bactérias gram-positivas problemas: resistência do estafilococo, do enterococo e do pneumococo aos antimicrobianos. Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, v. 33, n. 3, p. 281-301, 2000. DOI 10.1590/S0037-86822000000300008.

TEIXEIRA, C. P. A. B.; JARDIM, W. F. Caderno Temático Volume 3 – Processos Oxidativos Avançados. Campinas: UNICAMP, 2004. Disponível em: http://lqa.iqm.unicamp.br/cadernos/caderno3.pdf. Acesso em: 4 dez. 2020.

UEDA, J.; TAVERNARO, R.; MAROSTEGA, V.; PAVAN, W. Impacto ambiental do descarte de fármacos e estudo da conscientização da população a respeito do problema. Revista Ciências do Ambiente On-Line, v. 5, n. 1, p. 1-6, 2009. Disponível em: http://sistemas.ib.unicamp.br/be310/nova/index.php/be310/article/view/176/129. Acesso em: 4 dez. 2020.

USEPA – United States Environmental Protection Agency. Special report on environmental endocrine disruption: na effects assessment and analysis (EPA/630/R-96/012). 1997. 120 p.

VASCONCELLOS-SILVA, P. R.; CASTIEL, L. D.; BAGRICHEVSKY, M.; GRIEP, R. H. As novas tecnologias da informação e o consumismo em saúde. Cadernos de Saúde Pública, v. 26, n. 8, p. 1473-1482, 2010. DOI 10.1590/S0102-311X2010000800002.

VILELA, C. L. S.; BASSIN, J. P.; PEIXOTO, R. S. Water contamination by endocrine disruptors: impacts, microbiological aspects and trends for enveronimental protection. Enveronimental Pollution, v. 235, p. 546-559, 2018. DOI 10.1016/j.envpol.2017.12.098.

ZAPPAROLI, I. D.; CAMARA, M. R. G.; BECK, C. Medidas mitigadoras para a indústria de fármacos comarca de Londrina – PR, Brasil: impacto ambiental do despejo de resíduos em corpos hídricos. In: INTERNATIONAL WORKSHOP ADVANCES IN CLEANER PRODUCTION, 3., 2011, São Paulo. Anais [...]. São Paulo, 2011.

ZHOU, H.; ZHANG, Q.; WANG, X.; ZHANG, Q.; MA, L.; ZHAN, Y. Systematic screening of common wastewater-marking pharmaceuticals in urban aquatic environments: implications for environmental risk control. Environmental Science and Pollution Research, v. 21, n. 11, p. 7113-7129, 2014. DOI 10.1007/s11356-014-2622-4.

Downloads

Published

2023-09-22

How to Cite

e Bitencourt, E. B., Dias, T. B., Cabral, M. V. A., Costa, R. A. da S., Soares, L. C. do R., Rodrigues, A. C., Junior, A. P., & Morales, G. P. (2023). Contaminated areas: lixividing of solid waste from the pharmaceutical industry. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(9), 12182–12206. https://doi.org/10.55905/oelv21n9-090

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)