Aplicabilidade de castanhas no enriquecimento de produtos, benefícios e composição centesimal

Authors

  • Jaqueline Gomes
  • Rogério Favareto
  • Fernando Moraes Machado Brito
  • Lucas Silva Peixoto
  • Clistiane Santos Santana
  • Danilo Tófoli

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n9-044

Keywords:

extrativismo, amêndoa, selênio, cardiovasculares

Abstract

O consumo de castanhas, amêndoas e oleaginosas, principalmente castanhas-do-Brasil, atuam na prevenção de doenças cardiovasculares, com melhora do perfil lipídico e do estresse oxidativo celular. As castanhas estão presentes em dietas em todo o mundo, possuem propriedades clínicas com efeitos antioxidantes, anti-inflamatórios, potencialmente antitumorais e melhoram a expectativa de vida do consumidor. São alimentos ricos em calorias, densos em nutrientes, principalmente devido ao elevado teor de lipídeos 40 a 80%, dependendo de espécies e variedades. O objetivo deste trabalho foi identificar na literatura através de levantamento bibliográfico sobre a castanha-do-brasil, características, benefícios, composição centesimal e aplicabilidade das castanhas em geral no enriquecimento de novos produtos. A metodologia utilizada foi realizada através de pesquisa bibliográfica, métodos exploratórios, e consulta às bases de dados científicas como SciELO (Científico Eletronic Library Online) e Google Acadêmico. Portanto, a castanha-do-Brasil é benéfica para a saúde humana, pois contém ácidos graxos poli-insaturados, compostos fenólicos, esqualeno, fitosteróis, minerais, selênio e ômega 9, sendo a matéria prima consumida na forma in natura e industrializada. A aplicabilidade das castanhas no enriquecimento de novos produtos mostrou-se opção viável, agregando valor nutricionalmente e comercialmente.

References

ARAÚJO, A. C. M. A.; MENEZES, E. G. T.; TERRA, A. W. C.; DIAS, B. O.; OLIVEIRA, E. R.; QUEIROZ, F. Bioactive compounds and chemical composition of Brazilian Cerrado fruits’ wastes: pequi almonds, murici, and sweet passionfruit seeds. Food Science and Technology, v. 38, n .1, p. 203-214, 2018.

ALMEIDA, S. K. Avaliação da qualidade físico-química e sensorial de patês de ovino e de caprino com castanha portuguesa. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) – Universidade Tecnológica Federal do Paraná. Dois Vizinhos, p. 68, 2018.

AQUINO, S. J; SILVA. A. B. E. P; MASCARENHAS. J. R; ROCHA. S. V. C; SANTOS. J. O; SANTOS. R. L. M. H. Efeito do líquido da castanha do caju sobre as suas características físico químicas e sensoriais de castanhas fritas. Rev. Instituto Adolfo Lutz p. 316-322. 2011.

ARELHANO, L. E.; CANDIDO, C. J.; GUIMARÃES, R. C. A.; PRATES, M. F. O. Carac-terização nutritiva, bioativas e sensorial de frozen yogurt adicionado de castanhas de ba-ru. Interações (Campo Grande), 20(1), 257–256, 2019. https://doi.org/10.20435/inter.v0i0.1648

BITENCOURT, M. A. F.; RESENDE, O.; JUNIOR, W. N. F.; SANTOS, M. R. B.; ANDRADE, E. G. Pós-colheita, morfometria e rendimento de castanhas-do-Brasil da região amazônica. Alimentos: Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente, v. 1, n. 10, p. 13-38, 2020.

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC Nº 7, de 18 de fevereiro de 2011. Brasília: ANVISA.

BRITO, R. C. M.; JUNIOR, J. B. P.; DANTAS, K. G. F. Quantification of inorganic

constituents in Brazil nuts and their products by inductively coupled plasma optical emission spectrometry. Lwt, v. 116, p. 108383, 2019.

CARVALHO, I. M. M.; et al. O consumo de castanhas pode reduzir o risco de processos inflamatórios e doenças crônicas. Enciclopédia Biosfera, Centro Científico Conhecer, Goiânia, v. 8, n. 15, p. 1977, 2012.

CHEN, J.; BERRY, M. J. Selenium and selenoproteins in the brain and brain disea-ses. Journal of neurochemistry, v. 86, n.1, p. 1-12. 2003. https://doi.org/10.1046/j.1471-4159.2003.01854.x

COLPO, E.; VILANOVA, C. D. D. A.; BRENNER REETZ, L. G, MEDEIROS FRESCURA DUARTE, M. M, FARIAS, I. L. G, IRINEU MULLER, E.; ROCHA, J. B. T. Consumo de castanha do Pará por voluntários saudáveis melhora parâmetros inflamatórios. Nutrição, v. 30, p. 459 – 465, 2014.

COMINETTI, C.; DE BORTOLI, M. C.; GARRIDO J. R, A. B.; COZZOLINO, S. M. Consumo de castanha do Pará melhora o status de selênio e a atividade da glutationa peroxidase e reduz o risco aterogênico em mulheres obesas. Pesquisa em Nutrição, v. 32, n. 6, p. 403-407, 2012. https://doi.org/10.1016/j.nutres.2012.05.005

COSTA, J. G.; RIBEIRO, A. C.; PIRES, C. V.; TROMBETE, F. M. desenvolvimento e ava-liação da qualidade de barras de cereais elaboradas com polpa e amêndoa de pequi (Caryocar Brasiliense). Alimentos: Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente, v. 1, n. 5, p. 55-70, 2020.

COSTA, J. S. G.; KLUCZKOVSKI, A. M. Tecnologias de conservação de nozes de árvo-res: uma revisão. 3a ed. Editora Científica, 2021.

COSTA, T.; JORGE, N. Compostos bioativos benéficos presentes em castanhas e no-zes. Journal of Health Sciences, v. 13, n. 3, 2011.

CUNHA JÚNIOR, P. C.; OLIVEIRA, L. DE S.; GOUVÊA, L. DE P.; ALCANTARA, M., ROSENTHAL, A.; FERREIRA, E. H. DA R. Symbiotic drink based on Brazil nuts (Bertholletia excelsa H.B.K): production, characterization, probiotic viability and sensory acceptance. Ciência Rural, v. 51, n. 2, p. 20200361, 2012. https://doi.org/10.1590/0103-8478cr20200361

FEDALTO, M.; STOFELLA, N.; GOMES, D.; MAAS, N.; MUNOZ, M.; SILVA, M.; BALBI, M. Composição centesimal e nutricional da Macadâmia (Macadamia integrifolia Maiden & Betch) e análise do seu perfil lipídico relacionado à terapêutica. Visão Acadêmica, v. 19, n. 4, 2019.

FREITAS, C. E. P.; AMORIM, A. F. V., SIQUEIRA, S. M. C.; OLIVEIRA RIBEIRO, S. G.; ALVES, A. Y. S.; JUNIOR, A. M.; SILVA, D. C. Extração do óleo de castanha-do-Pará via Soxhlet utilizando solvente alternativo. Brazilian Journal of Development, v. 7, n. 5, p. 52474-52482, 2021.

GARCIA, W. S. et al. Demanda De Produtos Florestais Não Madeireiros: O Caso Do Açaí E Da Castanha-Do-Pará. Revista em Agronegócio e Meio Ambiente, v. 11, n. 4, p. 1039, 2018.

GARCIA, W. S.; SANTANA, A. C.; NOGUEIRA, A. K. M.; MARTINS, C. M. Demanda de produtos florestais não madeireiros: o caso do açaí e da castanha-do-pará. Revista em Agronegócio e Meio Ambiente, v. 11, n. 4, p. 1039-1059, 2018. https://doi.org/10.17765/2176-9168.2018v11n4p1039-1059

GRANATO, D. NUNES, S. D.; BARBA, J. F. Uma estratégia integrada entre química, bio-logia, nutrição, farmacologia e estatística de alimentos no desenvolvimento de alimentos funcionais: uma proposta. Trends in Food Science & Technology, v.62, p.13-22, 2017. https://doi.org/10.1016/j.tifs.2016.12.010

GRANATO, D.; SANTOS, J.S.; SALEM, R.D.S.; MORTAZAVIAN, A. M.; ROCHA, R.S.; CRUZ, A.G. Effects of herbal extracts on quality traits of yogurts, cheeses, fermented milks, and ice creams: a technological perspective. Current Opinion in Food Science, v. 19, p. 1-7, 2018.

GUASCH-FERRÉ, M. et al. Nut Consumption and Risk of Cardiovascular Disease. Jour-nal of the American College of Cardiology, v. 70, n. 20, p. 2519–2532, 2017. https://doi.org/10.1016/j.cofs.2017.11.013

IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura, 2020.

IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura, 2018.

JOHN, J. A. F. Phenolic compounds and antioxidant activity of Brazil nut (Bertholletia excelsa). Journal Of Functional Foods, v. 2, n. 3, p. 196-209, 2010. https://doi.org/10.1016/j.jff.2010.04.008

JUNIOR, E. S.; WADT, L. D. O.; SILVA, K. E.; LIMA, R. M. B.; BATISTA, K. D.; GUEDES, M. C.; GUILHERME, L. R. G. Natural variation of selenium in Brazil nuts and soils from the Amazon region. Chemosphere, v. 188, p. 650-658, 2017.

LALEYE, HANNAH T.; ORESANYA, TOLULOPE O.; BELLO, BIOLA Z. Physicoche-mical, Textural, Rheological and Sensory Properties of Chia Seed-Cashew Nut Spread. Journal of Culinary Science & Technology, p. 1-11, 2021.

LIMA, J. R.; ARAÚJO, I. M. S.; PINTO, C. O.; GOIANA, M. L.; RODRIGUES, M. C. P.; LIMA, L. V. Obtaining cashew kernel protein concentrate from nut processing by-product and its use to formulate vegetal burger. Brazilian Journal of Food Technology, 24, e 2020232, 2021. https://doi.org/10.1590/1981-6723.23220

LOPES, B. O. Castanhas da Amazônia: composição nutricional e benefícios para a saúde. Instituto de Tecnologia: Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Paracambi, RJ, 2021.

MARCONATO, M. N. S.; SANCHES, T. P.; CHAVES, C. M. S.; BUENO, M. S.; ISSAKOWICZ, J.; HAGUIWARA, M. M. H.; PAZ, C. C. P. D.; REIS, L. L. D.; ABDALLA, A. L.; COSTA, R. L. D. D. Growth performance, carcass traits and meat quality of lambs fed increasing level of Macadamia nut cake. Anais Da Academia Brasileira De Ciências, v. 93, n. 2, p. 20190852, 2021. https://doi.org/10.1590/0001-3765202120190852

MOREDA-PIÑEIRO, J. et al. Selenium species determination in foods harvested in Seleni-ferous soils by HPLC-ICP-MS after enzymatic hydrolysis assisted by pressurization and microwave energy. Food Research International, v. 111, p. 621-630, 2018. https://doi.org/10.1016/j.foodres.2018.06.003

MUNHOZ, C. L.; GUIMARÃES, R. D. C. A.; NOZAKI, V.; SANJINEZ-ARGANDOÑA, E. J. U.; MACEDO, M. L. R. Composição química e de fatores antinutricionais de frutos de bocaiuva. Revista Ambiência, v. 14, n. 1, p. 212-224, 2018.

OLIVEIRA, S.N.; RODRIGUES, M.C.P. Papel da análise sensorial como ferramenta de apoio no processo de desenvolvimento de produtos alimentícios. Revista Educação Agrícola Superior, v. 26, n. 1, p. 40-44, 2011.

OLIVEIRA, T. K. B.; ALMEIDA, F. A. C.; GOMES, J. P.; LIMA, A. R. N.; MELO NETO, I. B.; SILVA JÚNIOR, P. R. RAMOS, K. R. L. P. Composição físico-química e compostos bioativos do extrato aquoso de amendoim sem pele e enriquecido com pele. Brazilian Journal of Food Technology, v. 24, p. 2020166, 2021. https://doi.org/10.1590/1981-6723.16620

SANTIAGO, M. B; SOUZA, M. L. R. A review of selenium deficiency and susceptibility to viral infections with particular emphasis on the new coronavírus. Brazilian Journal of Health Review. Curitiba, v. 3, n.5, p.11509-11520, 2020.

SILVA, B. P. P. C.; PINHEIRO, V. J. F.; COSTA BARBOSA, I. C.; CARDOSO, D. F. S. R.; SANTOS, L. P. SANTA ROSA, R. M. S. Avaliação das características físico-químicas da castanha do Brasil (Bertholletia excelsa) e da castanha portuguesa (Castanea sativa mill.). Revista Brasileira de Tecnologia Agroindustrial, v. 15, n. 2, 2021.

SILVA, F. M. A.; HANNA, A. C. S.; SOUZA, A. A.; SILVA, F. A.; CANHOTO, O. M. F.; MAGALHÃES, A.; BENEVIDES, P. J. C.; AZEVEDO, M. B. M.; SIANI, A. C.; POHLIT, A. M.; SOUZA, A. D. L.; KOOLEN, H. H. F. Integrative Analysis Based on HPLC-DAD-MS/MS and NMR of Bertholletia excelsa Bark Biomass Residues:Determination of Ellagic Acid Derivatives. Journal of the Brazilian Chemical Society, v.30, n.4, P.830–836, 2019. https://doi.org/10.21577/0103-5053.20180215

SILVA, J. M.; SOUZA, M. P.; SOUZA FILHO, T. A. Cadeia produtiva da Castanha-da- Amazônia nos Estados do Acre e Rondônia. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 11, p. 91277-91297, 2020.

SILVA, L. D. J. S.; MENEGHETTI, G. A., PINHEIRO, J. O. C.; DOS SANTOS, E. M.; PARINTINS, D. M. O extrativismo como elemento de desenvolvimento e sustentabilidade na Amazônia: um estudo a partir das comunidades coletoras de castanha-do-brasil em Tefé, AM. Revista Destaques Acadêmicos, v. 11, n. 2, p. 168-187, 2019. http://dx.doi.org/10.22410/issn.2176-3070.v11i2a2019.2271

SILVA, T. P. PONTES, A. N.; ALBUQUERQUE, A. R. Cadeias de produção sustentáveis no extrativismo de castanha do Brasil na Amazônia brasileira. Brazil Journal of Development, v. 6, n. 8, p. 63460-63478, 2020.

SOUZA, A. L. G.; FERREIRA, M. C. R.; DE MIRANDA, L. R.; SILVINO, R. C. D. A. S.; LORENZO, N. D.; CORREA, N. C. F.; SANTOS, O. V. Aproveitamento nutricional e tec-nológico dos frutos da castanhola (Terminalia catappa Linn.). Revista Pan-Amazônica de Saúde, v. 7, n. 3, p. 7-7, 2016. http://dx.doi.org/10.5123/s2176-62232016000300003

SOUZA, A. L. S.; MIRANDA, J. S.; SOUSA, R. C. S. Caracterização físico-química da amêndoa e do óleo de baru submetido à extração sólido- líquido com solventes alternati-vos / Physicochemical characterization of almond and baru oil submitted to solid-liquid extraction with alternative solvents. Brazilian Journal of Development, 5(11), 26548–26556, 2019. https://doi.org/10.34117/bjdv5n11-285

SQUILLACI, G.; APONE, F.; SENA, L.M.; CAROLA, A.; TITO, A.; BIMONTE, M.; LUCIA, A.D.; COLUCCI, G.; CARA, F.L.; MORANA, A. Chestnut (Castanea sativa Mill.) Industrial Wastes as a Valued Bioresource for the Production of Active Ingredients. Process Biochem, v. 64, p. 228–236, 2018. https://doi.org/10.1016/j.procbio.2017.09.017

STOCKLER-PINTO, M. B.; MALM, O.; MORAES, C.; FARAGE, N. E.; SILVA, W. S.; COZZOLINO, S. M. F.; MAFRA, D. A follow-up study of the chronic kidney disease patients treated with Brazil nut: focus on inflammation and oxidative stress. Biological trace element research, v. 163, p. 67-72, 2015.

https://doi.org/10.1007/s12011-014-0167-5

TANIWAKI, Marta H. et al. Biodiversity of mycobiota throughout the Brazil nut supply chain: From rainforest to consumer. Food microbiology, v. 61, p. 14-22, 2017.

ÜSTER-BOLUDA, I.; VIDAL-CAPILLA, I. Atitudes do consumidor na escolha de alimen-tos funcionais. Revista Espanhola de Marketing - ESIC, v.21, p.65-79, 2017.

VEIGA, J. VALDIR. F.; NASCIMENTO, L. SILVA; S, FELIPE. K. F. Selênio, entre o bem e o mal à saúde. Ciência hoje. 2020.

VIANA, N. P.; BARBOSA, A. S.; DOS SANTOS, M. S.; RUSTICHELLI, B. G.; DENEL-LE, D.; NACIF, M. Estado nutricional e risco de doença cardiovascular em operadores de teleatendimento. RBONE-Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, v. 12, n. 70, p. 239-244, 2018.

WADT, L. H. de O. KAINER, K. A. Domesticação e melhoramento de castanheira. Embrapa Acre-Capítulo em livro científico (ALICE), cap 15. p. 297-377. 2009.

YANG, J. Castanha do Brasil e benefícios para a saúde associados: uma revisão. LWT - Food Science and Technology, Sheffield, v. 42, n. 10, p.1573-1580, 2009. https://doi.org/10.1016/j.lwt.2009.05.019

Published

2023-09-11

How to Cite

Gomes, J., Favareto, R., Brito, F. M. M., Peixoto, L. S., Santana, C. S., & Tófoli, D. (2023). Aplicabilidade de castanhas no enriquecimento de produtos, benefícios e composição centesimal. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(9), 11318–11333. https://doi.org/10.55905/oelv21n9-044

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)