Avaliação do índice de qualidade da água superficial na zona rural e urbana de município no noroeste do Rio Grande do Sul

Authors

  • Daniela Schmitt Bobato
  • Ramiro Pereira Bisognin
  • Divanilde Guerra
  • Mastrângello Enivar Lanzanova
  • Daiane Weiss
  • Diego Hider Maciel
  • Tuisi Rossini
  • Gabriela Schmitt Bobato

DOI:

https://doi.org/10.55905/oelv21n9-073

Keywords:

recursos hídricos, IQA, índice de estado trófico, atividades antrópicas

Abstract

A água é indispensável às diferentes formas de vida e às atividades humanas, por isso o monitoramento de sua qualidade é necessário para a melhor gestão dos recursos hídricos. Nesse sentido, objetivou-se com este estudo avaliar a qualidade da água superficial em diferentes pontos de um município no Noroeste do Rio Grande do Sul. As coletas de água foram realizadas em seis pontos distintos, três distribuídos na área rural e outros três na área urbana. Foram executadas duas campanhas de coleta de água, no mesmo ano, sendo a primeira realizada no mês de janeiro e a segunda no mês de março de 2023. Em cada campanha amostral avaliou-se os nove parâmetros para determinação do Índice de Qualidade da Água (IQA), e com base na concentração de fósforo total realizou-se o Índice de Estado Trófico (IET). No momento da coleta também se realizou a análise das condições das áreas de preservação permanente (APP) no entorno dos pontos de amostragem. Como resultados, foi possível verificar a interferência das atividades do meio urbano nos cursos hídricos, uma vez que os pontos localizados nesse meio obtiveram os piores resultados, com predominância de IQA “ruim” em relação aos pontos amostrados no meio rural, onde predominou o índice de qualidade da água “aceitável”. Quanto ao IET, observou-se que 67% dos pontos em meio rural apresentaram estado trófico ultraoligotrófico e 33% oligotrófico, este último por influência do meio urbano, no qual os pontos variaram de ultraoligotrófico, oligotrófico e mesotrófico. Muitos desses resultados de degradação da qualidade da água são potencializados devido as condições inadequadas de conservação das APPs e/ou inexistência da faixa mínima exigida por legislação. Diante desses resultados, é premente a necessidade de ações para melhoria da qualidade das águas, principalmente no meio urbano.

References

AMERICAN PUBLIC HEALTH ASSOCIATION (APHA); AMERICAN WATER WORKS ASSOCIATION (AWWA); WATER ENVIRONMENT FEDERATION (WEF). Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater. 22th Edition. Washington, DC, 1360 p., 2012.

ANA. Agência Nacional das Águas e Saneamento Básico. Panorama da qualidade das águas superficiais no Brasil / Agência Nacional de Águas, Superintendência de Planeja-mento de Recursos Hídricos. - Brasília : ANA, SPR, 2005. Disponível em: http://portalpnqa.ana.gov.br/Publicacao/PANORAMA_DA_QUALIDADE_DAS_AGUAS.pdf. Acesso em: 04 Abril 2023.

_____Indicadores de qualidade - Índice de Qualidade das Águas (IQA). Disponível em: http://pnqa.ana.gov.br/indicadores-indice-aguas.aspx. Acesso em: 11 abr. 2023.

BISOGNIN, R. P.; WEBER, F. H.; VIEIRA, L. F.; SILVA, B. R. Análise e divulgação da qualidade da água de nascentes, afluentes e ponto de captação do arroio Lajeado Erval Novo no município de Três Passos–RS. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, v. 6, n. 2, p. 44-55, 2017. DOI: 10.19177/rgsa.v6e2201744-55.

BRASIL. Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012b. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm Acesso em: Abril. 2023

BRASIL, Lei nº12.651. 25/04/2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa. Diá-rio Oficial da União, Brasília, DF, v. 01, n. 55, 1995.

BRESSANE, A., MOCHIZUKI, P. S., ROVEDA, J. A. F., SALVADOR, N. N. B. Sistema de apoio à Gestão de Áreas Verdes na Preservação Permanente de Corpos Hídricos Urbanos. http://dx.doi.org/10.5902/198050987550, v. 26, p. 957, 2016

CALADO, T. de O., CARDOSO, A. S. MARQUES, E. A. T., SOBRAL, M. do C.. Planos diretores na articulação da gestão de recursos hídricos com o uso do solo no entorno de reservatórios. Revista Brasileira de Geografia Física, 2020. Disponível em: file:///C:/Users/Usu%C3%A1rio/Downloads/242770-169898-1-PB.pdf. Acesso em Mar-ço de 2023.

CARDOSO, A. S. Proposta de metodologia para orientação de processos decisórios relativos a intervenções em cursos de água em áreas urbanas. Belo Horizonte: Uni-versidade Federal de Minas Gerais, 2012. (Tese de doutorado).

CASTRO, S. L. I., MAY, L. R., & GARCIAS, C. M.. (2018). MEIO AMBIENTE E CIDADES – ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE (APPS) MARGINAIS URBANAS NA LEI FEDERAL N. 12.651/12. Ciência Florestal, 28(Ciênc. Florest., 2018 28(3)), 1340–1349. https://doi.org/10.5902/1980509833353

CETESB (2007). Relatório de Qualidade das Águas Interiores no Estado de São Paulo: 2006. São Paulo: CETESB, 2007. (Série Relatórios)

COSTA, F. B; FERREIRA, V. de O. ANÁLISE DE PARÂMETROS QUE COM-PÕEM O ÍNDICE DE QUALIDADE DAS ÁGUAS (IQA) NA PORÇÃO MINEIRA DA BACIA DO RIO PARANAÍBA. Revista Eletrônica de Geografia, v.7, n.18, p. 22-47, set. 2015.

DE ANDRADE, L M. S.; ROMERO, M. A. B. A importância das áreas ambiental-mente protegidas nas cidades. Anais..., 2005. Disponível em: fi-le:///C:/Users/Usu%C3%A1rio/Downloads/242770-169898-1-PB.pdf. Acesso em 02 Abril 2023.

DOS SANTOS, S. A. et al. Qualidade da água na bacia hidrográfica urbana Cancela-Tamandaí, Santa Maria/RS. Sociedade e Natureza, Uberlândia, v. 30, n. 2, p. 23- 44, ago. 2018. Disponível em: https://www.redalyc.org/journal/3213/321364350002/321364350002.pdf. Acesso em: Abril de 2023.

ESTEVES, F.A. Fundamentos de Limnologia. Rio de Janeiro: Editora Interciência, 1988. 574p.

FUNDAÇÃO NACIONAL DE SAÚDE (FUNASA). Manual Prático de Análise de água. Disponível em: http://www.funasa.gov.br/site/wp-content/files_mf/manual_pratico_de_analise_de_agua_2.pdf . Acesso em Abril 2023.

GARCIAS, C. M. Sustentabilidade e redução de impactos no meio ambiente. In: Conferência Municipal do Meio Ambiente, 8., 2013, São José dos Pinhais. Anais... 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Dados município de estudo. Censo Brasileiro de 2010.

KONZEM, I. S. 2023. AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA E IN-FLUÊNCIA DO USO E OCUPAÇÃO DO SOLO EM MICROBACIAS DO LA-JEADO TRÊS PASSOS NO NOROESTE DO RIO GRANDE DO SUL. Disponí-vel em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/28062/Konzen_Isabela_Schamann_2023_TCC.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em Abril de 2023.

LACERDA, A. B.; RÄDER, A. S.. A EFICIÊNCIA DE REMOÇÃO DE COLI-FORMES EM UMA ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ÁGUA CONVENCI-ONAL. Disponível em: https://www.saneamentobasico.com.br/wp-content/uploads/2019/08/pdf-a-eficiencia-de-remocao-de-coliformes-emuma-estacao-de-tratamento-de-agua-covencional.pdf . Acesso em Abril 2023.

LAMPARELLI, M. C. Grau de trofia em corpos d’água do Estado de São Paulo: avaliação dos métodos de monitoramento. 2004. Tese (Doutorado em Ecologia Aplicada). Universidade de São Paulo, São Paulo, 2004.

MACEDO, S. S. Os sistemas de espaços livres e a constituição da esfera pública con-temporânea no Brasil: relatório final de Projeto Temático de Pesquisa. São Paulo: FAPESP, 2011.

MARTINS, S. V. Recuperação de matas ciliares: no contexto do novo código flores-tal. 3. ed. Viçosa: Aprenda Fácil, 2014.

MERTEN, G. H.; MINELLA, J. P. (2002). Qualidade da água em bacias hidrográficas rurais: um desafio atual para a sobrevivência futura. Disponível em: https://www.bibliotecaagptea.org.br/agricultura/irrigacao/artigos/QUALIDADE%20DA%20AGUA%20EM%20BACIAS%20HIDROGRAFICAS%20RURAIS%20UM%20DESAFIO%20ATUAL%20PARA%20A%20SOBREVIVENCIA%20FUTURA.pdf acesso em 01/04/2023, às 16:47h.

NASCIMENTO, L. P. REIS, D. A.; ROESER, H. M. P.; SANTIAGO, A. F. Relationship between land use and water quality in a watershed impacted by iron ore tailings and domestic sewage. Ambiente & Água, v. 14, n. 5, 2019. DOI: 10.4136/ambi-agua.2383.

PEREIRA, M. A. B.; ALVES, W. S.; OLIVEIRA, L. D.; MORAIS, W. A.; LIMA, L. O.; NUNES, N. C. Qualidade Hídrica da Cachoeira do Rio São Tomás, no Município de Rio Verde, Goiás, Brasil. Revista Brasileira de Geografia Física, v.13, n.01, p. 377-390, 2020.

VON SPERLING, M. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. 4. ed. Belo Horizonte: UFMG, 2014. 472 p.

SOUZA, M. M. de ., & GASTALDINI, M. do C. C.. (2014). Avaliação da qualidade da água em bacias hidrográficas com diferentes impactos antrópicos. Engenharia Sanitária e Ambiental, v. 19 n.3, p. 263-274. 2014. https://doi.org/10.1590/S1413-41522014019000001097

TOLEDO, L. G. de., & NICOLELLA, G.. (2002). Índice de qualidade de água em mi-crobacia sob uso agrícola e urbano. Scientia Agricola, 59 (Sci. agric. (Piracicaba, Braz.), 2002 59(1)), 181–186. https://doi.org/10.1590/S0103-90162002000100026

Published

2023-09-19

How to Cite

Bobato, D. S., Bisognin, R. P., Guerra, D., Lanzanova, M. E., Weiss, D., Maciel, D. H., Rossini, T., & Bobato, G. S. (2023). Avaliação do índice de qualidade da água superficial na zona rural e urbana de município no noroeste do Rio Grande do Sul. OBSERVATÓRIO DE LA ECONOMÍA LATINOAMERICANA, 21(9), 11859–11879. https://doi.org/10.55905/oelv21n9-073

Issue

Section

Articles

Most read articles by the same author(s)