Mulheres nutricionistas gestoras nos serviços de alimentação

Authors

  • Marta Nichele
  • Amanda Silva
  • Jordana Mendes

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n8-040

Keywords:

mulheres nutricionistas, desenvolvimento comunitário, protagonismo, Brasil

Abstract

 No Brasil, mais de 95% dos profissionais em Nutrição são mulheres. Essa realidade tem uma tradição já delimitada desde os primeiros momentos de profissionalização do campo no país, quando as associações profissionais já afirmavam, em 1959, a “afinidade feminina” do campo de conhecimento. Tal imagem é ainda intercalada com o papel de mãe e esposa, caracterizando o trabalho feminino voltado ao cuidado, ao afeto e à extensão da jornada doméstica. Nesta comunicação, interessa compreender a liderança feminina na profissão de nutricionista na dimensão dos estudos de desenvolvimento comunitário e o protagonismo de mulheres nesse campo de conhecimento e mercado de trabalho. O presente estudo objetivou conhecer a percepção das nutricionistas quanto aos temas do gênero e do trabalho nos serviços de alimentação em um município do Oeste de Santa Catarina, Brasil. O instrumento utilizado foi um questionário semiestruturado autoaplicável respondido por 7 nutricionistas. Verificou-se que as profissionais sentem-se qualificadas e buscam aperfeiçoamento contínuo e periódico através da educação continuada. As funções administrativas, como o controle financeiro e a gestão de pessoas, foram apontadas como os principais desafios e ao mesmo tempo consideradas sinônimos de conquista e autonomia feminina. Percebeu-se que promover e preservar a qualidade do trabalho executado é essencial para as nutricionistas e a acessão profissional é o resgate da posição no trabalho e a identidade feminina aceita.

References

ABREU, Edeli Simioni; SPINELLI, Mônica Glória Neuman; ZANARDI, Ana Maria Pinto. Gestão de Unidades de Alimentação e Nutrição: um modo de fazer. São Paulo: Metha, 2007.

ANSALONI, José Armando. Situação de trabalho dos nutricionistas em empresas de refeições coletivas de Minas Gerais: Trabalho técnico, supervisão ou gerência? Revista de Nutrição. Campinas-SP, v. 12, n. 3, p. 241-260, set./dez. 1999.

ARIZA, Marina, OLIVEIRA, Orlandina. División sexual del trabajo y exclusión social. Revista Lationo-Americana de Estudos do Trabalho. Cidade de México, v. 3, n. 5, abr./jul. 1997.

BANDUK, Maria Luiza Sampaio; MORENO, Lidia Ruiz; BATISTA, Nildo Alves. A construção da identidade profissional na graduação do nutricionista. INTERFACE- Comunicação Saúde e Educação. São Paulo: UNESP, v.13, n.28, p.111-20, jan./mar. 2009.

BELLO, Marcela; SPINELLI, Mônica Glória Neumann. Utilização de indicadores de qualidade em Unidades de Alimentação e Nutrição e em restaurantes comerciais. In: Jornada de Iniciação Científica, v.7, 2011, São Paulo. Anais. São Paulo: Universidade Presbiteriana Mackenzie, 2011.

BOOG, Maria Cristina Faber; RODRIGUES, Kcitia Regina Martini; SILVA, Sonia Maria Ferreira da. Situação profissional dos nutricionistas egressos da PUCCAMP. Revista de Nutrição, Campinas-SP, v. 11, n. 2, p. 55-87, jan./jun. 1998.

BOLZAN, Alexandre Galina. Gestão Estratégica e as Competências Gerenciais na Estrutura Administrativa das Organizações. 2007. 110f. Dissertação (Mestrado em Administração). Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria-RS, 2007.

BRASIL. Inserção Profissional dos Nutricionistas no Brasil. Brasília: Conselho Federal de Nutricionistas, 2006.

_______. Quadro estatístico do 2º trimestre/2009 (01/04/2009 à 30/06/2009). Brasília: Conselho Federal de Nutricionistas , 2010.

BRAVO, Ismael. Gestão da qualidade em tempos de mudança. 3. ed. São Paulo: Alínea, 2010.

DANIEL, Camila. O trabalho e a questão de gênero: a participação de mulheres na dinâmica do trabalho. Social em Questão. n. 25/26, p. 323-344, 2011.

GATTI, Bernadete A. Análise das políticas públicas para formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro - RJ, v.13, n.37, p. 57-186, jan./abr. 2008.

NÓBREGA, Annamaria Barbosa do Nascimento et al. Competências Gerenciais do Nutricionista Gestor de Unidades de Alimentação Terceirizada. Revista Eletrônica do Mestrado em Administração da Universidade Potiguar. Ano IV, n. 2, abr./set. 2012.

SANTOS, Sandra Maria Chaves. Nutricionista e sociedade: elementos para uma abordagem histó- rico-social da profissão. 1988. 240p. Dissertação (Mestrado em Saúde Comunitária) - Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1988.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação & Realidade. Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99, jul./dez. 1995.

SILVA, Edna Lúcia da; CUNHA, Miriam Vieira da. A formação do profissional no século XXI: desafios e dilemas. Ciências da Informação. Brasília, v. 31, n. 3, p. 77-82, set./dez. 2002.

SILVEIRA, Maiara Luz da. O conhecimento de nutricionistas sobre gestão de pessoas em serviços de alimentação e nutrição hospitalar. Porto Alegre, 2011.

SLACK, Nigel. Administração da produção. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2009.

TEIXEIRA, Suzana et al. Administração aplicada às unidades de alimentação e nutrição. São Paulo: Atheneu, 2007.

Published

2023-08-10

How to Cite

Nichele, M., Silva, A., & Mendes, J. (2023). Mulheres nutricionistas gestoras nos serviços de alimentação. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(8), 8561–8573. https://doi.org/10.55905/oelv21n8-040

Issue

Section

Articles