Algumas dimensões da cadeia produtiva na Resex do Médio Juruá (AM)

Authors

  • Reinaldo Corrêa Costa
  • Enderson Mota Angioli
  • Letícia Barbosa de Souza

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n8-038

Keywords:

biodiversidade, cadeia produtiva, aspectos sociais

Abstract

Os povos que residem dentro das unidades de conservação, especificamente de Resex (Reservas Extrativistas) utilizam o trabalho extrativista, produzindo assim, condições para a manutenção de suas representações, seja simbólica ou material, considerando o seu modo vida, assim como sua importância com a preservação e condições de reprodução socioeconômica. Este estudo foi realizado na Reserva Extrativista do Médio Juruá, com o objetivo de identificar e analisar as dificuldades e capacidades nas diferentes etapas dos processos produtivos encontrados, analisando a sua produção, distribuição, circulação e consumo, analisando o valor agregado na composição técnica do uso do território. Buscando identificar os insumos, políticas públicas de educação, saúde e infraestrutura territoriais. O grande desafio para potencializar a produção da resex é criar estruturas seja físicas, sociais e econômicas para que seja possível melhorar a qualidade e quantidade de suas produções, obtendo um escoamento desses produtos com um transporte ágil e seguro, sendo individual ou geral, ou seja, capacitar e equipar o território.

References

AB’SABER, Aziz. O Conceito do Espaço Total e a problemática da reorganização dos espaços regionais. In: LOCH, Ruth e CAMPOS, Nazareno. (Org.) Resgate Histórico das Semanas de Geografia da UFSC. Florianópolis: Imprensa da UFSC, 1995.

BRAGA, Tony Marcos Porto. Conhecimento local ribeirinho e suas aplicações para o manejo participativo da pesca na Reserva Extrativista do baixo Juruá, estado do Amazonas. 2011.

BRASIL. MMA, MDA, MDS. Plano Nacional das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade. Brasília: MMA, 2009.

BRASIL. LEI Nº 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o artigo 225, §1º, inciso I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providencias.

CAPRA, Fritjof; EICHEMBERG, Newton Roberval. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix, 2006.

COSTA, Reinaldo Corrêa. Etnoconhecimento, Saber Local e a Mundialização. III Encontro da ANPPAS, Brasília/DF, 2006.

COSTA, Reinaldo Corrêa; NUNEZ, Cecilia Verônica. Cadeias produtivas & seus ambientes. 2017.

COSTA, R. C. Etnoconhecimento, propriedade intelectual e mercado na Amazônia brasileira. THULE. Rivista italiana di studi americanistici, v. 20/21, p. 1-2, 2006.

COSTA, R. C; PICANCO, C. A. S. Análise da cadeia produtiva da castanha-do-Brasil coletada na reserva biológica do Rio Trombetas, Oriximiná, Pará. Brazilian Journal of Development, v. 5, p. 19460-19483, 2019.

COSTA, R. C; SANTOS, V. F. Estrutura, Funcionalidade e Estratégias de Uso Tradicional de Sítios/Quintais Agroflorestais no Projeto de Assentamento Beruri, Beruri - AM. In: Reinaldo Corrêa Costa. (Org.). Cadeias produtivas e seus Ambientes. 1ed.Manaus: Editora INPA, 2017.

COSTA, R. C.; FERREIRA, B. E. da S . Sítios Agroflorestais em Unidades Territoriais no Amazonas. In: XXII ENGA - Encontro Nacional de Geografia Agrária, 2014, Natal. Agentes, processos, conflitos e conteúdo do espaço agrário brasileiro. Natal: UFRN, 2014

COSTA, R. C.; CARVALHO, T. P. V. de. A CONTRIBUIÇÃO DOS SÍTIOS/QUINTAIS NA CADEIA PRODUTIVA DO BIOPRODUTO (MANAUS-AMAZONAS-BRASIL). In: IV Congreso Latinoamericano de Agroecología (SOCLA), 2013, Lima-Peru. IV Congreso Latinoamericano de Agroecología (SOCLA), 2013.

CUMARU, R. A. Relatório Técnico – Diagnóstico Socioambiental das Comunidades da Reserva Extrativista do Médio Juruá. 2006. CNPT/IBAMA. 47 p.

DULLEY, Richard Domingues. Noção de natureza, ambiente, meio ambiente, recursos ambientais e recursos naturais. Agricultura em São Paulo, São Paulo, v. 51, n. 2, p. 15-26, 2004.

FONSECA, Mônica; LAMAS, Ivana; KASECKER, Thais. O papel das unidades de conservação. Scientific American Brasil, v. 39, p. 18-23, 2010.

LENOBLE, R. História da idéia de natureza. Lisboa: Edições 70, 1969. 367 p.

LOUZADA, Camila. As grandes obras para reabertura da BR-319 e seus impactos nas localidades ribeirinhas do Rio Solimões: Bela Vista e Manaquiri, no Amazonas. 2014. Dissertação (Mestrado em Geografia) − Programa de Pós-Graduação em Geografia, Universidade Federal do Amazonas, 2014. Disponível em: <http://tede.ufam.edu.br/bitstream/tede/3983/2/Disserta%C3%A7%C3%A3o%20-%20Camila%20de%20Oliveira%20Louzada.pdf>. Acesso em: 20 abr. 2021.

VALLEJO, Luiz Renato. Unidade de conservação: uma discussão teórica à luz dos conceitos de território e políticas públicas. Geographia, v. 4, n. 8, p. 57-78, 2002.

PECQUEUR, B: BENKO, G. Os recursos de territórios e os territórios de recursos. Geosul, Florianópolis, UFSC/Programa de Pós-graduação em Geografia, v. 16, n. 32, pp. 31-50, jul./dez. 2001.

Plano de Manejo da Reserva Extrativista do Médio Juruá Carauari - AM, Dezembro de 2011.

SMITH. Neil. Desenvolvimento Desigual. São Paulo. Hucitec, 1978.

TEIXEIRA, Thais Helena et al. As Unidades de Conservação de Uso Sustentável no Bioma Amazônico: Dilemas e Perspectivas Para o Desenvolvimento Sustentável. Revista Portuguesa de Estudos Regionais, n. 46, p. 71-89, 2017.

Published

2023-08-10

How to Cite

Costa, R. C., Angioli, E. M., & de Souza, L. B. (2023). Algumas dimensões da cadeia produtiva na Resex do Médio Juruá (AM). OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(8), 8519–8538. https://doi.org/10.55905/oelv21n8-038

Issue

Section

Articles