Perfil epidemiológico dos acidentes de trabalho graves no estado do Piauí, Brasil, 2010 a 2020

Authors

  • Clara Lima Araújo
  • Joelson dos Santos Almeida
  • Maria do Socorro Candeira Costa
  • José Jackson Coelho Sampaio
  • Antônio Hosmylton Carvalho Ferreira
  • Thalis Kennedy Azevedo de Araújo
  • Gisele Bezerra da Silva
  • Cassandra Mirtes de Andrade Rêgo Barros

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n10-025

Keywords:

acidente de trabalho, saúde do trabalhador, notificação de acidentes de trabalho, vigilância em saúde pública

Abstract

Acidentes do trabalho graves é um problema saúde pública devido aos custos ao sistema de saúde impactando nos diversos campos do trabalho, economia e previdência social. Desse modo, a investigação do agravo permite elaborar políticas públicas para enfrentamento dos acidentes. Este trabalho objetiva caracterizar os aspectos sociodemográficos e clínicos dos acidentes de trabalho graves no Estado do Piauí. Trata-se de um estudo transversal realizado com as notificações de acidentes do trabalho graves oriundas do Sistema Nacional de Agravos de Notificação, ocorridas nos períodos de 2010 a 2020, analisadas por estatística descritiva. Foram notificados 7.741 acidentes. A maioria (88,9 %) eram homens, na faixa etária de 30 a 39 anos; 30,4 % baixa escolaridade; as ocupações acometidas foram diversas (39%), com tempo de trabalho de um ano ou mais (70,7%), os acidentes ocorreram 53,8% em vias públicas e classificados como típicos em 55,1%, receberam atendimento médico (97,2%) e os membros superiores foram atingidos em (38,6%). Quanto aos desfechos dos casos, o tratamento foi hospitalar (92,8%), à evolução dos casos, 47,1% tiveram registros ignorados e a comunicação de acidente de trabalho não foi realizada em 41,5% dos casos. Acidentes do trabalho graves ocorreram nos adultos-jovens em profissões mais vulneráveis que poderiam ser evitados com o uso de equipamentos de proteção coletiva/individual visando o controle dos riscos ocupacionais.

References

ABDALLA, S. et al. Occupation and risk for injuries. Injury Prevention and Environmental Health. 3rd. The International Bank for Reconstruction and Development/The World Bank, 2017. Disponivel em:https://books.google.com.br/books?hl=ptBR&lr=&id=Z4wDwAAQBAJ&oi=fnd&pg=PT159&dq=Safa+Abdalla+,+Spenser+S.+Apramian+,+Linda+F.+Cantley+e+Mark+R.+Cullen&ots=hcfOhGRooO&sig=J1BGeeTA9xCou4MKyS97YANLtHg . Acesso em: 23 jul. 2023.

ALMEIDA, I.; TEIXEIRA, J. M. ; MAGALHÃES, T.. O impacto dos acidentes de trabalho graves na reinserção profissional. Uma contribuição médico-legal portuguesa. Revista de Medicina Legal e Forense , v. 90, n. 90, pág. 102391, 2022.

AMARAL, E. G. et al. Riscos ocupacionais no trabalho de motociclistas profissionais de entregas rápidas. Saúde Coletiva (Barueri), v. 11, n. 69, p. 8526-8546, 2021.

BASILIO, P.. Brasil é 2o país do G20 em mortalidade por acidentes no trabalho. G1. Disponível em:https://g1.globo.com/economia/noticia/2021/05/01/brasil-e-2o-pais-do-g20-em-mortalidade-por-acidentes-no-trabalho.ghtml&gt. Acesso em: 12 Set. 2023.

BEZERRA, J. C. et al. Workers’ health in brazil: Accidents recorded by social security from 2008 to 2014. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 73, 2020.

BRASIL. Justiça do Trabalho – TRT. Trabalho Seguro, 2011. Disponível em: https://www.tst.jus.br/web/trabalhoseguro/dados-nacionais. Acesso em: 15 de jul. 2023.

BRASIL. Ministério da Previdência Social. AEPS 2013 - Anuário Estatístico da Previdência Social 2013. Brasília (DF), Seção IV; 2016. Disponível em: http://www.previdencia.gov.br/dados-abertos/aeps-2013-anuario-estatistico-da-previdencia-social-2013/aeps-2013-secao-iv-acidentes-do-trabalho/. Acesso em: 21 jul. 2023.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas ¬ – Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2006. Disponivel em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_not_acidentes_trab.pdf. Acesso em: 25 jul. 2023.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Saúde do trabalhador e da trabalhadora. Brasília, DF: Ministério da Saúde, 2018. Disponível em: https://renastonline.ensp.fiocruz.br/recursos/caderno-atencao-basica-41-saude-trabalhador-trabalhadora. Acesso em: 14 ago. 2023.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 485, de 11 de novembro de 2005. Aprova a norma regulamentadora nº 32 (Segurança e saúde no trabalho em estabelecimentos de saúde). Diário Oficial da República Federativa do Brasil, 2005. Disponível em: http://www.mte.gov.br/legislacao/normas_regulamentadoras/nr_32.pdf. Acesso em: 03 jul. 2023.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 1.823, de 23 de agosto de 2012. Institui a Política Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 24 ago. 2012. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2012/prt1823_23_08_2012.html. Acesso em: 04 mar. 2023.

CALAZANS, M. I. P.; NERY, A. A. Perfil epidemiológico dos acidentes de trabalho graves no estado da Bahia entre os anos de 2007 e 2017. Revista Eletrônica Acervo Saúde, v. 13, n. 2, p. e5897-e5897, 2021.

CAMPOS, A. G.; GURGEL, A. do M. Acidentes de trabalho graves e atividades produtivas nas regiões administrativas de saúde em Pernambuco: uma análise a partir da identificação de aglomerados produtivos locais. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v. 41, 2016.

CAVALCANTE, C. A. A. et al. Acidentes de trabalho graves no Rio Grande do Norte: estudo transversal. Revista Brasileira de Enfermagem Online, v. 14, n. 4, pág. 543-55, 2015.

CORDEIRO, R. et al. A violência urbana é a maior causa de acidentes de trabalho fatais no Brasil. Revista de Saúde Pública , v. 51, p. 123, 2017.

FRANZ, E. C.; CARGNIN, M.C.S. Análise dos agravos relacionados ao trabalho notificados no sistema de informações em saúde do trabalhador. Cogitare Enfermagem, v. 23, n. 1, 2018.

GALDINO, A.; SANTANA, V.S.; FERRITE, S. Os Centros de Referência em Saúde do Trabalhador ea notificação de acidentes de trabalho no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 28, n. 1, p. 145-159, 2012.

GALDINO, A.; SANTANA, V. S.; FERRITE, S. Qualidade do registro de dados sobre acidentes de trabalho fatais no Brasil. Revista de saúde pública, v. 51, 2017.

GONÇALVES, M. R. et al. Acidentes de trabalho graves notificados em uma unidade sentinela, no período entre 2008 e 2018. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho , v. 19, n. 3, pág. 299-306, 2021.

HATAMI, S. E. et al. Epidemiologia das lesões relacionadas ao trabalho entre trabalhadores da construção civil segurados no Irã. Médico eletrônico, v. 9, n. 11, pág. 5841, 2017.

HENNINGTON, É. A.; CORDEIRO, R.; MOREIRA FILHO, D. de C. Trabalho, violência e morte em Campinas, São Paulo, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 20, p. 610-617, 2004.

HOSOUME, L. Z. et al. Caracterização das vítimas de acidentes de trabalho grave assistidas em um hospital universitário. Brazilian Journal of Health Review, v. 4, n. 1, p. 3936-3946, 2021.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Piauí Censo e estimativas popilacionais, 2023. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/pi/&gt. Acesso em: 03 Sep. 2023.

ILO. ESTATÍSTICA MUNDIAL. International Labour Organization, 2022. Disponível em: https://www.ilo.org/moscow/areas-of-work/occupational-safety-and-health/WCMS_249278/lang--en/index.htm. Acesso em 08 jun. 2022.

KLASSMANN, B. Tendências mundiais em SST, Revista Proteção. Disponível em: https://protecao.com.br/estatisticas/noticias-sobre-estatisticas/tendencias-. Acesso em 08 jun. 2023.

LACERDA, K. M. et al. A (in) visibilidade do acidente de trabalho fatal entre as causas externas: estudo qualitativo. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v. 39, p. 127-135, 2014.

LACERDA, K. M.; FERNANDES, R. de C. P.; NOBRE, L. C. da C. Acidentes de trabalho fatais em Salvador, BA: descrevendo o evento subnotificado e sua relação com a violência urbana. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, v. 39, p. 63-74, 2014.

LANCMAN, S. et al. O trabalho na rua e a exposição à violência no trabalho: um estudo com agentes de trânsito. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 11, p. 79-92, 2007.

LEIGH, J.P. Carga econômica de lesões e doenças ocupacionais nos Estados Unidos. The Milbank Quarterly , v. 89, n. 4, pág. 728-772, 2011.

LIMA, G.B. et al. Caracterização de acidentes graves e fatais nos registros de um centro de referência em Saúde do Trabalhador. Rev. Interinst. Bras. Ter. Ocup. Rio de Janeiro. 2018. v.2(4): 734-744. DOI: 10.47222/2526-3544.rbto14808.

LIMA, A. C. R. et al. Análise do perfil epidemiológico e tendência temporal dos acidentes graves de trabalho. Revista Baiana de Enfermagem‏, v. 33, 2019.

LIMA, R. K. S. de et al. Notificação compulsória de acidentes de trabalho: dificuldades e sugestões dos profissionais de saúde em Fortaleza, Ceará. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho , v. 16, n. 2, pág. 192-198, 2018.

LIMA-COSTA, M. F.; BARRETO, S. M.. Tipos de estudos epidemiológicos: conceitos básicos e aplicações na área do envelhecimento. Epidemiologia e serviços de saúde, v. 12, n. 4, p. 189-201, 2003.

MALTA, D. C. et al. Acidentes de trabalho autorreferidos pela população adulta brasileira, segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, p. 169-178, 2017.

MASCARENHAS, M. D. M. et al. Atendimentos de emergência por lesões relacionadas ao trabalho: características e fatores associados-Capitais e Distrito Federal, Brasil, 2011. Ciência & Saúde Coletiva, v. 20, p. 667-678, 2015.

MENDES, R.; CAMPOS, A. C. C. Saúde e segurança no trabalho informal: desafios e oportunidades para a indústria brasileira. Revista Brasileira de Medicina do Trabalho, v. 2, n. 3, p. 209-223, 2004.

MOTTA, P. T. et al. Análise dos acidentes de trabalho do setor de atividade econômica comércio no município de Belo Horizonte. Revista Mineira de Enfermagem, v. 15, n. 3, p. 427-433, 2011.

MURAD, Mudhafar K.; LARSEN, Stig; HUSUM, Hans. O atendimento pré-hospitalar ao trauma reduz a mortalidade. Resultados de dez anos de um estudo de auditoria de coorte de tempo e trauma no Iraque. Revista Escandinava de Trauma, Ressuscitação e Medicina de Emergência , v. 20, n. 1, pág. 1-10, 2012.

OIT, Organização Internacional do Trabalho, Série SmartLab de Trabalho Decente: Gastos com doenças e acidentes do trabalho chegam a R$ 100 bi desde 2012, www.ilo.org. Disponível em: https://www.ilo.org/brasilia/noticias/WCMS_783190/lang--pt/index.htm&gt. Acesso em: 16 Aug. 2023.

ROSA, K.; ROSA, S. S.; DE ALMEIDA, P. et al. Vigilância em saúde do trabalhador: um estudo sobre acidentes graves do trabalho. Vigilância em saúde do trabalhador: um estudo sobre acidentes graves do trabalho, 2016. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/30db/991a04cfada663fd81fd79a5f4b0d5f1e310.pdf

RANGEL, V. C.; MEDEIROS, G. D. S. Acidente no trabalho e a importância da reabilitação profissional. Perspectivas Online 2007-2011, v. 2, n. 8, 2008.

RIBEIRO, F. H. et al. Acidentes de trabalho e sua associação com os fatores idade e tempo de experiência do trabalhador: uma pesquisa documental com base no cadastro do sistema SINAN. Encontro Nacional de Engenharia de Produção, v. 35, 2015.

RIOS, M. A. et al. Fatores associados a acidentes de trabalho envolvendo trabalhadores informais do comércio. Cadernos de Saúde Pública, v. 31, p. 1199-1212, 2015.

SANTOS, B. L.; CATAI, R. E. Análise dos acidentes do trabalho na construção civil ocorridos no estado do Paraná no período de janeiro à setembro de 2013. 2014. In: ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO, 15., 2014, Maceió. Anais... Maceió: ANTAC, 2014.

SCUSSIATO, L. A. et al. Perfil epidemiológico dos acidentes de trabalho graves no Estado do Paraná, Brasil, 2007 a 2010. Rev Epidemiol e Serv. de Saúde, v. 22, n. 4, p. 621-630, 2013.

SILVA, A. R.; DE ARAÚJO, T. M. Acidentes de trabalho graves no estado da Bahia no período de 2007 a 2012. Revista Baiana de Saúde Pública, v. 40, 2016.

SOARES, Larissa da Silva. Perfil Epidemiológico dos Acidentes de Trabalho Graves no Município de Santarém, Pará. 2019. Tese de Doutorado. Universidade Federal do Oeste do Para. Disponível em: https://repositorio.ufopa.edu.br/jspui/handle/123456789/158. Acesso em: 27 jul. 2023.

SOUSA, T. A. et al. Enfermagem do trabalho: o papel do enfermeiro na prevenção de acidentes e doenças ocupacionais Occupational nursing: the role of nurses in the prevention of accidents and occupational diseases. Brazilian Journal of Development, v. 7, n. 8, p. 84281-84291, 2021.

SOUTO, C. C. et al. Perfil das vítimas de acidentes de transporte terrestre relacionados ao trabalho em unidades de saúde sentinelas de Pernambuco, 2012-2014. Epidemio e Serviços de Saúde, v. 25, p. 351-361, 2016.

TOMAZ, H.C.; JESUS, C.S.; Oliveira, J.L. Acidentes de trabalho graves não fatais no estado do piauí, 2007-2012.. Anais. In: Congresso Internacional de Saúde Pública, Rev. SANARE, v.14, pag. 120, 2015., Parnaíba-PI: 2015.

TRAJANO, J. D. S. Caracterização dos acidentes de trabalho em Uberaba - MG: compreensão de suas causas, atenção na Rede SUS e impactos sobre condições de vida e trabalho. 2018. 113 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2018. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/handle/123456789/21530. Acesso em: 18 jul. 2022.

VELOSO, L. U. P. et al. Profile of accidents at work in Piaui/Perfil dos acidentes de trabalho no Piauí. Revista de Enfermagem da UFPI, v. 3, n. 1, p. 72-8, 2014.

ZACK, B. T. et al. Acidente de trabalho grave: perfil epidemiológico em um município do oeste do Paraná. Saúde em Debate, v. 44, p. 1036-1052, 2021.

Published

2023-10-03

How to Cite

Araújo, C. L., Almeida, J. dos S., Costa, M. do S. C., Sampaio, J. J. C., Ferreira, A. H. C., de Araújo, T. K. A., da Silva, G. B., & Barros, C. M. de A. R. (2023). Perfil epidemiológico dos acidentes de trabalho graves no estado do Piauí, Brasil, 2010 a 2020. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(10), 14915–14938. https://doi.org/10.55905/oelv21n10-025

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)